Secretário-Geral da ONU chega ao Brasil no dia 16 de junho

Brasília, 14 de julho de 2011 – Na quinta-feira, dia 16 de junho de 2011, chega a Brasília o Secretário-Geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, para uma visita oficial de dois dias. No primeiro dia de sua estadia na Capital, Ban se reunirá com a Presidenta do Brasil, Dilma Rousseff, com quem discutirá assuntos da agenda internacional. Em cerimônia no Palácio do Planalto eles assinarão o Marco de Assistência das Nações Unidas para o Desenvolvimento (United Nations Development Assistance Framework – UNDAF) 2012-2015, documento que norteia as ações do Sistema da ONU no País para os quatro próximos anos. Ainda na quinta-feira, o Secretário-Geral terá uma reunião com o Ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota, com os funcionários das Nações Unidas no País e com representantes da sociedade civil.

Ban Ki-moon também se reunirá com o Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, em encontro com lideranças da sociedade civil. No final da tarde, o Secretário-Geral terá encontros com o Presidente do Senado Federal, José Sarney, e o Presidente da Câmara Federal dos Deputados, Marco Maia.

Na sexta-feira, 17 de junho, o Secretário-Geral – que estará no Brasil acompanhado de sua esposa, a Sra. Ban Soon-taek – se encontrará com a Ministra de Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, e com a Ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, além do Presidente da Comissão de Relações Exteriores do Senado Federal, Fernando Collor. No final do dia, o Ban Ki-moon terá ainda uma reunião com Marina Silva, que faz parte do Grupo do Secretário-Geral dos Defensores dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio das Nações Unidas.

Esta é a terceira visita do Secretário-Geral Ban Ki-moon ao Brasil, desde que iniciou seu mandato em 1º de janeiro de 2007. Em sua primeira visita ao Brasil, em novembro de 2007, o Secretário-Geral esteve em uma usina de álcool na cidade de Jaboticabal no Estado de São Paulo e visitou a floresta Amazônica.

Já na segunda vez em que esteve no País, o Secretário-Geral participou do III Fórum da Aliança de Civilizações das Nações Unidas (Rio, 27 a 29 de maio de 2010); visitou a comunidade Babilônia/Chapéu Mangueira; e prestou uma homenagem aos militares brasileiros que perderam suas vidas no terremoto do Haiti. Nas duas ocasiões, Ban se encontrou com o então Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva.

A visita ao Brasil é a última etapa de uma viagem do Secretário-Geral das Nações Unidas pela América Latina. Antes de chegar ao País, Ban esteve na Colômbia, na Argentina e no Uruguai.

Clique aqui para acessar a biografia do Secretário-Geral.

+ sobre o tema

“É melhor morrer em pé do que viver de joelhos”

Quem ama as liberdades democráticas que se mire em...

Movimentos iniciam coleta de assinaturas pela Reforma Política

Plataforma de diversas entidades sociais precisa recolher 1,5 milhão...

Peritos das Nações Unidas avaliam condições de vida dos africanos em Portugal

Por: António Pereira Neves Genebra, 14 mai...

para lembrar

São Paulo de Kassab: Cidade em crise

Índices de desaprovação de Kassab evidenciam o esgotamento de...

Pai de neonazista escreve carta após filho ser identificado

A conta no Twitter @YesYoureRacist está identificando neonazistas que participaram...

Até quando a sabotagem conservadora poderá resistir?

por Saul Leblon A Folha quer ser...

Obama: Vitória do povo americano

Por: LUIZ CARLOS BRESSER-PEREIRA É hora de celebrar a vitória...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=