TERREMOTO HAITI:Celebridades promovem show nos EUA para ajudar Haiti

 

 

 

 

 

 

 

NOVA YORK – Estrelas da música, cinema, esportes e até políticos se uniram ontem durante o show teleton “Esperança para o Haiti Agora” em apoio às vítimas do terremoto que atingiu o Haiti na semana passada. Foram duas horas de espetáculo, concluído com um apelo feito pelo cantor haitiano que vive no país, Wyclef Jean, pela reconstrução do país devastado. A celebração final, contrastou com a abertura do concerto, quando foram exibidas, em silêncio, fotos da tragédia que provocou as mortes dos cidadãos no Haiti.

“O povo haitiano precisa de sua ajuda”, disse George Clooney, que ajudou a organizar o show de duas horas, realizado ontem. “Eles precisam saber que não estão sozinhos. Precisam saber que nós ainda nos importamos”, disse. Depois foi a vez do apelo da atriz Halle Berry e do músico Bruce Springsteen, que dedicaram a música “We Shall Overcome” para o Haiti.

O evento reuniu celebridades como Mel Gibson, Reese Witherspoon e Julia Roberts, Brad Pitt, enquanto a CNN apresentava matérias sobre a caótica situação do Haiti, em meio aos escombros, e com pessoas gravemente feridas. A maior parte das performances foram de canções emotivas, interpretadas por Kid Rock, Keith Urban, Sheryl Crow, Chris Martin, do Cold Play, Beyonce, entre outras estrelas. Jay-Z, Rihanna e o vocalista do U2 cantaram “Stranded (Haiti Mon Amour)”, uma nova canção, em homenagem ao país. Madonna cantou “Like a Prayer”, em momento mais descontraído da apresentação.

Desde que foi atingido pelo terremoto do dia 12 de janeiro, que provocou a morte de mais de 200 mil pessoas, o Haiti vem recebendo apoio das celebridades, que já enviaram milhões dólares em doações para o país.

Wyclef Jean deu um dos depoimentos mais emocionantes da noite, falando sobre sua experiência ao testemunhar a devastada nação. “Eu carreguei corpos do meu povo para o cemitério. Ele deveriam estar andando. Em vez disso, estavam em meus braços. Temos que assegurar que uma segunda onda de desastre não atinja o país”, declarou. Ele encerrou sua participação com uma mensagem no dialeto creole para o povo haitiano. A Fundação Yele Haiti é um dos grupos que irá se receber as doações. Recentemente Jean foi criticado pelos gastos excessivos da entidade. No show, ele anunciou que uma nova empresa fará a contabilidade da fundação.

O teleton foi transmitido para Nova York, Londres, Los Angeles e Haiti, em inúmeros canais de televisão, além de ser colocado no YouTube e MySpace.

Fonte: Estadão

+ sobre o tema

Salvador diz não à violência e marcha pela paz

    Salvador será palco, amanhã (17), a...

A leveza e o soul de Liniker chegaram ao programa ‘Tiny Desk’, nos EUA

Cantora e sua banda, os Caramelows, foram destaque na...

Itaú Cultural Play estreia mostra dedicada ao cineasta Zózimo Bulbul

A partir de 5 de novembro (sexta-feira), a Itaú...

para lembrar

Literatura Africana Contemporânea

A literatura africana contemporânea não tem recebido, especialmente...

Afrofuturismo: conceito que ganhou projeção com ‘Pantera Negra’ se alastra pelas artes

Movimento mescla tradições africanas com ficção científica e fantasia...

Não vou mais lavar os pratos – poesia de Cristiane Sobral

Não vou mais lavar os pratosNem vou limpar...

Haitianos gravam vídeo em resposta às críticas de Luciano Huck

“Depois do que vi, acho que a humanidade não...
spot_imgspot_img

Segundo documentário sobre Luiz Melodia disseca com precisão o coração indomado, rebelde e livre do artista

Resenha de documentário musical da 16ª edição do festival In-Edit Brasil Título: Luiz Melodia – No coração do Brasil Direção: Alessandra Dorgan Roteiro: Alessandra Dorgan, Patricia Palumbo e Joaquim Castro (com colaboração de Raul Perez) a partir...

Violência contra territórios negros é tema de seminário com movimentos sociais em Salvador

Diante da escalada de violência que atinge comunidades negras e empobrecidas da capital e no interior da Bahia, movimentos sociais, entidades e territórios populares...

Flávia Souza, titular do Fórum de Mulheres do Hip Hop, estreia na direção de espetáculo infantil antirracista 

Após mais de vinte anos de carreira, com diversos prêmios e monções no teatro, dança e música, a multiartista e ativista cultural, Flávia Souza estreia na...
-+=