PSB deve anunciar hoje que não lançará candidato à Presidência

Em SP, PT tenta retirar Skaf da disputa contra Mercadante; socialistas resistem

A cúpula do PSB se reúne hoje e, independentemente do resultado da consulta feita aos Estados, vai anunciar que o deputado federal Ciro Gomes não será candidato a presidente da República. Até ontem à noite, vários Diretórios Estaduais ainda não tinham enviado a resposta sobre a candidatura.
Para não adiar a retirada de Ciro da disputa, a Executiva do partido preferiu mudar o discurso. Antes usada como “álibi” para o apoio ao PT de Dilma Rousseff, agora a consulta é classificada apenas como um “subsídio a mais”. “A decisão é autônoma, única e exclusiva da Executiva. O levantamento é apenas mais um subsídio”, disse o vice-presidente nacional do PSB, Roberto Amaral.
Ciro não deve comparecer à reunião de hoje. “Seria muito desagradável para ele”, resumiu Amaral. Já o presidente da legenda, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, chega a Brasília hoje de manhã.
Na semana passada, o PSB entregou ao coordenador político da campanha de Dilma, Fernando Pimentel, uma lista de exigências para um acordo nacional. Ontem, o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), disse que esses acordos podem não sair. “Isso é meio esquisito. O PT não tem o comando sobre todas as legendas. Se tivéssemos, os cenários em muitos Estados seriam diferentes”, disse.
O senador e pré-candidato petista ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, afirmou que espera ter o apoio do PSB, que lançou a pré-candidatura do presidente da Fiesp, Paulo Skaf. “Se o PSB quiser vir para a coligação, será muito bem recebido”, disse Mercadante à Rádio Bandeirantes.
Mesmo diante do cortejo do PT, o PSB ainda resiste em abrir mão de lançar Skaf e negociar sua indicação como vice de Mercadante. “A possibilidade de o Skaf ser vice do Mercadante hoje é a mesma de o Mercadante ser vice dele”, disse o deputado Márcio França.
O PSB negocia o apoio do PC do B e o do PR. “Se fecharem com a gente, PC do B e PR elegem um deputado federal com 80 mil votos. Se fecharem com eles [PT] vão precisar de 130 mil eleitores para fazer um deputado”, argumenta França.
“Temos pesquisas que mostram que 65% dos paulistas gostam do jeito tucano de governar. 31% do eleitorado vota com eles [PSDB], mas outros 34% gostariam de experimentar alguma coisa nova. Esses votos não vão migrar direto para o PT”, disse o deputado, para justificar o espaço para a candidatura de Skaf. (MARIA CLARA CABRAL e DANIELA LIMA)

 

 

Fonte: Folha de S.Paulo

+ sobre o tema

Biden desiste de reeleição após pressão e anuncia apoio a Kamala Harris

Após pressão de democratas, o presidente dos Estados Unidos, Joe...

Para cumprir os ODS, o Estado brasileiro precisa parar de matar pessoas negras

Em um período de dez anos (2012-2022), o Brasil...

Coalizão de entidades lança campanha por mais negros nos parlamentos

A Coalizão Negra por Direitos, que reúne mais de...

Kenarik Boujikian é nomeada para a Secretaria Nacional de Diálogos Sociais da Presidência

A desembargadora aposentada do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) Kenarik...

para lembrar

Museu de Londres vai devolver 72 objetos saqueados da Nigéria no século 19

Um museu em Londres anunciou que devolverá à Nigéria...

E se eu chegar aos 35 sem estar com a vida resolvida?

É o princípio do fim?Já ouvi falar que a...

Honrar a morte de Rieli Franciscato

A Comissão Arns acaba de receber notícias altamente preocupantes...

Renato Janine Ribeiro: Inclusão social vai melhor com Dilma

Filósofo Renato Janine Ribeiro aponta o PT como a...

Precarização do trabalho rural impacta mais pessoas negras e mulheres

Um relatório da Oxfam Brasil indica que mulheres e pessoas negras são as maiores vítimas das consequências da informalidade no trabalho rural. De acordo com o...

Em Ceilândia, Anielle Franco anuncia R$ 1,6 milhão para organizações

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, anunciou, nesta sexta-feira, o lançamento do edital que vai destinar R$ 1,6 milhão para o fortalecimento de...

OABRJ levará absolvição dos policiais no caso João Pedro ao STF

A Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OABRJ) levará o caso da absolvição dos policiais na morte do jovem João Pedro...
-+=