Tropas da ONU sofrem novas acusações de abuso sexual na República Centro-Africana

A força de manutenção de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) na República Centro-Africana foi alvo nesta quarta-feira (11) de novas acusações de abuso sexual, reveladas por uma investigação da Thomson Reuters Foundation, em meio a preocupações crescentes com o fracasso do combate a esses abusos.

No Brasil Post 

Três meninas adolescentes que tiveram de sair de suas casas por causa dos confrontos no país afirmaram à fundação que mantiveram relações sexuais com soldados congoleses das tropas da ONU durante semanas, resultando em pelos menos duas gestações.

As meninas, com idades entre 14 e 17 anos, moram em abrigos temporários em campos que ficam próximos à base de 500 militares da força de paz da ONU, a maioria da República Democrática do Congo, Bangladesh e Camarões.

A idade mínima para sexo consensual na República Centro-Africana é 18 anos. Relações sexuais entre soldados da tropa de paz e civis são proibidas de acordo com protocolo da organização internacional.

As acusações são as mais recentes de uma série de denúncias contra a força de 11.000 soldados conhecida como Minusca, que opera no país desde abril de 2014.

A força de paz, cujo mandato faz referência à “proteção de mulheres e crianças”, foi envolvida em uma série de escândalos de abuso sexual no início do ano, e o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon, prometeu reprimir a prática.

Uma das meninas que falou à Thomson Reuters Foundation disse ter 14 anos. Ela já teve um filho desde que a sua relação com o soldado congolês começou.

Outra menina, de 17 anos, com sete meses de gravidez, afirmou que o soldado aparecia com regularidade.

“Ele me dava dinheiro, mas ele não tem vindo me ver recentemente”, disse ela em entrevista no abrigo em que agora mora.

+ sobre o tema

Homem que furou olhos da ex-mulher vai a júri popular em Goiânia

Crime aconteceu em agosto de 2013, quando ex-marido também...

Alexandre Couto Joppert, promotor do RJ, afirma que estuprador “ficou com a melhor parte”

Declaração foi feita durante aplicação de prova oral; Alexandre Couto...

para lembrar

Rede de atendimento à mulher vítima de violência é precária em todo o país

A precariedade no serviço de atendimento às mulheres vítimas...

Denúncias de violência contra a mulher sobem 600% em 6 anos

Casos de agressão comunicados ao serviço Ligue 180, do...

Femicídio, por Jessier Coelho

(O Popular) Consoante o Instituto Avante Brasil, em 2010, uma...

Mara Rúbia: Ele veio com muita força e furou o meu olho

Vítima depõe em Goiânia e relata que ex-marido sempre...
spot_imgspot_img

O precário e o próspero nas políticas sociais que alcançam a população negra

Começo a escrever enquanto espero o início do quarto e último painel da terceira sessão do Fórum Permanente de Pessoas Afrodescendentes, nesta semana na...

Líderes da ONU pedem mais ação para acabar com o racismo e a discriminação

Esta terça-feira (16) marcou a abertura na ONU da terceira sessão do Fórum Permanente de Afrodescendentes, que reúne ativistas antirracismo, pessoas defensoras dos direitos...

Brasil finalmente considera mulheres negras em documento para ONU

Finalmente o governo brasileiro inicia um caminho para a presença da população afrodescendente no processo de negociação de gênero na Convenção-Quadro das Nações Unidas...
-+=