‘Ser ator negro é difícil’ diz Taiguara sobre a TV brasileira

Taiguara Nazareth, 35, ator que atuou na minissérie “Presença de Anita”, conversou com a coluna “Retratos da Vida”, do jornal “Extra”, e falou sobre sua carreira e sobre as dificuldades enfrentadas por atores negros no mercado da televisão.

Ele havia acabado de chegar de uma temporada nos EUA, quando descobriu que passou no teste para o primeiro e mais importante papel da sua carreira. Atuando em “Presença de Anita”, Taiguara protagonizou, completamente nu e ao lado de Vera Holtz, umas das cenas mais quentes da televisão brasileira.

Na época, com 24 anos, o sucesso fez com que o ator participasse da primeira edição do “Casa dos Artistas”, do SBT. Mesmo sem o prêmio, ele entrou em vários projetos: teatro, filmes, comerciais, gravou CD e algumas participações em novelas.

“Me arrependo de não ter usado e ousado mais naquele época. Achei que as pessoas podiam pensar que era oportunismo da minha parte me lançar como músico, por exemplo. Hoje, vejo que eu deveria ter sido oportunista mesmo e aproveitado mais”, disse o ator, modelo e atleta.

Taiguara também contou que ainda luta para vencer os preconceitos por causa da cor da sua pele: “É difícil encontrar personagens que se encaixem no meu perfil. Têm vários galãs da minha altura (1,91cm), mas negro, não. Esse discurso de que o mercado está aquecido para atores negros é mentira. De homem, apenas o Lázaro Ramos faz sucesso. Já mulher, tem um monte de lindas e talentosas. A verdade é que ser ator negro é difícil”.

Outro motivo que levou o artista a se afastar da TV foi a distância. “Como moro em Diadema, em São Paulo, fico distante do Rio e por fora dos testes que acontecem”, explicou ele, que mora sozinho numa casa próxima dos pais aposentados, um militar e uma enfermeira.

Hoje, já faz seis anos que Taiguara entrou para a política. Esse ano, ele se candidatou a vereador de Diadema, mas foi derrotado nas urnas. Porém a experiência lhe rendeu o convite de atuar na secretaria do esporte e da cultura da cidade, cargo que assume em janeiro.

“Vou me candidatar de novo, mas sem largar a carreira de ator. Estou com um projeto de teatro para o ano que vem e quero dar continuidade ao meu CD “, planeja o ator, que já sonha com as próximas eleições.

Mas se engana quem pensa que Taiguara fica apenas no ramo da política. Para complementar a renda, ele atua como gerente em uma corretora de imóveis e faz alguns trabalhos como modelo. “Foi a forma que eu arrumei de buscar minha independência financeira, já que a carreira de ator é difícil. Mas não vou desistir”, disse.

 

 

Fonte: Maria Preta 

+ sobre o tema

Impedidos de estudar, aprovados por cotas no Rio Grande do Sul entram na Justiça

Caso ocorrido em Santa Maria foi levado à Defensoria...

O Que é Raça?

A origem da palavra raça é obscura. A gradual e...

Na Bahia de pele preta, Segundo Sol é coberto por nuvens do racismo

A Bahia sempre está na moda. Agora, brilha no...

Atos são marcados em 27 cidades no exterior em apoio a protestos no Brasil

Brasileiros que vivem fora do País marcaram eventos por...

para lembrar

spot_imgspot_img

Uma supernova

No dia em que minha irmã nasceu, a Nasa fotografou uma supernova no universo. Quando minha irmã nasceu, foi uma das maiores alegrias da minha...

Número de crianças e adolescentes mortos pela polícia cresce 58% sob governo Tarcísio, apontam dados da SSP

O número de crianças e adolescentes mortos pela polícia aumentou 58% entre 2022 e 2023 — primeiro ano do governo de Tarcísio de Freitas (Republicanos) —,...

A ‘inteligência artificial’ e o racismo

Usar o que se convencionou chamar de "inteligência artificial" (pois não é inteligente) para realizar tarefas diárias é cada vez mais comum. Existem ferramentas que, em...
-+=