Guest Post »

Procuradora da Lava Jato que debochou da morte de neto de Lula se desculpa: ‘Errei’

Jerusa Viecili escreveu a colegas que eles deveriam se preparar ‘para a novela da ida ao velório’

Por  Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo 

A procuradora Jerusa Viecili postou em seu Twitter nesta noite um pedido de desculpas ao ex-presidente por ter debochado, em conversas com colegas no Telegram, da morte da ex-primeira-dama Marisa Leticia e do luto do petista.

“Errei”, disse ela. “E minha consciência me leva a fazer o correto: pedir desculpas à pessoa diretamente afetada, o ex-presidente Lula.”

O UOL publicou nesta terça (27), em parceria com o site The Intercept Brasil, mensagens trocadas entre os procuradores da Operação Lava Jato quando Marisa morreu, em 2017.

“Querem que eu fique pro enterro?”, diz ela em uma mensagem logo depois da notícia de que a mulher de Lula havia morrido, vítima de um AVC.

“Preparem para nova novela da ida ao velório”, escreveu ela quando o neto de Lula, Arthur, 7, morreu vítima de uma infecção generalizada.

O ex-presidente Lula se emociona ao falar do neto, que morreu em março, durante entrevista à Folha e ao jornal El País na sede da Polícia Federal, em Curitiba – Marlene Bergamo – 26.abr.2019/Folhapress

A reportagem mostra vários diálogos.

Em um deles, a procuradora Laura Tessler diz, depois da morte de Marisa: “Quem for fazer a próxima audiência do Lula, é bom que vá com uma dose extra de paciência para a sessão de vitimização”.

Os procuradores ainda comentam o discurso de despedida de Lula no velório de Marisa, em que ele diz esperar que os “facínoras que fizeram isso contra ela [Marisa] tenham um dia a humildade de pedir desculpas”.

“Bobagem total… Ninguém mais dá ouvidos a esse cara”, diz Deltan Dallagnol.

A reportagem mostra ainda mensagens trocadas entre os procuradores quando Vavá, irmão de Lula, morreu, no começo deste ano.

Um deles, Antônio Carlos Welter, pondera que Lula tem direito de ir ao enterro, como a lei prevê para qualquer preso.

O procurador Januario Paludo responde: “O safado só queria passear e o Welter com pena”.

Com o pedido de desculpas, a procuradora Viecili acabou reconhecendo a veracidade das mensagens, sempre negada pela força-tarefa da Lava Jato. A procuradora depois tuitou se explicando, dizendo que o pedido de desculpas não implicava o reconhecimento da legitimidade de todo o material

Related posts