‘Vítima o reconheceu duas vezes’, diz delegado sobre prisão de ator

Vinícius Romão de Souza, de ‘Lado a lado’, foi preso em flagrante acusado de assalto. ‘Não parecia passar necessidade’, afirma atual chefe.

Por: Thaís Sant´Anna

A prisão do ator Vinícius Romão de Souza, que atuou na novela “Lado a lado”, – acusado de ter agredido e assaltado uma mulher no Méier, Zona Norte do Rio no último dia 17 – causou polêmicanesta segunda-feira, 24.  Segundo a Rádio Globo,amigos do jovem dizem que a prisão foi injustiça e que ele foi vítima de preconceito.

De acordo com o delegado Niandro Ferreira Lima, da 25ª DP – Engenho Novo, responsável por registrar a ocorrência, Vinícius foi preso em flagrante, após descrição da vítima. Sobre a acusação de que a prisão do jovem teria sido motivada por preconceito: “Não acredito que seja por aí. Até porque foi a vítima que descreveu o agressor”, declarou o delegado ao EGO.

Niandro também falou que tomou conhecimento de vídeos que mostrariam que Vinícius está com uma roupa diferente do assaltante. “Não tive acesso a esses vídeos, que mostrariam que Vinícius estaria de calça jeans, enquanto o ladrão usava bermuda. Mas a vítima apontou Vinícius como o assaltante duas vezes, no local do crime e da delegacia”, diz ele.

vinicius romao facebook3

O delegado não sabe ainda quando terá acesso às imagens, mas, caso realmente tenha acontecido algum engano ou apareça uma nova informação, ele afirmou que ouvirá novamente a vítima e mandará um novo ofício ao Tribunal de Justiça. “Ele foi encaminhado à Casa de Detenção Patrícia Acioli (em São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio). Por enquanto, ele segue como réu, ainda não é condenado, e está respondendo ao crime”, explicou.

‘Não passava por necessidades’

Vinícius estava começando a carreira de ator e, por isso, fazia trabalhos paralelos para complementar a renda. Atualmente, ele estava como vendedor da loja Toulon, no NorteShopping, no Rio. “Ele começou para completar a equipe no Natal e, como teve um bom desempenho, foi efetivado”, relatou Tony, gerente do estabelecimento, ao EGO.

Ainda segundo ele, Vinícius era um rapaz tranquilo e querido por todos. “Todo mundo gostava dele aqui”, contou ele, que acredita que a prisão do ator tenha sido engano. “Ele não demonstrava que estava passando necessidade a ponto de ter que cometer um ato desses”.

Até o momento da publicação desta matéria, às 18h36, a reportagem não conseguiu falar com o advogado de Vinícius.

Entenda o caso

De acordo com o jornal “O Globo”, Vinícius Romão de Souza, de 27 anos, está preso desde o último dia 10, depois de deixar a loja em que trabalha e ser abordado por dois policiais. O ator, detido na Rua Amaro Cavalcante, no Méier, no Rio, foi acusado de assaltar uma copeira do Hospital Pasteur. Ele foi obrigado a se deitar de bruços no chão e foi levado à 25ª DP, onde foi reconhecido pela vítima.

Segundo o advogado de Vinícius, Rubens Nogueira de Abreu, vídeos de segurança do hospital e de prédios vizinhos mostram que o verdadeiro ladrão, que também era negro, vestia apenas uma bermuda, enquanto Vinícius estava com uma calça e uma camisa pretas. Ele informou que já entrou com um pedido de liberdade provisória, que ainda não foi apreciado pela Justiça. O ator permanece detido na Casa de Detenção Patrícia Acioli, em São Gonçalo, para onde foi levado no dia 11 de fevereiro.

A prisão de Vinícius ganhou grande exposição na internet, já que amigos do ator fazem campanha para que ele seja solto e dizem que ele foi vítima de preconceito.

 

 

Fonte: Ego

+ sobre o tema

Sete anos ação afirmativa na ufba

Na manhã de 17 de maio de 2004,...

“Eu africanizo São Paulo”

VEJA A GALERIA Festival WAPI BRASIl 2011...

Unegro comemora 23 anos e empossa nova coordenação na Bahia

A União de Negros pela Igualdade – Unegro...

Dançarinos africanos de Moçambique ensinaram ritmo à cantora Beyoncé

Os dançarinos moçambicanos Mário e Xavito, pertencentes ao grupo...

para lembrar

spot_imgspot_img

Quanto custa a dignidade humana de vítimas em casos de racismo?

Quanto custa a dignidade de uma pessoa? E se essa pessoa for uma mulher jovem? E se for uma mulher idosa com 85 anos...

Unicamp abre grupo de trabalho para criar serviço de acolher e tratar sobre denúncias de racismo

A Unicamp abriu um grupo de trabalho que será responsável por criar um serviço para acolher e fazer tratativas institucionais sobre denúncias de racismo. A equipe...

Peraí, meu rei! Antirracismo também tem limite.

Vídeos de um comediante branco que fortalecem o desvalor humano e o achincalhamento da dignidade de pessoas historicamente discriminadas, violentadas e mortas, foram suspensos...
-+=