Secretária de Justiça de SP discorda de política de cotas raciais no Estado

 

A Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania de São Paulo vai propor ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) – e à sua base aliada na Assembleia Legislativa – que derrube qualquer tentativa de transpor para o Estado a política de cotas raciais praticada pelo governo federal e outras unidades da federação.

Em abril, o Supremo Tribunal Federal (STF), em votação histórica, foi unânime em afirmar a constitucionalidade do sistema de cotas, negando procedência a uma ação do DEM protocolada em 2006. A decisão deu novo ânimo aos deputados estaduais que, na Assembleia paulista, tentam transformar em lei estadual essa bandeira do movimento negro.

O mais recente projeto, do deputado Luiz Claudio Marcolino (PT), tramita na Casa desde maio. Estabelece cotas nas faculdades e universidades púbicas estaduais para negros, indígenas e portadores de deficiência. Lideranças do movimento trabalham para que a proposta seja votada antes do recesso parlamentar.

Mas Antônio Carlos Arruda, responsável pela Coordenadoria de Políticas Públicas para a População Negra e Indígena de São Paulo, ligada à Secretaria, avisa que dará parecer desfavorável. Embora se assuma como defensor das políticas afirmativas, ele rejeita a ideia de cotas, na qual vê um viés político-partidário. “Pode ao invés de beneficiar, prejudicar”, diz. Arruda defende um sistema diferente, de pontuação, já aplicado na Unicamp e em escolas técnicas.

 

 

Fonte: Correio do Brasil

+ sobre o tema

‘Internalização do racismo afeta a saúde’ por Jurema Werneck

Para a coordenadora da ONG Criola, Jurema Werneck, o...

Djamila: nenhum passo para trás nas ações afirmativas

Para a pensadora Djamila Ribeiro, é preciso resistir ao...

14 de maio: o dia que nunca acabou

Neste 13 de maio relembramos uma data simbólica para...

Fabricante de carros Tesla condenada a pagar US$ 137 milhões por racismo a ex-funcionário

Contratado por meio de uma agência de empregos, Owen...

para lembrar

Recy Taylor, a mulher negra estuprada por seis brancos que nunca foram condenados

Vítima relata em documentário agressão que sofreu em 1944...

E quando é um “playboy” quem desfere a facada?

Um tem 28 anos, é alto, forte, rico, branco...

Agenda de mobilização e incidência pela infância e adolescência do Brasil

“CARTA DE COMPROMISSO POLÍTICO” A partir da Constituição Federal de...

Vítima de racismo na Eslováquia, Adauto pensa em voltar ao futebol brasileiro

Fonte: Globo Esporte - Vítima de insultos racistas no...
spot_imgspot_img

Mortes pela polícia têm pouca transparência, diz representante da ONU

A falta de transparência e investigação nas mortes causadas pela polícia no Brasil foi criticada pelo representante regional para o Escritório do Alto Comissariado...

Presos por racismo

A dúvida emergiu da condenação, pela Justiça espanhola, de três torcedores do Valencia por insultos racistas contra Vini Jr., craque do Real Madrid e da seleção brasileira. O trio...

Formação territorial do Brasil continua sendo configurada por desigualdades, diz geógrafo

Ao olhar uma cidade brasileira é possível ver a divisão provocada pela segregação espacial no território, seja urbano, seja rural. A avaliação é fruto...
-+=