Guest Post »

Projetos reúnem negros para viajar pelo mundo e quebrar paradigmas

Salvador é a pérola brasileira de um novo tipo de turismo em ascensão nos Estados Unidos. Chamado de Black Travel Movement (movimento de viagem negra, em tradução livre), ele tem como objetivo fazer com que negros e latinos sejam vistos como parte das pessoas que estão viajando a lazer, e não apenas a serviço.

No ano que vem, a capital baiana será visitada pelo menos dez vezes por dois dos grupos mais representativos desse segmento: o Nomadness Travel Tribe (algo como “tribo de viagem nômade-louca”) e o Travel Noire.

A ideia vem embalada por números: 17% dos negros norte-americanos fazem pelo menos uma viagem internacional por ano e gastam US$ 48 bilhões em seus passeios dentro do país. As cifras são do instituto Mandala, especializado em turismo.

No final de 2013, outra pesquisa, do Instituto Nielsen e da National Newspaper Publishing Association, indicou que os negros dos EUA (13% da população do país, o equivalente a 43 milhões de consumidores) costumam usar mais a internet que outros grupos na hora de planejar suas viagens. A Nielsen estima o poder de compra desse grupo em US$ 1 trilhão.

No Brasil, em que 53,1% da população se autodefine como negra ou parda, de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílio de 2013, iniciativas como essas começarão “naturalmente a acontecer”, na opinião do fundador do Museu Afro Brasil, Emanoel Araújo.

“Acho que é muito importante o turismo entre culturas de mesmas origens, afro-atlânticas. Por que o negro hoje viaja no Brasil? Por uma questão econômica, de uma classe média que está se formando”, disse ele à Folha.

EXPERIÊNCIA

Além do fator étnico como principal elemento, outra característica das comunidades negras de viagem é valorizar experiências humanas e o desejo de se distanciar do típico turismo ávido de selfies.

A tendência fomenta de blogs a livros, passando por séries no YouTube e plataformas on-line para compartilhamento de informações sobre reservas, dicas de turismo, relatos de experiências ou fotos.

SALVADOR E RIO

Tanto a Nomadness Travel Tribe como a Travel Noire têm o Brasil no mapa, e Salvador é o destino preferido no ano que vem. Só a Travel Noire, por exemplo, vai visitar a Bahia oito vezes em 2016.

“Lá há muito para mostrar e vamos estar com gente do local para conhecer a arquitetura, a música, para tentar mergulhar mais fundo nessa cultura. Além disso, o objetivo é poder mostrar Salvador aos norte-americanos de um modo diferente, como algo do estilo ‘olha só, aqui há pessoas exatamente como você'”, diz Zim Ugochukwu.

O Rio também está na lista. No próximo Réveillon, os integrantes da Nomadness Travel Tribe estarão de branco pulando as ondas do mar carioca. Uma semana depois, desembarcam na capital baiana, que está no itinerário da plataforma duas vezes no ano que vem.

“Eu fui ao Rio consciente da opressão financeira que existe e da dificuldade que os brasileiros negros têm para avançar em suas carreiras, em educação e em oportunidades em geral. Quando cheguei à cidade, confirmei essa noção. Conheci muitos cariocas negros que estavam trabalhando para mudar essa situação, e me senti conectada com eles”, conta Kali Blocker, organizadora das viagens ao Brasil da Nomadness Travel Tribe.

Os roteiros das duas comunidades incluem aulas de surf, percussão, capoeira e samba.

Visitas a feiras locais para compra de alimentos frescos e preparação de pratos típicos –que os viajantes aprenderão a cozinhar–, estadia em residências, mergulhos, viagens a ilhas próximas de Salvador, passeios pelo Pelourinho e participação em eventos como o Farol Folia.

“Esse é um movimento global. Nossa missão é uma mistura de derrubar a ideia de que viajar é só para a elite e criar oportunidades para nossos membros. Chegamos a um patamar de igualdade quando o recém-formado e o milionário se encontram na mesma viagem. Tenho visto essas experiências nos últimos anos”, diz Evita Robinson, da Nomadness.

turismo-negro
Zim Ugochukwu, fundadora da Travel Noire, em viagem no México
turismo-negro1
Zim Ugochukwu, 27, fundadora do grupo de viagem para negros Travel Noire
turismo-negro3
Turistas da Nomadness Travel Tribe no Rio
turismo-negro2
Turistas da Nomadness Travel Tribe na Índia

*

NOMADNESS TRAVEL TRIBE
Plataforma on-line para compartilhamento de oportunidades de viagem e organização de pacotes; próximos destinos são Tailândia, África do Sul, Tanzânia e Índia, além do Brasil
MAIS nomadnesstv.com

TRAVEL NOIRE
Plataforma on-line que reúne posts de colaboradores em várias partes do mundo e oferece pacotes com no máximo 14 pessoas; em 2016, levará grupos à Itália, África do Sul e Indonésia, além do Brasil
MAIS travelnoie.com

I’M BLACK AND I TRAVEL
Premiado blog de um agente de viagens, com relatos, dicas, conselhos e notícias da indústria do turismo. Há até uma lista com dicas de destinos para turismo negro nos Estados Unidos
MAIS imblacknitravel.com

SOUL SOCIETY
O blog tem o objetivo de “aliviar o medo e a frustração de viajar”, e oferece entrevistas com personalidades da cena negra dos EUA e posts gastronômicos, sua especialidade. A página foi criada em 2012
MAIS soulsociety101.com

JETSETSARAH
Espirituoso guia de compras e estilo pelo mundo. “Se você não comprar algo nas suas viagens, como vai se lembrar depois de para onde foi?”, escreve a autora, que também compartilha suas experiências de viagem
MAIS jetsetsarah.com

BLACK ADVENTURISTAS
Site de que compartilha fotos de turismo em diferentes países do mundo, para “inspirar mulheres negras” porque “toda aventura vale a pena”
MAIS blackadventuristas.tumblr.com

CAMPING IN COLOR
Com visual mais simples que os demais, traz um casal que acampa há 30 anos pelos Estados Unidos e transmite sua experiência, a partir “de uma perspectiva afro-americana”
MAIS campingincolor.blogspot.com

UGOGURL
Espécie de consultoria on-line sobre “viagens afro-americanas”, sobretudo para mulheres. Oferece também um livro com 52 histórias de viagens para diferentes países, como Rússia e México
MAIS ugogurl.com

Related posts