Racismo no aeroporto de Aracaju

Fonte: Consórcio Culturais –

 

Membro do Movimento Negro Unificado, da Sociedade Omolàiyé e o Coordenador de Políticas Públicas para Promoção da Igualdade Racial do Governo de Sergipe, Pedro Neto, estiveram reunidos hoje pela manhã com a coordenadora do Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), Georlize Teles, para falar sobre o caso de Diego José Gonzaga dos Santos, funcionário de uma empresa área que foi agredido verbalmente pela médica Ana Flávia Pinto, no aeroporto de Aracaju, no último dia 26.

O fato aconteceu por volta das 4h30, após a médica e o marido terem sido impedidos de embarcarem no voo por estarem atrasados. A equipe de reportagem do JORNAL DA CIDADE conversou ontem com Diego por telefone e ele disse que quando o casal chegou ao aeroporto o avião ainda estava no pátio, mas já com as portas fechadas para a decolagem. “Expliquei que eles seriam encaixados para embarcar no voo da tarde, mas ela queria embarcar naquele voo”, disse Diego.

Revoltada por ter que atrasar a lua-de-mel com destino a Argentina, a médica invadiu o balcão do check-in e chamou os funcionários de ‘bando de analfabetos’, ‘morto de fome que não tem dinheiro nem para comprar feijão’ e arrematou com um preconceituoso ‘nego’. Segundo Diego, a polícia já tinha sido acionada pela Infraero por conta de uma confusão anterior, também com um casal que não pôde embarcar porque a mulher informou estar grávida de sete meses, mas não tinha a autorização médica para viajar, conforme as regras aeroportuárias.

O vídeo da confusão, que foi postado no site Youtube no dia seguinte, já tem mais de 100 mil acessos e, segundo a delegada Georlize Teles, será utilizado como prova. “Todas as provas são fundamentais, mas o vídeo é uma boa prova. Acredito que a perícia não será necessária”, informou Georlize. A previsão é que o inquérito policial seja concluído em um prazo mínimo de 30 dias. Enquanto isso, os internautas aumentam a fila de comentários abaixo do vídeo que comprova toda a confusão, dando opiniões sobre o ocorrido e até detalhes sobre a vida da médica. Ontem à tarde a equipe de reportagem do JORNAL DA CIDADE entrou em contato com Ana Flávia. A médica atendeu a ligação, mas falou que não vai prestar nenhum tipo de depoimento, pois fora orientada por seus advogados a não se pronunciar sobre o caso. Ela nem mesmo disse se foi ou não para a lua-de-mel.

 

Veja o vídeo

Matéria original

+ sobre o tema

Brizola e os avanços que o Brasil jogou fora

A efeméride das seis décadas do golpe que impôs...

Milton Nascimento será homenageado pela Portela no carnaval de 2025

A Portela, uma das mais tradicionais escolas de samba...

Saiba os horários das provas do Concurso Nacional Unificado

Os mais de 2,5 milhões de candidatos inscritos no...

Aluno africano denuncia racismo em mensagem com suásticas nazistas na UFRGS; polícia investiga

Um estudante africano da Universidade Federal do Rio Grande do Sul...

para lembrar

Após sofrer racismo na escola, Kheris Rogers de 10 anos cria linha de roupas empoderadora

Você precisa conhecer Kheris Rogers, uma menina de 10...

Band humilha garis outra vez. Hélio Costa não vai fazer nada ?

Carta aberta à população (do Sindicato dos Garis e...

RACISMO NA ITÁLIA: Berlusconi: “Menos imigrantes igual a menos crimes”

Polémica em Itália após declarações de Silvio Berlusconi. Para...
spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=