Proibidas de usar black power na escola, meninas fazem protestos

Segundo as manifestantes, elas sofriam preconceito pelo penteados usados

Do O Globo

Alunas acusam uma escola na África do Sul de proibir o uso de black power e outros penteados afro dentro da instituição. Organizado por estudantes com idades entre 13 e 18 anos, um protesto foi realizado depois que uma estudante foi suspensa da unidade, na última semana. Segundo as manifestantes, o motivo da punição teria sido o cabelo com trancinhas.

A aluna Malaika Maoh Eyoh, de 17 anos, explicou ao “The Guardian” que se lembra da primeira vez que ouviu um professor falar sobre seu cabelo: “Está distraindo os outros estudantes”, contou ela.

Usuários do Twitter, no entanto, dizem que a questão vai muito além dos cabelos. Para eles, passados 22 anos do Apartheid — regime de segregação racial que vigorou até 1994 no país — milhares de sul-africanos ainda precisam conviver com o preconceito.

A repercussão da hastag #StopRacismAtPretoriaGirlsHigh é tão grande que várias autoridades do país se manifestaram em apoio à causa das meninas. Uma petição pedindo a revisão do código de conduta da escola já conseguiu mais de 25 mil assinaturas.

O tradicional colégio Pretoria High School For Girls não se pronunciou sobre as acusações. De acordo com a imprensa internacional, o código da escola de conduta tem uma lista de regras sobre o cabelo e uniforme, mas não menciona especificamente o penteado afro.

 

+ sobre o tema

para lembrar

Crianças negras desavisadas, diante de enganos platinados

Uma mulher negra que não abre a boca. Um homem...

Padre Assis: ‘Meu Cristo tem cabelo crespo, é do povão e anda por favelas’

Ivaldino de Assis Mendes Tavares já perdeu as contas...

“Meu psicólogo disse que racismo não existe”

Depoimentos de pacientes revelam que muitos psicólogos não sabem...
spot_imgspot_img

Fifa apresenta pacote de medidas contra o racismo no esporte

A Federação Internacional de Futebol apresentou um pacote de medidas contra o racismo no esporte. O mundo do futebol está reunido em Bangkok, na Tailândia, onde...

Tragédia no Sul é ambiental, mas sobretudo política

Até onde a vista alcança, o Rio Grande do Sul é dor, destruição. E vontade de recomeçar. A tragédia socioclimática que engolfou o estado, além da...

Para os filhos que ficam

Os seus pais vão morrer. É ainda mais difícil se dar conta disso depois de um Dia das Mães, como foi o último domingo....
-+=