Professores são suspeitos de cuspir em aluno e de racismo em escola

Após denúncia, Conselho Tutelar identificou 4 alunos como vítimas, em GO.
Secretaria diz que um docente foi exonerado e o outro, advertido e suspenso.

Do G1

A Polícia Civil investiga a conduta de dois professores de uma escola estadual em Rio Verde, no sudoeste de Goiás. Um deles é suspeito de cuspir em um aluno e o outro, de racismo.

As denúncias foram feitas de forma anônima ao Ministério Público de Goiás (MP-GO). Em seguida, um promotor de Justiça enviou um ofício ao Conselho Tutelar para que averiguasse a situação e ouvisse os estudantes.

De acordo com o conselheiro Elismar Fernandes, pelos menos quatro casos foram identificados. “Dois alunos são uma questão de agressão física com cadernos, réguas e beliscões. Outro [aluno] é a questão do cuspe e outro de discriminação racial”, revela.

Os casos já foram registrados na polícia. O delegado regional de Rio Verde, Danilo Fabiano, afirmou que as denúncias estão sendo apuradas.

“Caracterizado eventual lesão corporal ou vias de fato, todos eles serão processados e, consequentemente, os procedimentos serão encaminhados ao Poder Judiciário. E se de fato houve o propósito de causar àquela criança uma injúria racial ou discriminação em decorrência da cor dela, essa pessoa que praticou esses fatos estará sujeita a uma pena de reclusão que varia de 1 a 3 anos”, explica.

Cuspe e piada
Uma das vítimas, um adolescente de 14 anos que prefere não se identificar, diz que tem vergonha da situação pela qual passou com um dos professores.

“O professor estava corrigindo as tarefas. Ele tinha terminado e falou que a gente podia conversar. A gente foi conversar e eu estava com o colega do lado. Ele chegou e cuspiu em mim”, conta.

Já o caso de injúria racial ocorreu depois que o docente fez uma piada em sala de aula com um aluno negro.

“O professor apagou a luz e perguntou pelo nome do aluno, depois ligou a luz e falou que ele tinha aparecido. A sala inteira e o professor começaram a rir e o aluno ficou muito constrangido com a situação”, afirma o conselheiro tutelar.

Nenhum dos alunos informou as situações para a direção da escola alegando que tiveram medo e que os professores ameaçavam tirar notas dos alunos caso isso ocorresse.

Exoneração
A Secretaria Estadual de Educação, Cultura e Esporte (Seduce) disse que começou a apurar o caso assim que foi informada das denúncias. Uma equipe de inspeção já conversou com alunos, professores e responsáveis pela escola.

Ainda de acordo com o órgão, o docente que supostamente agrediu alunos foi exonerado. Já o outro, suspeito de injúria racial, recebeu uma advertência por escrito e foi suspenso.

O MP-GO informou que aguarda o relatório do Conselho Tutelar para tomar as medidas necessárias.

+ sobre o tema

Canada ratifica moção de condenação de islamofobia e racismo sistemático

A "Moção 103" foi preparada por um deputado liberal...

Insultos racistas contra o goleiro Aranha marcam derrota do Grêmio para o Santos

Durante as manifestações, torcedor gremista teria, inclusive, atirado celular...

“Se você acha o sistema justo, vai odiar as cotas”, diz Patricia Collins

A estudiosa analisa em entrevista ao Correio a vulnerabilidade...

para lembrar

Diretora é acusada de chamar professores de gorilas nos EUA

A diretora de uma escola de ensino médio...

TJ capacita agentes para identificar e punir crimes de racismo em Alagoas

Curso é parceria entre TJ e Secretaria de Promoção...

Segunda mãe: “Matando, esculachando, batendo, xingando, forjando”

Por Tatiana Merlino, do Rio de Janeiro, especial para...
spot_imgspot_img

Prisão de torcedores deveria servir de exemplo para o futebol brasileiro

A condenação de três torcedores racistas na Espanha demonstra que, apesar da demora, estamos avançando em termos de uma sociedade que quer viver livre...

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...
-+=