Racismo: Se seu filho se apaixonasse por uma negra, o que você faria? Eu não corro esse risco e meus filhos foram muito bem educados

3595
id_omg_falei-94805562-1301404627

Não se fala em outra coisa no meio artístico a não ser sobre a entrevista de cunho racista dada pelo deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ) ao programa “CQC”, da Band, na noite desta segunda. O blog “Pronto, falei” foi atrás, então, do tal político que jurou ter entendido de forma errada a pergunta de Preta Gil.

O que foi ao ar (assista aqui): a filha de Gilberto Gil perguntou em um vídeo ao deputado: “Se seu filho se apaixonasse por uma negra, o que você faria?” A resposta foi chocante: “Ô, Preta, eu não vou discutir promiscuidade com quem quer que seja. Eu não corro esse risco e meus filhos foram muito bem educados e não viveram em ambientes como, lamentavelmente, é o seu.”

Nesta terça-feira à tarde, Bolsonaro se explicou: “Eu estava com um laptop na minha frente e ouvi a pergunta de maneira errada. Achei que ela estivesse falando de casamento gay. Eu não gosto da Preta, ela não é exemplo para ninguém. Mas é importante falar que eu não sou racista. Meu cunhado é negão. Não sei se eu posso te mostrar a foto dele. Ele é assim… uns 70% negro, meio miscigenado. Eu não teria problema algum que meu filho se casasse com uma negra, desde que não fosse alguém com o comportamento da Preta Gil.”

Quando perguntado se iria pedir desculpas a Preta pelo equívoco, Bolsonaro foi direto: “Não errei. Não vou pedir desculpas. Mas também não quero acusar a TV Bandeirantes”, diz o deputador que já respondeu a 20 processos na Câmara pedindo cassação de seu madato.

Procurado pelo blog, Ricardo Brajterman, advogado de Preta Gil, disse que a afirmação do parlamentar de que entendera de maneira errada a pergunta não atenua em nada as declarações dele: “É um caso similar a um sujeito que rouba laranjas e depois de descoberto resolve devolvê-las. O crime já foi feito.”

Além da indenização por danos morais, Brajterman vai entrar com um pedido de punição disciplinar junto às Comissões de Ética e dos Direitos Humanos da Câmara: “As declarações dele ferem o princípio da dignidade do ser humano. Não é possível que um parlamentar diga tais coisas que vão contra a nossa Constituição. Preta tem uma posição firma contra a intolerância racial e a homofobia e estou aqui para representá-la.”

 

Fonte: Yahoo

PortugueseEnglishSpanishGermanFrench