segunda-feira, novembro 23, 2020

    Tag: AMNB

    AMNB realiza ação online para debater sobre Mulheres Negras e o Bem Viver

    Reprodução/Facebook Nos dias 5,6 e 7 de junho, a Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB), realizará ação online para debater sobre Mulheres Negras e o Bem Viver. Do Facebook Durante a programação será lançado o calendário de luta da AMNB. A publicação faz referência a datas e memórias que marcaram a luta da população negra no Brasil, bem como, apresenta um pouco da história das organizações que compõe a Articulação. Confira programação completa e compartilhe: • 05 de Junho, terça-feira, às 14h - Mulheres Negras Pelo Bem Viver - Maria Malcher – Geógrafa e integrante do CEDENPA - Centro de Estudos e Defesa do Negro no Pará; • 06 de Junho, quarta-feira, às 10h - Bem Viver e Auto Cuidado das Mulheres Negras - Maria Lucia da Silva - Psicóloga, psicanalista, integrante do Instituto AMMA Psique e Negritude (SP); • 07 de Junho, quinta-feira, às 10h - Bem ...

    Leia mais

    Negras brasileiras trazem sua contribuição para os debates da CSW

    Evento paralelo à Comissão sobre o Estatuto da Mulher discute situação das descendentes de africanos; na sede da ONU em Nova York, negras brasileiras falam sobre duas opressões: o fato de serem negras e mulheres. no Unmultimedia Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York.  As missões do Brasil e dos Estados Unidos na ONU organizaram um debate sobre a situação das mulheres descendentes de africanos. O evento desta quarta-feira foi paralelo à 60ª sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher e ocorreu na sede das Nações Unidas, em Nova York. Convidada a participar do encontro, a mestre em Filosofia Djamila Ribeiro foi entrevistada pela Rádio ONU e lembrou que as brasileiras negras sofrem dois tipos de opressão. Raça e Gênero "Vivemos mais de uma opressão. Racismo, machismo, a questão também de mulheres lésbicas ou trans, quando somam mais de uma opressão. A gente precisa ter um olhar interseccional sobre ...

    Leia mais

    Veto Já! Contra o golpe em nossos corpos e direitos

    Contra o retrocesso, o racismo, a violência e Pelo Bem Por AMNB Enviado para o Portal Geledés O Congresso Nacional aprovou no último dia 09 de março o Projeto de Conversão nº 25 de 2015, referente às alterações propostas na Medida Provisória nº 696 de 2015, que trata da reforma administrativa e demonstrou mais uma vez, seu total desrespeito e descompromisso com as mulheres brasileiras. Assistimos perplexas a retirada da expressão “incorporação da perspectiva de gênero”, das atribuições da Secretaria de Políticas para as Mulheres do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial, da Juventude e dos Direitos Humanos, assim como, a especificação de um determinado acordo internacional datado de 1969, a Convenção Americana de Direitos Humanos, em detrimento das demais Convenções, Acordos e Tratados Internacional de Direitos Humanos que o Brasil ratificou durante as últimas cinco décadas. O afronta do Congresso Nacional ao estado democrático de direito, a estabilidade política, aos direitos adquiridos e aos compromissos internacionais assumidos pelo País, realizado por parlamentares representantes do ...

    Leia mais

    Carta aberta da AMNB ao estado Brasileiro

    NÃO A MP 696 Do AMNB A Câmara Federal dos Deputados aprovou no último dia 18 fevereiro a Medida Provisória 696/2016, que prevê mudanças na competência do Ministério das Mulheres, da Igualdade Racial e dos Direitos Humanos para reforçar que as políticas públicas terão de respeitar a vida "desde o momento da concepção" e retirou a obrigatoriedade para que as ações da pasta levem em conta a dimensão de gênero. Neste sentido, a Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB) vem a público denunciar mais este retrocesso e os constantes ataques que Congresso Federal vem perpetrando contra direitos adquiridos através da luta dos movimentos sociais. As medidas provisórias apresentadas pela Câmara dos Deputados, pelos representantes da direita reacionária fundamentalista, têm exigido de nós, mulheres negras, um posicionamento tão ou mais radical do que nos tem atingido. No reforço de garantir a Medida Provisória acerca do retrocesso dos direitos das ...

    Leia mais
    Lélia Gonzales (Foto: Acervo JG/Foto Januário Garcia)

    Prêmio Lélia Gonzalez estimula ação de entidades de mulheres negras

    Organizações de todo o país poderão desenvolver projetos de combate ao racismo que estavam comprometidos por falta de verbas.  O prêmio Lélia Gonzalez, que distribuiu na última semana R$ 2 milhões, será o incentivo para que 13 entidades brasileiras, que trabalham com a autoestima e a autonomia de mulheres negras, possam iniciar ou continuar executando seus projetos. Foto: Acervo JG/Foto Januário Garcia Por: Aline Leal O projeto Bahia Street, que há 18 anos cuida de meninas entre 6 e 17 anos em situação de vulnerabilidade social em Salvador, busca quebrar o ciclo da pobreza com educação e cidadania. Iniciado e desenvolvido com verba de entidades norte-americanas e há dois anos sem financiamento, a entidade vai usar o prêmio para ajudar a manter o centro de acolhimento, que recebe anualmente 75 meninas no turno contrário ao da escola. As meninas têm reforço escolar, aulas de artes, alimentação, orientações ...

