sexta-feira, outubro 23, 2020

    Tag: Beyoncé

    Christian Ribeiro (Arquivo Pessoal)

    Sobre reis e rainhas, Wakanda e o complexo de sinhô e sinhá da intelectualidade brasileira

    Uma das formas mais cruéis do racismo, por sua sutileza – quando não dissimulação – e impactos profundos gerados em suas vítimas, é impedir que os grupos discriminados constituam e exerçam a sua própria voz, que reconheçam e valorizem as pluralidades e diversidades de suas próprias sapiências, perspicácias, valores e saberes enquanto grupo étnico-racial e social. Só podendo ser validado e respeitado, de maneira inconteste e legitimadora, os saberes e razões das elites, ou os que ela considera significativos, como se estas fossem as únicas portadoras da virtude intelectual, enquanto senhora das verdades científicas e dos padrões sociais e políticos que organizam o funcionamento de uma sociedade. Em outras palavras: “saber é poder/poder é saber” por isso um grupo socialmente dominante impõe aos outros suas normativas e ideologias impedindo a constituição ou desqualificando a circulação de saberes, de manifestações intelectuais que se constituam fora dos padrões hegemônicos e de controle ...

    Leia mais
    Beyoncé (Getty images)

    No aniversário de 39 anos de Beyoncé, relembre 5 vezes em que a cantora revolucionou a indústria musical

    Beyoncé Giselle Knowles-Carter, ou simplesmente Beyoncé, completa 39 anos nesta sexta-feira, 04 de setembro de 2020. Diva pop, mãe e ativista social, a cantora tem um legado simbólico para o show-business que vai além da música! O POPline preparou uma matéria especial mostrando 5 momentos em que Beyoncé revolucionou a indústria musical! 1. Ao ser a mulher mais premiada em uma única edição do Grammy Beyoncé fez história em 2010 quando foi a vencedora em 6 categorias do Grammy em 2010 pelo álbum “I Am… Sasha Fierce“. Até hoje, nenhuma outra cantora superou esse número de prêmios em uma só noite. Porém, isso é muito simbólico para além da quantidade de Grammies. Beyoncé é uma mulher negra norte-americana e nos Estados Unidos até 1957 existia o regime de segregação racial, em que negros não poderiam frequentar os mesmos locais que brancos. O preconceito racial era tão grande que a atriz Hattie McDaniel, vencedora do Oscar de melhor ...

    Leia mais
    Reprodução/Black is King

    A importância de Black is King e aquilo que podemos considerar uma crítica construtiva

    “Creio que quando nós negros contamos nossas próprias histórias podemos mudar o eixo do mundo e narrar a verdadeira história da prosperidade geracional e da riqueza da alma que não se conta em nossos livros de história” Beyoncé O filme musical da cantora pop Beyoncé Knowles, leva o nome de Black is King em referência a realeza negra. Em pouco mais de 1h de duração a Obra-filme traz elementos do movimento afro futurista, reacende o debate político-cultural em torno da identidade africana na diáspora e de como a história contada por nós pretos (as), não falará apenas de miséria, heróis brancos e escravizados pretos. Falar da miséria representa, objetivamente, a intervenção e usurpação do continente Europeu e suas consequências. Falar da riqueza em África significa transcender o debate e lançar luz sob a necessidade de um novo marco civilizacional que considere o legado africano. São debates que surgem com o ...

    Leia mais
    (Foto: Divulgação/ Disney+)

    Como Beyoncé permeou gêneros e revolucionou o mercado musical

    Com 12 álbuns, entre estúdio, apresentações ao vivo e versões de luxo, Beyoncé tem uma carreira muito vasta e diversa na música. A artista começou no pop e, com o poder do rádio, amadureceu o som, entrou para o movimento hip-hop e chegou a referências africanas. A cantora não só atingiu multidões, como se consolidou como um dos principais nomes da história da música sendo hegemônica nas listas de maiores sucessos dos anos 2000 e 2010. A carreira de Beyoncé, no entanto, não se atém ao sucesso que músicas e álbuns fizeram nesses quase 20 anos em que ela domina o mercado. A figura da artista é importante para a movimentação da indústria fonográfica de forma muito mais complexa. Ela possui a própria produtora, Parkwood Entertainment, tem direções nas distribuidoras HBO, Netflix e Disney + e tem a voz ouvida para muito além das mensagens que ela passa pela arte. ...

