Vítimas de racismo receberão atendimento psicológico gratuito no Distrito Federal

A ideia é fruto de acordo entre Defensoria Pública e Secretaria de Promoção da Igualdade Racial

Pessoas que forem vítimas de racismo, a partir de agora, e que quiserem ou necessitarem de atendimento psicólogico, serão encaminhados para uma unidade do Plano Piloto, no Setor Comercial Sul, que mantém uma equipe de psicólogos.

Quando um cidadão vítima de preconceito racial registrar reclamação pessoalmente ou pelo 156, será direcionado para as unidades da Defensoria Pública do DF, com sedes em todas as cidades do DF.

Na unidade os psicólogos farão uma triagem dos casos. As ocorrências mais simples receberão orientações e acompanhamentos mais prolongados serão encaminhados para uma rede conveniada.

A iniciativa do atendimento psicológico integrado à orientação jurídica é fruto de uma parceria entre a Defensoria Pública e a Secretaria Especial de Promoção da Igualdade Racial.

A expectativa é que ONGs, universidades e clínicas se tornem parceiras do projeto e atendam em todas as cidades, o que dará mais comodidade aos cidadãos.

 

Racismo Brasil 

 

Fonte: R7

+ sobre o tema

Todos os dias uma ação de intolerância e racismo no Brasil

Mais um caso de intolerância, desta vez em Foz...

Ataques racistas provocaram 71 mortos na Rússia em 2009

  Em 2009, 333 pessoas sofreram agressões racistas...

Após questionar socorro a baleados, professora é agredida e presa por PMs de SP

Mulher foi agredida por quatro policiais na madrugada deste sábado...

para lembrar

Vinte e duas associações de afro-descendentes queixam-se de Portugal à ONU

País está a ser avaliado no Comité das Nações...

Empresa é condenada a indenizar empregada que sofreu racismo no trabalho

Uma empresa deve zelar pela boa-fé, urbanidade e pelo respeito à...

TV Globo nega racismo em foto sobre ‘diversidade’ só com mulheres louras

Dezessete mulheres louras, brancas, de cabelos lisos se enfileiram...
spot_imgspot_img

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...

Homens, o tema do aborto também é nossa responsabilidade: precisamos agir

Nesta semana, a escritora Juliana Monteiro postou em suas redes sociais um trecho de uma conversa com um homem sobre o aborto. Reproduzo aqui: - Se liberar o...
-+=