    Leia mais
    AMNB Mulheres-Negras-BR

    AMNB vai denunciar situação da mulher negra brasileira na Organização dos Estados Americanos

    A Organização dos Estados Americanos (OEA) agendou audiência temática sobre as mulheres negras brasileiras para o dia 1º de novembro, durante a próxima sessão da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH), em Washington, D.C.. A audiência foi solicitada pela Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB) a fim de denunciar o Estado brasileiro pela ausência de políticas públicas para as mulheres negras. De acordo com a secretária executiva da AMNB, Simone Cruz, o propósito é "levar informações à CIDH sobre os graves problemas enfrentados pelas as mulheres negras no âmbito dos direitos humanos no campo da saúde e do trabalho doméstico no Brasil". Segundo estudo realizado pela AMNB, as mulheres negras são campeãs no exercício do trabalho doméstico sem os direitos trabalhistas garantidos e nas taxas de mortalidade por morte materna em consequência de complicações durante a gravidez, o parto e o puerpério. O estudo também aponta que, para ...

    Leia mais
    AMNB Mulheres-Negras-BR

    Carta da AMNB à Presidenta Dilma

    Excelentíssima Senhora DILMA ROUSSEFF Presidenta da República Federativa do Brasil Brasília – DF Excelentíssima Senhora Presidenta, A Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras – AMNB -, composta por vinte e oito entidades, está presente em quase todos os estados do país. A AMNB têm como missão institucional promover a ação política articulada de organizações não governamentais de mulheres negras brasileiras, na luta contra o racismo, o sexismo, a opressão de classe, a lesbofobia e outras formas de discriminação presentes em nosso país com vistas a contribuir para a transformação das relações de poder existentes no Brasil, visando a formação de uma sociedade equânime. É assentada na sua missão institucional que a AMNB ao longo dos seus 11 anos de existência tem realizado intervenções; monitoramento de políticas públicas direcionadas à população negra, em particular, aquelas que se referem diretamente às mulheres negras; participando de conselhos, como o da mulher, da ...

    Leia mais
    amnb mp 557

    Nota da AMNB sobre a Medida Provisória 557 de 26 de dezembro de 2011

    A Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras – AMNB -, que tem como missão lutar contra o racismo, o sexismo, a opressão de classe, a lesbofobia e outras formas de discriminação, tendo em vista o conteúdo da MP 557 de 26.12.2011 manifesta o que segue: - A morte materna é evitável na maior parte dos casos, mas tornou-se um grave problema da saúde pública no Brasil. Para nós, mulheres negras, a morte materna é vivenciada dramaticamente. Por termos em torno de nós toda uma comunidade a quem sustentamos econômica e afetivamente, a morte torna-se uma tragédia de amplo espectro. No Brasil, o risco das mulheres negras morrerem por causas relacionadas à gravidez, ao parto, ao pós-parto e ao abortamento é oito vezes maior do que o risco de mulheres brancas morrerem das mesmas causas. É fundamental destacar que por trás destes números está o racismo, que provoca descaso, negligência, ...

    Leia mais
    Foto: Elza Fiúza/Agência Brasil

    Representantes da AMNB fazem reunião com ministra Luiza Bairros

    Por volta do meio dia desta quinta-feira (14), as representantes de organizações de mulheres negras da AMNB, eleitas delegadas para a III Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres, reuniram-se com a ministra da Seppir (Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial), Luiza Bairros. Entre as pautas discutidas, estavam políticas específicas para mulheres negras. A ministra falou da situação geral da secretaria, colocando as limitações do orçamento e estrutura, que obrigam a secretaria a priorizar algumas pautas. Numa avaliação geral da atuação da Seppir neste ano de 2011, ela apontou as duas prioridades: questões envolvendo a juventude negra (mortalidade, principalmente) e trabalho doméstico. A ministra também convidou a AMNB para a reunião do CNPIR (Conselho Nacional de Políticas de Promoção da Igualdade Racial) que haverá em janeiro de 2012.     Fonte: AMNB

    Leia mais
    amnb

    Parcerias

    As parcerias de Geledés com outras organizações Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB) - foi fundada em setembro de 2002, sendo atualmente constituída por 27 entidades de todas as regiões do Brasil. AMNB foi criada com o objetivo inicial de contribuir para o protagonismo das mulheres negras durante o processo de realização da III Conferência Mundial Contra o Racismo, Xenofobia e Intolerâncias Correlatas (CMR), na África do Sul, em 2002. Na revisão de seus objetivos empreendida no período após a III CMR, as integrantes da AMNB redefiniram seu caminho de atuação, assumindo a tarefa de advocacy no terreno das políticas públicas nacionais, de modo a introduzir a perspectiva da igualdade racial e de gênero nos diferentes programas de ação governamentais, nos diferentes níveis da administração pública. Tem pautado sua atuação na elaboração de novos conceitos de desenvolvimento e de desenvolvimento econômico, na perspectiva de um modelo de desenvolvimento inclusivo, ...

    Leia mais

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist