Representante da Fundação Palmares diz que cotas diminuem a desigualdade social

 

 

 

A professora Flávia Piovesan falou durante a audiência pública realizada no Supremo Tribunal Federal em nome da Fundação Cultural Palmares.Ela sustentou a compatibilidade das cotas com o sistema constitucional brasileiro.

Flávia Piovesan destacou que mulheres, crianças, povos indígenas, afro-descendentes, pessoas com deficiência, migrantes, dentre outras categorias demandam proteção especial. E, segundo ela, sob a perspectiva dos direitos humanos, as ações afirmativas em prol da população afro-descendente surge como um instrumento capaz de enfrentar a injustiça social e econômica.

“Para assegurar a igualdade, não basta apenas proibir a discriminação mediante legislação repressiva, pois a proibição da exclusão em si mesma não resulta automaticamente em inclusão”, disse ao defender as cotas.

Segundo ela, a própria Constituição prevê as ações afirmativas como medidas sociais de proteção com o objetivo de assegurar o progresso de certos grupos raciais ou étnicos e são consideradas medidas necessárias e legítimas para “remediar e transformar o legado de um passado discriminatório”.

Além disso, ela defende que as cotas são consonantes com a Constituição porque, desde 1988, os contratos de direitos humanos foram ratificados pelo Brasil para diminuir a desigualdade social.

“A adoção das cotas raciais tem amplo, consistente e sólido amparo jurídico”, disse a professora ao pedir que o Supremo Tribunal Federal (STF) “celebre o triunfo dos direitos fundamentais, dos quais é o maior guardião”.

Fonte: STF

+ sobre o tema

Pesquisa confirma: negros são desfavorecidos no setor metalúrgico

Uma pesquisa encomendada pela  Confederação Nacional dos Metalúrgicos da CUT...

Denúncias de racismo mais do que dobram no RS em 2022

As denúncias por racismo ou injúria racial no Rio...

Racismo: apesar de polêmicas, entidades sinalizam avanços

Associações e ativistas em defesa do negro apontam que...

Direito à memória

Eunice Farah, 77 anos, era uma foliã apaixonada e...

para lembrar

‘Me senti perdido’, diz vítima de racismo de torcedores do Chelsea

Ele foi impedido de entrar no metrô de Paris...

Lançado em Alagoas plano que visa diminuir homicídios contra jovens negros

A ação responde a uma demanda histórica dos movimentos...

Pixações racistas são encontradas na Universidade Federal de Uberlândia

Participantes do X Congresso Brasileiro de Pesquisadores Negros fizeram...

‘Nega do cabelo duro…’:Música de Luiz Caldas gera discussão em festa

A música “Fricote”, de Luiz Caldas (“Nega do cabelo duro, que...
spot_imgspot_img

Para os filhos que ficam

Os seus pais vão morrer. É ainda mais difícil se dar conta disso depois de um Dia das Mães, como foi o último domingo....

Mãe não é tudo igual

- Coloca um casaco, meu filho! - Na volta a gente compra, filha. É bem provável que muitos de nós já tenhamos ouvido alguns desses bordões...

Carta aos negacionistas: comprem um seguro de vida

Senhores negacionistas, Coube à nossa geração viver uma encruzilhada existencial: ou mudamos a forma de nos relacionar e habitar o planeta, ou simplesmente esse planeta...
-+=