    Leia mais
    The Libraries Are Aprecciated, Jacob Lawrence, 1960 (Foto: Reprodução/Philadelphia Musem of Art)

    Nós, os brancos, e a nova partilha discursiva

    Mesmo tendo que ser muito cuidadosos com a “cultura do linchamento” e do “cancelamento”, há questões muito importantes no debate suscitado por uma figura respeitada como Lilia Schwarcz em relação ao direito de qualquer um de nós analisarmos criticamente a produção cultural contemporânea para além e independentemente do nosso “lugar de fala”. No caso, a produção é o álbum visual Black is king, de Beyoncé. Hoje, as controvérsias em torno da noção de “lugar de fala” e das “pautas identitárias” atualizam e repetem as reações hostis contra as cotas raciais reproduzidas por intelectuais brancos, utilizando argumentações muito semelhantes. O célebre e criticado “Manifesto contra as cotas raciais”, publicado em maio de 2006, tinha como título: “Todos têm direitos iguais na República Democrática”. Endossado por artistas e intelectuais reconhecidos como Lilia Schwarcz – que, em 2019 publicou em seu Facebook um pedido de desculpas pela adesão ao documento -, o abaixo-assinado invocava o “direito universal” para ...

    Leia mais
    Reprodução/Black is King/Disney

    O que o ‘medo branco’ tem a dizer sobre lugar de fala, raça, Beyoncé e cancelamento

     Para autora, onda de insatisfação com o tratamento da antropóloga Lilia Schwarcz pelo significante "branca" ensina que a posição de vantagem estrutural dos brancos em sociedades racistas pode aprisionar o grupo que a criou. No debate sobre lugar de fala, mercado epistemológico de raça e cancelamento que tomou a polêmica em torno do texto de Lilia Schwarcz sobre Beyoncé, um aspecto pouco elaborado é o do medo branco. Pude observar reações e sentimentos opostos (que também me acometem) por parte dos brancos com quem eu converso. A primeira e mais comum é um sentimento de solidariedade com Lilia Schwarcz, medo de ser o próximo a ser questionado. A outra reação é uma tentativa de se distanciar para afirmar uma branquitude mais crítica, ou seja: o medo de ser "igual". As duas reações fazem parte de um sentimento novo para nós brancos brasileiros. Significa que nossa racialidade está sendo marcada, algo ...

    Leia mais
    Reprodução/Black is King/Disney

    Black is King, ancestralidade e afro futuro

    O rei Leão foi lançado pela primeira vez em 1994 e, à época, pretendia fazer uma releitura do clássico do teatro Hamlet, ambientada nas savanas e representando os personagens da peça como animais do bioma africano. Na peça original, temáticas como a depressão, o suicídio, incesto e traição são retratados de forma dura porém poética. Como o Rei Leão da Disney é uma obra voltada ao público infantil, a adaptação suprimiu alguns temas sem deixar de suscitar as principais discussões da obra shakespeariana de uma forma mais apropriada para crianças. Intencionalmente ou não, o filme de 1994 acrescenta elementos à narrativa que se aproximam de uma visão de mundo particular. A ideia de equilíbrio, de respeito à vida, ancestralidade e de identidade foram reforçadas e introduzidas principalmente nos momentos de diálogo entre Simba e seu pai, Mufasa. Cerca de vinte anos após o lançamento da animação, as ideias e valores ...

    Leia mais
    DISNEY+/REPRODUÇÃO

    ‘Black is King’ de Beyoncé: imperialismo e representações negras no mainstream audiovisual estadunidense e raça e história como discursos

    Temos de começar este texto fazendo referência a uma recente colocação da respeitada professora e pesquisadora Lilia Schwarcz que, em artigo no jornal Folha de S. Paulo, escreveu que com relação ao seu novo álbum visual "Black is King" a cantora Beyoncé recorre a imagens estereotipadas  “e cria uma África caricata perdida no tempo das savanas isoladas”, “com muito figurino de oncinha, leopardo, brilho e cristal”. Depois, Lilia “ensina a ‘nosotros’” que já faz tempo que populações negras “tiraram a África do lugar da barbárie e revelaram um continente repleto de filosofias, cosmologias, técnicas, religiões, culturas materiais, imateriais e estéticas visuais”. Por fim, alegando que o novo álbum visual de Beyoncé representa uma “África essencial e idílica”, Lilia indaga que talvez esteja na hora de “Beyoncé sair um pouco de sua sala de jantar e deixar a história começar outra vez, e em outro sentido”.  Iremos tentar fazer aqui uma crítica mais aprofundada à produção ...

