Torto Arado: Livro vencedor do Prêmio Jabuti vai virar série pela HBO Max com diretor de O Cheiro do Ralo

Sob direção de Heitor Dhalia, gravações da produção começam em 2023.

Um dos livros nacionais mais importantes dos últimos anos, Torto Arado vai ganhar uma adaptação. O trabalho de Itamar Vieira Junior será transformado em série pela HBO Max, serviço de streaming que chegou em solo brasileiro em junho do ano passado e, desde então, tem selado compromisso em conduzir diversas produções locais. 

O projeto será comandado por Heitor Dhalia, diretor de O Cheiro do Ralo e responsável por alguns episódios de Arcanjo Renegado. O cineasta detém os direitos de adaptação da obra. A equipe de roteiristas é formada por cinco mulheres negras, entre elas Luh Maza, Maria Shu e Viviane Ferreira.

O diretor explicou ao jornal Folha de S. Paulo que a decisão de levar a trama “de muita densidade” ao universo das séries se deve à “era de ouro” da linguagem. “É o formato contemporâneo, o que o espectador atual está querendo consumir”, disse ao veículo. “O Itamar não constrói só uma narrativa, mas um universo. A história se passa em cem anos, e cada frase tem o poder de abrir uma verticalidade de novas proposições.”

“Enquanto estávamos fechando o contrato, o tamanho de Torto Arado mudou”, explicou o cineasta ao jornal. “Conquistou corações e mentes de uma geração. E, de repente, aquela nossa adaptação virou uma grande responsabilidade.”

Dhalia já encara o projeto como uma série de três temporadas, que deve reproduzir os três atos da obra. Ainda não há previsão de estreia para a produção, mas as filmagens estão confirmadas para 2023.

+ sobre o tema

Equidade Racial no Nordeste

  Programa de Equidade Racial e Inclusão social no...

Rosa Parks será primeira afro-americana com estátua no congresso dos EUA

Rosa Parks será primeira afro-americana com estátua no congresso...

Djavan lança álbum ao vivo com registro de show feito há 25 anos na Suíça

Em 5 de julho de 1997, Djavan subiu ao palco do...

Relatos de cativos no Brasil em 1ª pessoa revelam de forma pungente seu sofrimento

Histórias chegaram a virar enredos nos Estados Unidos POR LEONARDO...

para lembrar

Marinha agride, intimida e ameaça comunidade quilombola na Bahia

OS POUCOS QUILÔMETROS que separam a guarita fortemente vigiada...

É significativo que 13 de maio não seja feriado

Não que o Brasil precise de mais um feriado,...

África pop da Imperatriz quer exaltar o negro e combater o preconceito

Carros coloridos têm inspiração em trabalho de artista e...
spot_imgspot_img

A esperança de Martinho em “Violões e cavaquinhos”

Martinho da Vila já brincou mais de uma vez que estava cansado de cantar que a vida ia melhorar, em referência ao refrão do clássico...

Aos 105, Ogã mais velho do Brasil, que ajudou a fundar 50 terreiros só no Rio, ganha filme e exposição sobre sua vida

Luiz Angelo da Silva é vascaíno e salgueirense. No mês passado, ele esteve pela primeira vez no estádio de São Januário, em São Cristóvão,...

Mostra sobre Lélia Gonzalez vê negros e indígenas como centro da cultura nacional

As escolas de samba do Rio, os blocos afro da Bahia, as congadas de Minas Gerais, as comemorações da Semana Santa e do Natal. O que todas essas celebrações têm...
-+=