PSDB tenta impedir queda de Serra em SP

Partido convoca força-tarefa para deter desgaste do governador paulista em sua base eleitoral e impedir avanço petista

Tucano participou ontem da Festa da Uva, em Caxias do Sul; ele falou com eleitores e teve de desfilar ao lado da governadora Yeda Crusius

 

O PSDB de São Paulo convocou uma força-tarefa com a missão de estancar a queda do potencial candidato do partido à Presidência, José Serra, e ampliar sua vantagem sobre a petista Dilma Rousseff no Estado. O grupo -composto por 47 coordenadores regionais- terá sua primeira reunião amanhã.

Segundo o presidente do diretório paulista, Mendes Thame, a intenção é “definir uma estratégia de ação para o buraco negro que vai de 2 de abril até junho”. Mas não é só: o partido quer unificar o discurso de combate à candidatura Dilma.

De acordo com textos que já estão sendo discutidos pelo partido, o PSDB deverá explorar medidas propostas pelo PT -como controle de conteúdo de TV e proibição de símbolos religiosos em repartições públicas- para falar em ameaça às liberdades individuais.

Outro argumento será o de que, desconhecida, Dilma será refém de petistas como o ex-ministro José Dirceu.

Segundo Thame, a coordenação de campanha no Estado tem como meta garantir que Serra vença as eleições em São Paulo com diferença superior à obtida pelo ex-governador Geraldo Alckmin contra Lula em 2006: um milhão de votos. Os tucanos sonham com uma margem de 4 milhões de votos.

Com a tarefa de evitar a queda de Serra, o PSDB de São Paulo decidiu antecipar, para o fim deste mês, as inserções na TV que seriam em junho.

No último Datafolha, o tucano caiu de 41% para 38% na Região Sudeste, enquanto Dilma subiu de 19% para 24%.

Essa mobilização serviria de antídoto para o impacto das enchentes no Estado e para as crises enfrentadas pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), como o anúncio do aumento do IPTU e das tarifas de ônibus e a recente cassação (atualmente suspensa).

 

Festa da uva
Ontem, Serra encerrou uma semana em que já ensaiou uma agenda de candidato visitando a Festa da Uva, em Caxias do Sul (RS). Aparentando certo constrangimento ao lado da governadora tucana Yeda Crusius, que enfrentou uma CPI por denúncias de corrupção em seu governo, Serra posou para fotos ao lado das Princesas da Uva e conversou com eleitores.

Um militante do PSDB observou que, na campanha, Serra terá de viajar muito. “Claro!”, anuiu o tucano.

A uma mulher que se identificou como sua eleitora e perguntou o que ele fará, se eleito presidente, para os deficientes físicos, ele respondeu: “Veja o que eu fiz em São Paulo”.

Quando uma jornalista quis saber o que espera do eleitorado gaúcho, Serra disse: “Que continue combativo”.

Fonte: Folha de S.Paulo

+ sobre o tema

Para cumprir os ODS, o Estado brasileiro precisa parar de matar pessoas negras

Em um período de dez anos (2012-2022), o Brasil...

Coalizão de entidades lança campanha por mais negros nos parlamentos

A Coalizão Negra por Direitos, que reúne mais de...

Kenarik Boujikian é nomeada para a Secretaria Nacional de Diálogos Sociais da Presidência

A desembargadora aposentada do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) Kenarik...

Precarização do trabalho rural impacta mais pessoas negras e mulheres

Um relatório da Oxfam Brasil indica que mulheres e pessoas negras...

para lembrar

Horário de verão termina no próximo domingo

À 0h, os relógios devem ser atrasados em uma...

Joaquim Barbosa: “Brasil não está preparado para um presidente negro”

Para o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ainda...

Você quer escrever?

Por Fernanda Pompeu Quem aí em frente da...

Pacto pela Democracia

  O Brasil vive um momento decisivo. Poucas vezes estivemos...

Em Ceilândia, Anielle Franco anuncia R$ 1,6 milhão para organizações

A ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco, anunciou, nesta sexta-feira, o lançamento do edital que vai destinar R$ 1,6 milhão para o fortalecimento de...

OABRJ levará absolvição dos policiais no caso João Pedro ao STF

A Ordem dos Advogados do Brasil do Rio de Janeiro (OABRJ) levará o caso da absolvição dos policiais na morte do jovem João Pedro...

O grande bazar de direitos

Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, declarou nesta semana estar "muito entusiasmado com a iniciativa do STF  de, ao invés de simplesmente decidir pela inconstitucionalidade daquilo que...
-+=