São Paulo: Deputados criam CPI do Lixo para investigar acidente no aterro de Itaquá

A criação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a situação do aterro sanitário da Pajoan, na cidade de Itaquaquecetuba foi aprovada na última sexta-feira, 1 de julho, na Assembleia Legislativa de São Paulo.

O pedido de criação foi feito durante Audiência Pública realizada em Itaquá, dia 16 de junho, sob a coordenação dos deputados estaduais Alencar Santana, José Candido e Luiz Moura; do vereador de Itaquaquecetuba – Oscar Cabrera e das entidades ABIS, UMC e AACO.

Os deputados petistas, com apoio da assessoria da bancada do PT, se empenharam na criação da CPI, para isso eram necessárias 32 assinaturas, neste pedido o número foi superado, tendo 38 deputados assinado o documento.

A CPI será composta por nove membros, com a finalidade de, no prazo de 120 dias, investigar as causas e apurar as responsabilidades pelo desmoronamento de aproximadamente 450 mil toneladas de lixo do Aterro Pajoan, situado no município de Itaquaquecetuba, ocorrido em 25 de abril de 2011, após uma longa sequência de irregularidades, de geração de graves problemas ambientais, de insalubridade e de extremo desconforto para as comunidades que residem no entorno. Com o acidente, os municípios que destinavam seus resíduos sólidos para o local, assim como Arujá, precisaram encontrar outro aterro para efetuar o serviço.

Leia na íntegra a justificativa para a criação da CPI:

“O aterro sanitário encontra-se instalado em uma área de 1.000.000 m2 e recebia resíduos sólidos urbanos de nove cidades, com autorização da Agência Ambiental do Estado de São Paulo, a CETESB.

O empreendimento situa-se no Bairro Pinheirinho, entre os bairros Louzada e Jardim Lucinda. Além de Itaquaquecetuba atendia os municípios de Mogi das Cruzes, Poá, Suzano, Ferraz de Vasconcelos, Arujá, Salesópolis e Biritiba-Mirim.

Anteriormente ao acidente, a Pajoan já havia recebido 87 autuações da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), sendo 51 advertências e 36 multas, no montante de cerca de R$ 3 milhões. As autuações ocorreram devido a diversas irregularidades, como disposição inadequada de resíduos sólidos, falta de licença ambiental, emissão de odor e lançamento de chorume, entre outras.

A Cetesb, órgão que fornece as licenças prévia de instalação e de operação de aterros sanitários, a partir do segundo semestre de 2009 autorizava o funcionamento do aterro sanitário com uma licença ambiental precária, após interdição que durou três meses. A licença precária implicava a apresentação mensal de relatórios técnicos comprovando a segurança da operação e a obrigação de comunicação imediata de qualquer irregularidade. O encerramento definitivo das atividades do empreendimento estava estipulado para junho de 2012.

Com o desmoronamento de parte do maciço do aterro sanitário a área transformou-se em lixão a céu aberto e as cerca de 450 mil toneladas de lixo interditaram a Estrada do Ribeira e uma parte do lixo caiu na Estrada José Sgobin, que liga alguns bairros da cidade de Itaquaquecetuba e é uma das vias de acesso ao município de Arujá. A montanha de lixo chegava a uma altura de 12 metros.

A desinterdição da Estrada do Ribeiro demorou semanas trazendo sérios transtornos aos moradores que precisavam alongar seus trajetos por vários quilômetros, utilizando-se de outras vias. A lagoa de tratamento de chorume extravasou para o córrego Taboãozinho, que recebeu também, por um período, o líquido percolado drenado das milhares de toneladas de lixo espalhadas.

Técnicos da Cetesb constataram contaminação das águas do córrego Taboãozinho, afluente do rio Parateí, onde ocorreu mortandade de peixes na divisa dos municípios de Mogi da Cruzes com Guararema. Suas águas desembocam no Rio Paraíba, responsável pelo abastecimento da região do Vale do Paraíba. Apesar deste histórico a Pajoan tenta licenciar área contígua ao talude que desmoronou e voltar a utilizar o aterro como estação de transbordo do lixo gerado nos municípios da região.

Assinaram o documento os deputados: Alencar Santana, Luiz Moura, José Cândido, Carlos Grana, Heroilma Soares, Luiz Claudio Marcolino Luis Carlos Gondim, Geraldo Cruz, João Antonio, Olímpio Gomes, José Zico Prado, Donisete Braga, Dilmo dos Santos, Ana do Carmo, Afonso Lobato, Hamilton Pereira, Ana Perugini, Enio Tatto, André do Prado, Isac Reis, Edinho Silva, João Paulo Rillo, Marcos Martins, Reinaldo Alguz, Chico Sardelli, Adriano Diogo, Rita Passos, Antonio Mentor, Carlos Giannazi, Beto Trícoli, Ulysses Tassinari, Regina Gonçalves, Gerson Bittencourt, Pedro Bigardi, Marco Aurélio, Feliciano Filho, Telma de Souza e Leci Brandão.

 

Fonte: Jornal da ciadade de ARUJA

+ sobre o tema

Prefeitura de São José dos Campos retira obra sobre mulheres cientistas das escolas

A prefeitura de São José dos Campos (SP) recolheu...

A direita parlamentar parece ter perdido sua bússola moral

Com o objetivo de adular a extrema direita e...

Saiba quem são os deputados que propuseram o PL da Gravidez Infantil  

A Câmara dos Deputados aprovou, nesta quarta-feira (12), a...

para lembrar

Desemprego no país é o menor em 2 anos

O número de pessoas desempregadas em sete regiões...

Olívia Santana: Faremos de Salvador uma cidade de oportunidades

Por: Erikson Walla   A campanha eleitoral completou um mês no...

Campanha não é agressiva, mas “assertiva”, corrige candidata

A presidenciável Dilma Rousseff (PT) discordou nesta terça-feira que...

Dilma anuncia R$ 36 milhões para incentivar produção de livros a R$ 10

A presidente Dilma Roussef anunciou na tarde desta quinta-feira...

Com PL do aborto, instituições temem mais casos de gravidez em meninas

Entre 1º de janeiro e 13 de maio deste ano, foram feitas 7.887 denúncias de estupro de vulnerável ao serviço Disque Direitos Humanos (Disque...

‘Criança não é mãe’: manifestantes em todo o Brasil protestam contra PL da Gravidez Infantil

Diversas cidades do país receberam na noite desta quinta-feira (13) atos de movimentos feministas contra o projeto de lei que equipara aborto a homicídio,...

É sórdido condenar vítima de estupro por aborto

É sórdido e apequena a política o Projeto de Lei que ameaça condenar por homicídio meninas, jovens e mulheres que interromperem gestações, ainda que...
-+=