Policial ganha as redes sociais ao pintar cabelo de rosa em defesa dos homossexuais

Luke Watson mudou de visual para o Dia Internacional do Rosa, criado para combater a homofobia em escolas no Canadá

Um policial de Toronto está chamando a atenção nas redes sociais por adotar um visual irreverente, porém com uma boa razão. Luke Watson tingiu o cabelo de rosa para combater a discriminação contra a comunidade LGBT no Canadá.

Sua atitude conquistou os usuários do Twitter, que são os responsáveis pela manutenção do look do policial. A cada mil retweets ele mantém o visual por mais uma semana.

Assim que a imagem foi publicada na quarta-feira (8), ela imediatamente se tornou viral na internet, acumulando os retweets em cerca de duas horas. Watson usa a hashtag #StopBullyingNow, que significa pare com o bullying agora, para lutar contra a homofobia.

A ideia de tingir o cabelo surgiu com o Dia Internacional do Rosa, que, segundo o jornal “New York Daily News”, foi criado por dois heterossexuais como forma de parar o bullying contra um colega de escola que era gay. A data é comemorada por estudantes do Canadá anualmente.

+ sobre o tema

Em decisão histórica, STF derruba restrição de doação de sangue por homossexuais

O designer gráfico M.S., de 26 anos, sempre mentiu...

Pesquisa inédita vai mapear perfil sócio-demográfico de lésbicas no Brasil

A população que se identifica como lésbica e sapatão...

Curso capacita mulheres trans em empreendedorismo na cidade do Rio

No mês da visibilidade trans, comemorado em janeiro, um...

para lembrar

Preconceito, homofobia e machismo não existem. E todo pobre pode ser rico

Por Leonardo Sakamoto O brasileiro não é racista. Nem machista. Muito menos...

Ato na Jamaica para manter lei que proíbe relação homossexual reúne 25 mil pessoas

Protesto teve participação de diversos líderes religiosos e ocorre...

Homofobia: Preconceito poderá render pena de até seis anos

Proposta da deputada Maria do Rosário (PT-RS) em análise...

Unicamp: banheiro feminino apenas para “portadoras de vagina original de fábrica”

Alunos denunciam pichações transfóbicas no banheiro da instituição; para...
spot_imgspot_img

PM que agrediu mulher no Metrô disse que ela tinha de apanhar como homem, afirma advogada

A operadora de telemarketing Tauane de Mello Queiroz, 26, que foi agredida por um policial militar com um tapa no rosto na estação da Luz do Metrô de São...

Comitê irá monitorar políticas contra violências a pessoas LGBTQIA+

O Brasil tem, a partir desta sexta-feira (5), um Comitê de Monitoramento da Estratégia Nacional de Enfrentamento à Violência contra Pessoas LGBTQIA+, sigla para...

Homofobia em padaria: Polícia investiga preconceito ocorrido no centro de São Paulo

Nas redes sociais, viralizou um vídeo que registra uma confusão em uma padaria, no centro de São Paulo. Uma mulher grita ofensas homofóbicas e...
-+=