Serena quebra recorde de aces, bate Azarenka e vai à final de Wimbledon

Americana ex-número 1 do mundo busca seu quinto título no Slam britânico

Serena Williams está de volta à final de Wimbledon. Tetracampeã do torneio, a americana foi impecável no saque nesta quinta-feira e, com 24 aces disparados, derrotou Victoria Azarenka por 6/4 e 7/6(6) na segunda semifinal. O número de saques indefensáveis é um novo recorde do Grand Slam britânico em jogos femininos.

A marca anterior também pertencia a Serena e foi estabelecida na última semana, quando a ex-número 1 do mundo fez 23 aces diante da chinesa Jie Zheng. Naquela partida, porém, americana jogou três sets. Em sua sétima final (venceu em 2002, 2003, 2009 e 2010 e foi vice em 2004 e 2008), Serena vai enfrentar a polonesa Agnieszka Radwanska, atual número 3 do mundo.

A partida de sábado, além de decidir o torneio, definirá a nova dona do posto de número 1 do mundo. Com a queda precoce de Maria Sharapova, a liderança do ranking está entre Azarenka e Radwanska. Caso Serena conquiste o título, a bielorrussa será a número 1. Caso Radwanska seja campeã, assumirá a ponta da lista da WTA.

Devoluções definem primeiro set
Serena começou o jogo como fez no torneio inteiro: disparando aces e sacando bem. Azarenka não ameaçava no serviço da americana, mas conseguiu manter seu próprio saque. A tetracampeã arriscava quase sempre nas devoluções, mas sem sucesso. No oitavo game, porém, a agressividade da americana prevaleceu. Serena chegou, finalmente, a dois break points e não deixou a chance passar. Logo no primeiro ponto, alcançou uma curtinha de Azarenka e fez uma linda passada na paralela.

Com a quebra de vantagem, a ex-número 1 teve o saque para fechar a parcial e não vacilou. Abriu o nono game com dois aces e, dois ótimos saques depois, fez 6/3. Até o momento, Serena somava oito aces, 67% de aproveitamento de primeiro serviço e 94% de pontos vencidos com o fundamento.

As devoluções de Serena continuaram incomodando a bielorrussa no começo do segundo set.

Azarenka abriu o terceiro game com uma dupla falta e, depois de um ótimo retorno da americana, o placar mostrava 15/40. A número 2 do mundo encaixou um ótimo primeiro saque, mas Serena acertou uma devolução violenta na cruzada e conseguiu a quebra.

Vika seguia sem conseguir ameaçar a americana, mas finalmente acertou dois bons retornos no sexto game e chegou a um break point. Serena se salvou com um ace, mas cedeu outra chance de quebra em seguida. Desta vez, a americana pegou mal na bola e cedeu a quebra. Azarenka empatou a parcial em 3/3 e ganhou ânimo. Salvou dois break points no sétimo game e tomou a frente: 4/3.

O jogo seguiu parelho, e a decisão da parcial foi para o tie-break. O equilíbrio foi tanto no game de desempate que ninguém conseguiu um mini-break até o 13º ponto. Azarenka escapou de um match point no 5/6 quando Serena errou um lob. A bielorrussa, porém, jogou uma esquerda na rede e deu outro match point, agora no saque da americana. Outro ace – seu 24º, um novo recorde de Wimbledon – deu números finais à partida.

 

 

Fonte: Sportv

+ sobre o tema

Ateus afro-americanos, pertencentes à minoria da minoria, buscam solidariedade

Sentindo-se isolados de amigos e familías religiosas, ateus negros...

Bombom volta a se defender da ex-babá, que diz ter novas provas contra ela

A dançarina Adriana Bombom volta a se defender novamente...

Apontamentos da conjuntura e a luta do movimento negro

por Edson França Conjuntura Internacional: Vivemos num período de agravamento da...

Livro traz erotismo à flor da pele e contesta objetificação negra

“InCorPoros – Nuances de Libido”, feito em coautoria por...

para lembrar

Morre dançarina de funk Lacraia

Marco Aurélio Silva da Rosa, mais conhecido como a...
spot_imgspot_img

iAMO lança seu programa de residência artística audiovisual durante Festival de Cannes

O Instituto Audiovisual Mulheres de Odun (iAMO), presidido pela cineasta Viviane Ferreira, anuncia na sexta-feira, 17 de maio, o lançamento do seu Programa de...

Álbum de Lauryn Hill é considerado melhor da história em lista da Apple Music; veja ranking

Uma lista publicada pela Apple Music elegeu os 100 melhores álbuns de todos os tempos. Em primeiro lugar, a escolha foi para 'The Miseducation...

Inéditos de Joel Rufino dos Santos trazem de volta a sua grandeza criativa

Quando faleceu, em 2015, Joel Rufino dos Santos deixou pelo menos dois romances inéditos, prontos para publicação. Historiador arguto e professor de grandes méritos, com...
-+=