Santos avalia racismo de torcida do Independiente e deve acionar Conmebol

Em meio ao caso Carlos Sánchez e a suposta escalação irregular, o Santos avalia uma prática racista cometida pela torcida do Independiente-ARG no empate em 0 a 0 na última terça-feira, em Avellaneda, pela ida das oitavas de final da Libertadores.

Por Lucas Musetti Perazolli , do Gazeta Esportiva 

Torcida do Santos foi alvo de racismo (Foto: Juan Mabromata/AFP)

O Peixe recebeu denúncias de torcedores presentes na decisão e deve acionar a Conmebol (veja um vídeo abaixo). O artigo 14 do regulamento de competições da confederação prevê punição por discriminação.

“Se as circunstâncias particulares de um caso o exigir, os órgãos judiciais competentes poderão impor sanções adicionais à Associação Membro ou clube responsável, como jogar uma ou mais partidas de portas fechadas, a proibição de jogar uma partida em um estádio determinado, a concessão da vitória do jogo pelo resultado que se considere, a dedução de pontos ou a
desclassificação da competição”.

O caso de racismo de alguns torcedores do Independiente é recorrente. O clube argentino chegou a pedir desculpas em nota oficial aos flamenguistas por ato semelhante na final da Copa Sul-Americana em 2017. O mesmo ocorreu com gremistas neste ano.

Santos e Independiente travam uma batalha extracampo. A Conmebol pode punir o Peixe por utilizar Carlos Sánchez com uma derrota por 3 a 0. A partida de volta será na próxima terça-feira, no Pacaembu.

Racismo na Torcida do @Independiente ! “Hincha” imita um macaco, em direção a Torcida do @SantosFC pic.twitter.com/G2ktwTN3Ub

— Marcello (@celosilvestre) 22 de agosto de 2018

+ sobre o tema

“A literatura tem permitido que crianças negras se valorizem como tal”

Autora de livros infantis sobre racismo e direitos humanos,...

Política do livro e leitura: africanidades e relações raciais

Programa No mês em que a cidade de São Paulo...

para lembrar

Curitiba – Campanha na capital diz “não ao racismo”

  A partir desta sexta-feira até o fim do mês,...

Como identificar o racismo dentro das empresas?

Um seminário promovido pela Seju em Maringá debate políticas...

Mark Zuckerberg fundador do Facebook se encontra com Merkel para discutir racismo

"A minha impressão é que o senhor Zuckerberg entende...
spot_imgspot_img

Caça aos livros

Está aberta a temporada de caça aos livros no Brasil! Mas atenção. A perseguição restringe-se à indicação pedagógica de certas obras capazes de promover o debate e a...

Debate racial ficou sensível, mas menos sofisticado, diz autor de ‘Ficção Americana’

De repente, pessoas brancas começam a ser degoladas brutalmente com arame farpado. O principal suspeito é um homem negro que sempre está na cena...

Universidade, excelência e compromisso social

Em artigo publicado pelo jornal O Estado de S. Paulo, no dia 15 de junho, o professor de literatura geral e comparada da Unicamp, Marcos...
-+=