Guest Post »

Produtores culturais negros gaúchos também querem 40% do orçamento da Cultura

Em Porto Alegre, durante encontro que discutiu políticas públicas para as artes e culturas negras, produtores culturais do estado também solicitaram cotas raciais na pasta da Cultura

Reforçando o coro dos criadores e produtores culturais de outros estados brasileiros, os agentes de artes e culturas negras do Rio Grande do Sul também querem 40% do orçamento destinado para o Ministério da Cultura. Essa foi a principal demanda apresentada por eles na reunião do setor, que aconteceu na noite dessa segunda-feira, 15/7, em Porto Alegre/RS.

A pauta do encontro, que contou com a presença do presidente da Fundação Cultural Palmares, Hilton Cobra, foi a suspensão dos editais para cultura negra do MinC (Ministério da Cultura) em parceria com a SEPPIR (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial).  Cerca de 100 pessoas entre artistas, criadores e produtores culturais e integrantes do Movimento Negro solicitaram a retomada imediata da normalidade jurídica dos certames, parcialmente suspensos.

Nina Fola, produtora cultural e cantora disse que tem projetos inscritos nos editais do MinC. Ela  espera que esta articulação da comunidade negra se fortaleça para que os editais sejam liberados, a fim de que possa ampliar  as políticas culturais para os afro-brasileiros.

De acordo com Hilton Cobra, reuniões com a comunidade negra, já realizadas em boa parte do país, servirão para subsidiar o Ministério para a construção de uma política cultural inclusiva e permanente para arte e cultura afro-brasileira. Cobra ressaltou a iniciativa pioneira da ministra da Cultura Marta Suplicy criando os editais específicos e exclusivos para produtores e criadores negros.

Agentes de cultura negra mobilizados – Assim como nos demais estados visitados pela FCP, a sociedade civil foi responsável por promover o encontro. Em Porto Alegre/RS, a proposta foi do Coletivo Negro de Artistas e Produtores do Rio Grande do Sul, formado por grupos culturais e artistas independentes. Ali, os criadores solicitaram o aumento das verbas para manifestações de arte e cultura negra. Outro assunto em debate, foi o aumento do número de editais de fomento e a participação da população negra nas comissões julgadoras dos prêmios  nos âmbitos municipal, estadual e federal.

Também, estiveram presentes na reunião a representante do MinC na Região Sul, Margarete Moraes, o diretor do Departamento de Fomento e Promoção da Cultura Afro-Brasileira da Fundação Cultural Palmares, Lindivaldo Júnior; Jessé Oliveira, diretor do Grupo Caixa Preta; o ator Cirmar Antunes; a produtora cultural Lona Pereira; a vice-presidente do  Sated/RS (Sindicato dos Artistas e Técnicos de Espetáculos de Diversões do Rio Grande do Sul), Rosa Velho; Iara Teodoro, produtora; Sandro Ferraz, do Movimento do Carnaval; entre outros.

Fonte: Palmares

Related posts