quinta-feira, fevereiro 2, 2023
InícioÁfrica e sua diásporaEntretenimentoRoda de conversa no MAM – Rio discute solidão, movimento e imaginação...

Roda de conversa no MAM – Rio discute solidão, movimento e imaginação de pessoas negras

Evento híbrido acontece no sábado,04, às 16h, com artistas e pensadores do tema

Como no mundo em que vivemos podemos pensar para além das determinações do que está dado pelo fracasso do mundo como conhecemos? Esta provocação orienta a roda de conversa “Na tempestade giratória: extrapolar a solidão das existências”, que acontece no sábado (04/06), às 16 horas, no Museu de Arte Moderna do Rio. A mesa é composta por Bonaventure Ndikung, Camilla Rocha Campos e Jade Zimbra, com mediação de Ademar Britto e tradução de Leticia Santanna.

A atividade é gratuita e as inscrições podem ser feitas por meio do link: https://bit.ly/3t7GCFH. O evento, idealizado por Neymare Azevedo, fundadora da Ayabá Produtora Criativa e projeto Afrotonizar, é um convite para o exercício de movimentos e a experimentação de pensamentos que colaborem com o processo de liberação da capacidade de imaginação radical de pessoas negras e racializadas, para além dos moldes do que a violência e a solidão das existências condicionaram como regra. O público também pode assistir pelo canal do Afrotonizar no YouTube: https://bit.ly/3PPMGfR.

BIO DOS PARTICIPANTES 

Bonaventure Soh Bejeng Ndikung

Bonaventure Ndikung (Foto: Divulgação)

Bonaventure Soh Bejeng Ndikung, PhD (nascido em 1977 em Yaoundé, Camarões) é curador, escritor e biotecnologista. É fundador e director artístico da SAVVY Contemporary em Berlim e é o diretor artístico da Sonsbeek20-24, uma exposição quadrienal de arte contemporânea em Arnhem, Países Baixos. É diretor artístico dos 13os Encontros de Bamako 2022, uma bienal de fotografia africana no Mali. Ndikung foi o curador geral da Documenta 14 de Adam Szymczyk em Atenas, Grécia e Kassel, Alemanha em 2017; curador convidado da bienal Dak’Art em Dakar, Senegal em 2018; bem como director artístico dos 12º Encontros de Bamako em 2019. Juntamente com o Colectivo de Trabalhadores Milagrosos, foi comissário no Pavilhão da Finlândia na Bienal de Veneza, em 2019.Recebeu a primeira bolsa de residência para curadores da Universidade Internacional OCAD em Toronto, em 2020. Atualmente é professor no programa de mestrado Spatial Strategies na Academia de Arte Weissensee, em Berlim. A partir de 2023 assumirá o papel de Director na Haus der Kulturen der Welt (HKW) em Berlim.

Camilla Rocha Campos

Camilla Rocha Campos (Foto: Divulgação)

Artista, curadora, professora e escritora. Camilla Rocha Campos é codiretora do Instituto 0101 Art Platform, que promove experiências com a arte afro-diaspórica, e curadora da plataforma internacional de pesquisa EhChO. Coordenadora do programa de Formação e membro do conselho de educação da Escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Rio de Janeiro, Camilla atuou por dois anos também como coordenadora de Residência do MAM Rio. Com ampla atuação internacional, participou de residências artísticas, exposições e palestras na Saastamoinen Foundation (Finlândia), Lugar a Dudas (Colômbia), Tabacalera Estancias (Espanha), Q21 Museums Quartier (Áustria), UKS (Noruega), Bamboo Curtain Studio (Taiwan), Arika (Escócia), dentre outros. Atualmente, é a curadora da 11a Mostra de Arte 3M intitulada COR, CALOR, VALOR e da individual do pintor mineiro Sebastião Januário na Galera Periscópio (São Paulo). Desenvolve sua pesquisa artística de PhD na Goldsmiths University of London.

Jade Maria Zimbra

Jade Zimbra (Foto: Divulgação)

Jade Maria Zimbra, 1994, aqui está taróloga, poeta, feiticeira. Seu trabalho se revela nas interseções entre arte e magia, entendendo tanto os processos artísticos quanto as experiências vividas através da espiritualidade como articulações de autoconhecimento e de criação de possibilidades de vida e memória. Tecendo os fios que perpassam a escrita, a música, a fotografia, a performance e ferramentas ancestrais, como o tarot, encontra rastros dessas lembranças envenenadas alquimizando em antídotos que atravessam corpo-mente-espírito.

Ademar Britto Junior

Ademar Britto (Foto: Divulgação)

Ademar Britto Junior, colecionador e curador, tem formação em Estudos Curatoriais pela Escola de Artes Visuais do Parque Lage (Rio de Janeiro) e Node Center for Curatorial Studies (Berlim), além de ter frequentado como aluno especial o Programa de Pós-graduação em Artes Visuais da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Também é médico com formação sanduíche na Universidade do Estado do Amazonas e Université René Descartes-Sorbonne Paris V, especializado em Cardiologia e mestre em Ciências Cardiovasculares pelo Instituto Nacional de Cardiologia do Rio de Janeiro.“

Serviço:

O quê: Roda de conversa “Na tempestade giratória: extrapolar a solidão das existências”

Quando: 04/06, às 16 horas

Onde: MAM (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro) e canal do Afrotonizar no YouTube

Inscrições: gratuitas por meio do link https://bit.ly/3t7GCFH

Mais informações: @afrotonizar (Instagram)

Artigos Relacionados
-+=
PortugueseEnglishSpanishGermanFrench