    Leia mais
    VALDA NOGUEIRA/ESPECIAL PARA O HUFFPOST BRASIL

    Black is King: álbum visual de Beyoncé já é histórico

    Você sabia que os egípcios eram negros? Aprendeu sobre História Africana na escola? Leu intelectuais negros na universidade? O apagamento da produção de conhecimento negra, também chamado de epistemicídio, é uma das formas de invisibilização produzidas pelo racismo. Em Black Is King, Beyoncé desafia as forças de morte impostas à cultura africana e mostra que, apesar de todas as tentativas de estigmatizar o que é negro como feio, ruim ou perigoso, nossa ancestralidade tem muito a nos oferecer. O processo de conscientização racial não é indolor. Uma pessoa negra, que vive na diáspora africana, fruto do sequestro em massa que deu origem ao sistema escravocrata no mundo há séculos atrás, precisa descobrir sozinha qual caminho percorrido por seus ancestrais. Não aprendemos sobre os antigos reinos africanos, não sabemos as histórias de grandes líderes, de civilizações e de invenções produzidas pelo continente, não sabemos nem de onde nossos familiares vieram ou ...

    Leia mais
    Reprodução/Black is King/Disney

    Historiadora que criticou Beyoncé se desculpa e culpa Folha por título

    A historiadora e antropóloga Lilia Moritz Schwarcz, especialista em ‘escravidão’ pediu desculpa pelo artigo “Beyoncé erra ao glamorizar negritude com estampa de oncinha” sobre o filme de Beyoncé , ‘Black is King‘ e culpou a Folha de S. Paulo pelo título após repercussão negativa do caso. O artigo também falava que “diva pop precisa entender que a luta antirracista não se faz só com pompa, artifício hollywoodiano, brilho e cristal”. Entretanto, nesta terça-feira (04), ela publicou um texto no Instagram, reconhecendo seu erro. “Passei as última 48 horas praticando a escuta. Conversei com pessoas amigas e críticas, e rascunhei essa mensagem inúmeras vezes. Não deveria ter aceito o convite da Folha, a despeito de apreciar muito o trabalho de Beyoncé; seria melhor uma analista ou um analista negro estudiosos dos temas e questões que a cantora e o filme abordam. Ao aceitar, não deveria ter concordado com o prazo curto ...

    Leia mais
    (Foto: DISNEY+/DIVULGAÇÃO)

    Beyoncé encanta fãs com o tão aguardado álbum visual ‘Black Is King’

    A rainha do pop Beyoncé lançou nesta sexta-feira (31) seu tão aguardado álbum visual, "Black Is King", um vídeo esteticamente ambicioso anunciado como complementar a seu álbum de 2019 com músicas inspiradas no remake da Disney de "O Rei Leão". A narrativa visual altamente estilizada lançada na plataforma de streaming Disney Plus dura uma hora e 25 minutos e, semelhante a "O Rei Leão", conta a história de um jovem que viaja por um mundo difícil, longe de sua família. O trabalho é uma ode à experiência negra, repleta de imagens vibrantes celebrando a diáspora africana, uma exploração estética da história negra, poder e sucesso que também faz referência a colonialismo, disparidade econômica e racismo. Beyoncé descreveu o álbum como um "trabalho de amor", que agora serve "a um propósito maior" do que seu papel original como peça complementar de "O Rei Leão: O Presente", em vista do clima sociopolítico ...

    Leia mais
    Reprodução

    Pela 1ª vez, quatro mulheres negras dominam o topo da Billboard Hot 100

    A música "Say So", de Doja Cat, chegou ao primeiro lugar na lista Hot 100 da Billboard. Na semana passada, o hit estava em 6º — o lançamento do remix com Nicki Minaj foi o que deu o impulso até o topo das paradas. Em segundo lugar, também está um remix: "Savage", de Megan Thee Stallion com Beyoncé. A ascensão dos dois hits representa um marco histórico: é a primeira vez desde a criação da Billboard que os dois primeiros lugares são ocupados por quatro mulheres negras. "Não consigo agradecer o suficiente por vocês se esforçarem tanto essa semana para nos ajudarem a fazer história. Eu vi tudo. Vocês nunca vão entender o quanto vocês me animam com todo o amor e apoio que sempre demonstram. Os amo tanto. Muito mesmo. Querida Doja Cat, obrigada por confiar em mim com o seu bebê. Espero ter atendido às suas expectativas. Você ...

