Produtores culturais negros gaúchos também querem 40% do orçamento da Cultura

Em Porto Alegre, durante encontro que discutiu políticas públicas para as artes e culturas negras, produtores culturais do estado também solicitaram cotas raciais na pasta da Cultura

Reforçando o coro dos criadores e produtores culturais de outros estados brasileiros, os agentes de artes e culturas negras do Rio Grande do Sul também querem 40% do orçamento destinado para o Ministério da Cultura. Essa foi a principal demanda apresentada por eles na reunião do setor, que aconteceu na noite dessa segunda-feira, 15/7, em Porto Alegre/RS.

A pauta do encontro, que contou com a presença do presidente da Fundação Cultural Palmares, Hilton Cobra, foi a suspensão dos editais para cultura negra do MinC (Ministério da Cultura) em parceria com a SEPPIR (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial).  Cerca de 100 pessoas entre artistas, criadores e produtores culturais e integrantes do Movimento Negro solicitaram a retomada imediata da normalidade jurídica dos certames, parcialmente suspensos.

Nina Fola, produtora cultural e cantora disse que tem projetos inscritos nos editais do MinC. Ela  espera que esta articulação da comunidade negra se fortaleça para que os editais sejam liberados, a fim de que possa ampliar  as políticas culturais para os afro-brasileiros.

De acordo com Hilton Cobra, reuniões com a comunidade negra, já realizadas em boa parte do país, servirão para subsidiar o Ministério para a construção de uma política cultural inclusiva e permanente para arte e cultura afro-brasileira. Cobra ressaltou a iniciativa pioneira da ministra da Cultura Marta Suplicy criando os editais específicos e exclusivos para produtores e criadores negros.

Agentes de cultura negra mobilizados – Assim como nos demais estados visitados pela FCP, a sociedade civil foi responsável por promover o encontro. Em Porto Alegre/RS, a proposta foi do Coletivo Negro de Artistas e Produtores do Rio Grande do Sul, formado por grupos culturais e artistas independentes. Ali, os criadores solicitaram o aumento das verbas para manifestações de arte e cultura negra. Outro assunto em debate, foi o aumento do número de editais de fomento e a participação da população negra nas comissões julgadoras dos prêmios  nos âmbitos municipal, estadual e federal.

Também, estiveram presentes na reunião a representante do MinC na Região Sul, Margarete Moraes, o diretor do Departamento de Fomento e Promoção da Cultura Afro-Brasileira da Fundação Cultural Palmares, Lindivaldo Júnior; Jessé Oliveira, diretor do Grupo Caixa Preta; o ator Cirmar Antunes; a produtora cultural Lona Pereira; a vice-presidente do  Sated/RS (Sindicato dos Artistas e Técnicos de Espetáculos de Diversões do Rio Grande do Sul), Rosa Velho; Iara Teodoro, produtora; Sandro Ferraz, do Movimento do Carnaval; entre outros.

Fonte: Palmares

+ sobre o tema

Programa “Maus Médicos”: em São Paulo, eles entram, batem o ponto e vão embora

  O repórter Fábio Brilhante, do SBT, e sua...

Maternidade obrigatória, paternidade facultativa

Ainda hoje, muita gente insiste que não precisamos do...

Janine dá aula de ética a Lobão Filho

"A corrupção, como insistimos alguns há muitos anos,...

Médicos estrangeiros começam a trabalhar no Brasil em setembro

Em setembro médicos estrangeiros começam a trabalhar nas cidades...

para lembrar

Projetos de promoção da igualdade racial nos estados terão apoio da SEPPIR

Nessa etapa, serão priorizados os estados que ainda não...

Das 3.782 terras quilombolas do país, só 193 foram tituladas

Das 3.782 terras quilombolas do país, só 193...

Dia 20 de novembro é o Dia Nacional de Zumbi e da Consciência Negra

Algumas cidades brasileiras decretaram feriado nesta data O...
spot_imgspot_img

João Cândido e o silêncio da escola

João Cândido, o Almirante Negro, é um herói brasileiro. Nasceu no dia 24 de junho de 1880, Encruzilhada do Sul, Rio Grande do Sul....

Levantamento mostra que menos de 10% dos monumentos no Rio retratam pessoas negras

A escravidão foi abolida há 135 anos, mas seus efeitos ainda podem ser notados em um simples passeio pela cidade. Ajudam a explicar, por...

Racismo ainda marca vida de brasileiros

Uma mãe é questionada por uma criança por ser branca e ter um filho negro. Por conta da cor da pele, um homem foi...
-+=