Robeyoncé Lima: “Minha vitória é inspiração para as pessoas”

A bacharel em direito de 28 anos é a primeira mulher transexual nordestina a poder usar o nome social na carteira da Ordem dos Advogados do Brasil.

Por Débora Stevaux no Claudia

Robeyoncé Lima, 28 anos, é a primeira mulher transexual nordestina a poder usar o nome social na carteira da Ordem dos Advogados do Brasil. A pernambucana, bacharel em direito, também é a primeira a ter sido aprovada no Exame da Ordem de Pernambuco.

A filial da OAB no estado oficializou a decisão no início do ano. Até então, apenas um caso havia sido registrado no estado de São Paulo. A medida representa um passo em direção à igualdade e aos direitos da população trans, que sofre uma situação de extrema vulnerabilidade social no Brasil, o país que mais mata transexuais no mundo. 

+ sobre o tema

Noelia Presley, secretária de Suplicy: Pensava como mulher, tinha corpo de homem

Trans que assessora o secretário de direitos humanos da...

Jô Soares é elogiado após tratar Thammy Miranda no gênero masculino

  Thammy Miranda e Jô Soares Jô Soares trata Thamy Miranda...

Eu não soube desde sempre que era gay

Você só é gay se, lá no fundo, sempre...

para lembrar

‘Saí do casulo’: Transexual brasileira supera preconceito e faz sucesso no YouTube

Na adolescência, Amanda Guimarães desenvolveu algumas técnicas para faltar...

Indígena de 24 anos é o 1º a ingressar em mestrado na UFSCar

O estudante Lennon Ferreira Corezoma, de 24 anos, possui...

Mulheres negras conduzem debate para superação do racismo e sexismo no poder público

Feministas negras especializadas em política, saúde, relações sociais e...

Forte pra quê?

Quem nasceu e cresceu cercada por mulheres negras muito...
spot_imgspot_img

‘Minha história é de superação’, diz quilombola que é 1º lugar em Medicina

"Sou a primeira da minha descendência quilombola a entrar em uma universidade. Sou natural de Candiba, interior da Bahia, e desde pequena sempre quis...

Conheça a chef brasileira que foi a primeira mulher a entrar na Academia de Culinária da França

Nos últimos meses, circula na internet a informação de que a brasileira Célia Regina Miranda Dalla Colletta de Mattos, de 46 anos, é a...

“Microcefalia nunca me limitou; quero dar aula para alunos com deficiência”

Logo quando nasci fui diagnosticada com microcefalia, meu crânio era menor do que a média e por isso os médicos chegaram a dizer para...
-+=