Psiquiatra chama modelo negra de ‘aberração da natureza’ e é suspenso de universidade americana

Enviado por / FonteDa Revista Monet

O Dr. Jeffrey Lieberman é chefe do departamento de psiquiatria da universidade de Columbia, e seu post com declaração racista e misógina foi compartilhado pela própria modelo Nyakim Gatwech

A Universidade de Columbia suspendeu o Dr. Jeffrey Lieberman, chefe do departamento de psiquiatria da universidade, depois que ele sugeriu que a pele de uma modelo negra seria uma “aberração da natureza”. O psiquiatra da escola, retweetou uma foto do modelo sul-sudanêsa-americana Nyakim Gatwech, escrevendo na legenda: “Seja uma obra de arte ou uma aberração da natureza, ela é uma bela coisa para se ver”.

A prestigiada instituição de ensino não forneceu uma declaração oficial sobre os comentários de Lieberman, mas confirmou que ele foi suspenso de seu cargo de chefe de departamento na quarta-feira devido aos comentários e também foi removido como psiquiatra-chefe do Centro Médico Irving da Universidade de Columbia/Hospital Presbiteriano de Nova York.

Post de psiquiatra considerado racista (Foto: reprodução instagram)

“Twittei da minha conta pessoal uma mensagem racista e sexista. Preconceitos e suposições estereotipadas que eu não sabia que tinha foram expostos – para mim e para você – e estou profundamente envergonhado e muito arrependido”, escreveu Lieberman em um e-mail na terça-feira para professores e funcionários que foi fornecido ao The New York Post.

“Um pedido de desculpas meu à comunidade negra, às mulheres e a todos vocês não é suficiente. Eu machuquei muitos e estou começando a entender o trabalho pela frente para fazer as mudanças pessoais necessárias e, com o tempo, recuperar sua confiança”, acrescentou.

A declaração também custou a Lieberman seu cargo como diretor do Instituto Psiquiátrico do Estado de Nova York, administrado pelo Departamento Estadual de Saúde Mental. “O Escritório de Saúde Mental tomou medidas imediatas depois de saber dos comentários ofensivos e inapropriados do Dr. Lieberman nas mídias sociais”, comunicado emitido na quinta-feira.

Gatwech, que involuntariamente se viu no centro da controvérsia, respondeu aos comentários de Lieberman no Instagram, dizendo: “Eu amo minha pele escura e meu apelido de ‘Rainha Escura”.

+ sobre o tema

Como as escolas de samba nos ensinam sobre ancestralidade

Desde que foram criadas, escolas de samba têm sido...

Esperança de justiça une mães de vítimas da violência policial no Rio

A longa espera por justiça é uma realidade presente...

Primeira mulher trans a liderar bancada no Congresso, Erika Hilton diz que vai negociar ‘de igual para igual’

A deputada federal Erika Hilton (PSOL-SP) foi aclamada nesta quarta-feira como...

para lembrar

“Fui modelo na Europa, fiz sucesso no Brasil e hoje vivo em Buenos Aires”

"Nasci no ano em que a grande cantora Angela...

Bancos estão longe de abolir o racismo

Os dados do IBGE de 2010 apontam: pretos e...

Produção do filme bíblico “Êxodo” é acusada de racismo por escolha de elenco “branco”

Por Dan Martins A hashtag #BoycottExodusMovie (#BoicoteOFilmeExodus) explodiu no Twitter...
spot_imgspot_img

Por que ser antirracista é tão importante na luta contra a opressão racial?

O Laboratório de Estudos de Gênero e História, da Universidade Federal de Santa Catarina, lança nesta quarta-feira (21) o quinto vídeo de sua campanha de divulgação...

Moção de solidariedade da UNEGRO ao Vai Vai 

A União de Negras e Negros Pela Igualdade (UNEGRO), entidade fundada em 1988, com  longa trajetória na luta contra o racismo e suas múltiplas...

Perfeição do racismo brasileiro transforma algoz em vítima

O racismo é um crime perfeito. É com essa frase que o antropólogo Kabanguele Munanga, uma das maiores autoridades do Brasil em estudos raciais, define...
-+=