    Leia mais
    Beyoncé (Foto: Evan AgostiniInvision/ AP/ File)

    Sem apresentar música, Beyoncé chama atenção para diferença racial entre vítimas do coronavírus

    Beyoncé foi uma das convidadas doOne World: Together at Home neste sábado, 18. O evento, organizado por Lady Gaga com parceria com a Organização Mundial da Saúde, procura levantar fundos para profissionais que trabalham diretamente com a contenção e tratamento do coronavírus. A cantora, porém, não fez uma apresentação musical. Sua apresentação foi para passar uma mensagem sobre a diferença racial entre as vítimas do covid-19. Segundo Beyoncé, 57% dos mortos pela doença, dentro de cidades, são afro-americanos. Isso pode ser consequencia da faixa de vulnerabilidade associada à posição socio-econônica. Pessoas negras, percentualmente, são mais marginalizadas, socialmente, e trabalham em empregos com maior contato humano - serviços básicos como mercado; não têm, tampouco, oportunidade de trabalhar de casa. Beyoncé reforçou, porém, que é necessário que todos se cuidem e façam o possível para se manterem em segurança em meio à pandemia de coronavírus.   Ver essa foto no Instagram   ...

    Leia mais
    Blue Ivy e Beyoncé na plateia do Grammy 2018 Imagem: Getty Images

    Com oito anos, Blue Ivy leva prêmio em evento de afro-americanos influentes

    A 51ª edição do NAACP Image Awards foi gravada na noite de ontem, e contou com a premiação de alguns dos afro-americanos mais influentes do país. Entre eles esteve Blue Ivy, de apenas oito anos. No UOL Blue Ivy e Beyoncé na plateia do Grammy 2018Imagem: Getty Images Na categoria Melhor Dueto, Grupo ou Colaboração, a garotinha, SAINt JHN, Beyoncé e WizKiD levaram o prêmio com a canção "Brown Skin Girl". Este não foi o primeiro troféu que a filha de Beyoncé e Jay-Z ganhou. Blue Ivy conquistou o Ashford & Simpson Songwriter's Award, no Soul Train Awards, pela escrita conjunta com a mãe do mesmo hit, "Brown Skin Girl". Entre os destaques desta edição do NAACP Image Awards, também estão o álbum e o documentário "Homecoming", de Beyoncé; a música "Juice", de Lizzo; Lil Nas X; Bruno Mars, Kelly Rowland; e o live action de ...

    Leia mais

    Beyoncé mostra detalhes de primeira coleção com Adidas. É bom se preparar!

    Todo mundo sabe que Beyoncé é uma das melhores pessoas do mundo. Como cantora, compositora, intérprete, empresária, enfim, a gente sabe que dona Knowles arrasa em tudo que encosta. E agora, a cantora cresce também com sua nova marca de roupas, a Ivy Park. Por Yuri Ferreira, Do Hypeness (Foto: Reprodução/Instagram.) A Ivy Park é focada em ‘athleisure’ ( athtletic + leisure, ou, em português, atlético e lazer), um estilo que busca trazer as roupas esportivas para o mundo fashion e para um lifestyle urbano. A cantora anunciou que sua marca irá entrar em uma parceria com a Adidas e uma nova coleção de roupas será lançada. Ela parece maravilhosa. A rainha estampou as fotos de divulgação da nova coleção que contará com jaquetas, tênis e outros modelitos a serem lançados. Segundo as postagens da rainha do pop, as novas peças da Ivy Park produzidas em ...

    Leia mais

    Beyoncé lançará documentário sobre gravações de The Gift, trilha de O Rei Leão

    Beyoncé Presents: Making the Gift vai ao ar amanhã, dia 16, nos EUA Por Julia Sabbaga, do Omelete Getty Images A ABC anunciou o lançamento de um documentário da Beyoncé, que foca nas gravações de The Gift, álbum da trilha sonora de O Rei Leão. Beyoncé Presents: Making the Gift vai ao ar amanhã, dia 16, nos EUA, mostrará o processo por trás de cada uma das faixas do disco. O trailer do programa especial pode ser conferido acima. The Lion King: The Gift, que tem curadoria e produção de Beyoncé, tem participações de Childish Gambino, Pharrell Williams, Kendrick Lamar, e outros. O remake de O Rei Leão chegou à sétima posição do ranking de maiores bilheterias da história, com US$ 1,56 bilhão, superando inclusive Os Vingadores (US$ 1,52 bilhão). O filme, que já é o maior "live-action" da Disney, segue em cartaz nos cinemas.

