Primeira lei de combate ao racismo completa 61 anos

 

Após 61 anos da criação da Lei 1.390/1951, também conhecida como Lei Afonso Arinos, a luta contra o racismo permanece forte e enraizada na sociedade brasileira. Sancionada em 3 de julho de 1951, pelo então presidente Getúlio Vargas, o princípio inclui entre as contravenções penais a prática de atos resultantes de preconceitos de raça ou de cor no Brasil.

Segundo o diretor de Organização do PCdoB em Salvador e membro da Direção Estadual e Nacional da Unegro (União de Negros pela Igualdade), Jerônimo Silva, o Estado Brasileiro, ao longo dos tempos, pouco avançou em leis que condenem a prática do racismo. Ele lembra que, no Período Colonial, houve iniciativas para acabar com a escravidão, a exemplo das leis dos Sexagenários e Ventre Livre.

“A única lei após a Lei Áurea – responsável pela abolição da escravidão no Brasil em 13 de maio de 1888 – que visa condenar a prática do racismo é a Afonso Arinos”, afirma Jerônimo, ao complementar que “na época, ela teve forte impacto no país, pois a sociedade carregava ainda resquícios da hierarquia racial. Mesmo liberto, o negro era considerado inferior no intelecto e em relação aos direitos.”

O membro da Unegro afirma que a Lei Afonso Arinos serviu para alertar a sociedade de que o racismo era crime, mas ela não obteve efeito na prática, pois não condenava. Isso só passou acontecer a partir de 1985, com a Lei Caó (Lei nº 7437/1985), que classifica o racismo e o impedimento de acesso a serviços diversos por motivo de raça, cor, sexo, ou estado civil como crime inafiançável, punível com prisão de até cinco anos e multa.

Dentro do PCdoB, a bandeira de combate ao racismo, assim como diversas outras, é trabalhada fortemente. No Comitê Central do partido, existe a Comissão Nacional de Combate ao Racismo, ligada a Secretaria de Movimentos Sociais. A coordenação nacional e estadual da Comissão fica por conta da vereadora Olívia Santana (PCdoB-BA).

Em relação às iniciativas do partido, a vereadora Olívia Santana afirma que o PCdoB conta com um programa que objetiva combater o racismo e tem forte atuação no cenário brasileiro.

“O PCdoB é responsável pela realização de políticas que promovem a estruturação de coordenações estaduais de combate ao racismo pelo país, além de realizar encontros estaduais para preparar a militância com o intuito de tratar da temática e buscar maior inserção nas políticas públicas”, conclui a vereadora.

Afonso Arinos

Afonso Arinos de Melo Franco (1905-1990) foi jurista, político, historiador, professor, ensaísta e crítico brasileiro. Ele se destacou pela criação da Lei contra discriminação racial e ocupou a cadeira de nº 25 da Academia Brasileira de Letras.

De Salvador,
Ana Emília Ribeiro

 

 

Fonte: Vermelho

+ sobre o tema

Grupo de defensores da União repudia ação contra Magazine Luiza por trainee só para negros

O Grupo de Trabalho de Políticas Etnorraciais da Defensoria...

SP: transferência de padre negro causa revolta no interior

Wilson Luís Ramos enfrentou preconceito racial e resistência de...

Brasil: vítima de racismo em escola, menina é obrigada a pedir desculpas aos agressores

Desde que Camila dos Santos Reis consegue lembrar, a...

Um país de Heloísas, Dudas, Agathas e Marcos Vinícius

"Brasil, meu negô, deixa eu te contar" sobre a...

para lembrar

Rio acumula mortes por “balas perdidas” não investigadas

A designer Kathlen Romeu, morta aos 24 anos após ser atingida...

Sob Bolsonaro, o genocídio negro por bala e fome ganhou a câmara de gás

Genivaldo de Jesus Santos, negro, 38 anos, desarmado, que...

Você pode impedir a redução da maioridade penal

Especialistas, organizações nacionais e internacionais, movimentos sociais e igrejas. Todas as pessoas sérias, responsáveis...

RODRIGO DE MATOS NOGUEIRA

Vítima: RODRIGO DE MATOS NOGUEIRA Ação de Indenização pó...
spot_imgspot_img

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...

Criança não é mãe

Não há como escrever isto de forma branda: nesta quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados considerou urgente discutir se a lei deve obrigar crianças vítimas de estupro à...
-+=