    Leia mais
    Beyoncé, Michelle Williams e Kelly Rowland devem voltar ao estúdio para gravar músicas inéditas em 2020 (foto- AFP)

    Beyoncé deve voltar ao estúdio com o grupo Destiny’s Child em 2020

    Segundo o tabloide inglês, a cantora estaria conversando com Michelle Williams e Kelly Rowland para voltar ao estúdio e gravar novas músicas CB Correio Braziliense Beyoncé, Michelle Williams e Kelly Rowland devem voltar ao estúdio para gravar músicas inéditas em 2020 (foto- AFP) Foi publicada neste domingo (4/8), em uma coluna do tablóide britânico The Sun, a informação de que a diva pop Beyoncé estaria planejando um retorno do grupo Destiny's Child, trio do qual fazia parte até 2005 com as colegas Michelle Williams e Kelly Rowland. Segundo o tabloide, Beyoncé estaria "desesperada para juntas as meninas novamente no estúdio", para gravar novas músicas. A retomada seria apenas uma celebração, já que a girlband estaria completando 20 anos, e foi inspirada no retorno recente das Spice Girls.

    Leia mais
    Imagem: Imagem do Youtube

    Clipe “Bluesman”, de Baco Exu do Blues, bate Beyoncé e vence prêmio em Cannes

    O clipe "Bluesman", do rapper Baco Exu do Blues, venceu hoje o grande prêmio da categoria Entertainment for Music (entretenimento para música) do festival Cannes Lions, principal láurea de um dos mais importantes eventos do mercado publicitário mundial. no UOL Imagem: Imagem do Youtube O vídeo brasileiro, dirigido por Douglas Bernardt e produzido pela Coala.lab. AKQA, Stink e 999, dividiu o prêmio com "This is America", de Childish Gambino, superando "Apeshit", do casal Beyoncé e Jay-Z , e "Oh Baby", do grupo LCD Soundsystem. O Brasil já venceu em outras categorias do festival, mas é a primeira vez que uma produção nacional leva o grande prêmio em entretenimento para música. "A primeira coisa que pensei quando soube da notícia foi sobre a importância disso para o rap nacional. Ver o rap brasileiro chegando, disputando com o rap estrangeiro e ganhando espaço entre eles é muito impactante", ...

    Leia mais
    Beyonce (Foto: Evan AgostiniInvision/ AP/ File)

    Lemonade, da Beyoncé, chega às plataformas de streaming três anos após lançamento

    O disco que era exclusivo da plataforma Tidal estará disponível a partir do dia 23 de abril Do Rolling Stone Beyoncé (Foto: Evan AgostiniInvision/ AP/ File) Três anos atrás, a cantora Beyoncé surpreendeu a indústria musical com um seu inesperado disco, Lemonade. O álbum visual estreou em 2016 na HBO e o material só foi disponibilizado pela plataforma Tidal. Mas agora, será a primeira vez que o catálogo completo da artista estará disponível no Spotifye na Apple Music, principais serviços de streaming. O disco chega no dia 23 de abril, no aniversário de três anos de estréia do disco. O projeto ocupou o primeiro lugar no Top 200 da Billboard, com 653 mil unidades comercializadas no dia do lançamento. Além disso, a cantora foi a primeira mulher a colocar 12 faixas no Hot 100 da Billboard. Na última quarta, 17, Beyoncé lançou o documentário Homecoming, que conta a história por trás da sua icônica apresentação no ...

    Leia mais
    (Instagram/Reprodução)

    Michelle Obama agradece Beyoncé pelo documentário ‘Homecoming’ da Netflix

    A própria ex-primeira dama dos Estados Unidos chamou Beyoncé de "Queen" e a agradeceu pela importância do documentário para as pessoas negras. Por Alice Arnoldi, do MdeMulher  Michelle Obama e Beyoncé(Instagram/Reprodução) Com o sucesso do documentário “Homecoming” na Netflix e também do álbum com o mesmo nome, Beyoncé ganhou uma homenagem especial na última quinta-feira (18). A ex-primeira dama dos Estados Unidos, Michelle Obama, postou um vídeo no Instagram agradecendo a Queen B pela produção da plataforma de streaming. Sempre com muita classe, Michelle apareceu sentada em uma poltrona azul falando diretamente para a câmera, como se estivesse em uma conversa particular com Beyoncé. “Olá, rainha! Você conseguiu de novo. Sempre nos estimulando a ir além de um jeito impecável. Eu queria dizer que eu estou surpresa, mas sei quem você é. Eu tenho testemunhado de perto. Você me deixa tão orgulhosa. Te amo!”, declarou a ex-primeira dama logo de cara. Depois desse ...

    Leia mais
    Página 1 de 7 1 2 7

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist