Você quer escrever?

Por Fernanda Pompeu

Quem aí em frente da telinha do computador gosta de escrever? Levante a mão aquele que já pensou em fazer um romance, um conto, dois poemas, um roteiro de cinema. Quantos de vocês mantêm um blog atualizado? Aposto que é gente para dedéu.

Gente em quantidade e vontade. Afinal escrever é quase uma extensão do pensamento. É a forma mais direta de registrar nosso recado para que os outros o saibam. Também é uma oportunidade de dizer: “Presente. Estou aqui.”
O porto de partida para fazer um texto navegar é escolher um assunto. A eleição é livre: você pode discorrer sobre o futuro da internet, romeus e julietas, alcovas e revoluções, ou sobre o que se passa na cabeça de um alfinete.

Tanto faz o tema ou a teima. O que importa mesmo é a maneira de dispor as palavras no papel ou na telinha. Nesse escolher moram a técnica e a arte. Pois às vezes – se somos descuidados – podemos escrever justo o contrário do que pretendíamos dizer.

O poeta Carlos Drummond de Andrade (1902-1987) foi certeiro nos versos: “Chega mais perto e contempla as palavras / Cada uma tem mil faces secretas sob a face neutra.” Quer dizer, as palavras estão neutras no meio do salão esperando que um escriba as convide para dançar.

É o escriba quem decide se o ritmo da dança será axé, afoxé, aeróbica, baião, capoeira, carimbó, choro, cavalhada, calango, ciranda, dance, forró, frevo, fandango, funk, lambada, lundu, maxixe, marujada, maracatu, merengue, pagode, reisado, rock, samba, salsa, valsa, tambor, tango, hip-hop.

Só não vale atravessar a música e pôr tudo a perder. Por exemplo, redigindo de um jeito burocrático, repetitivo, opaco, chapa-branca. Também é necessário conhecer a gramática para voar mais alto, para experimentar surpreendentes dimensões da paisagem verbal.

Ninguém tem a receita de como escrever razoavelmente bem. Mas arrisco alguns ingredientes: três colheres de sopa de simplicidade, uma colher de chá de sutileza, imaginação e poesia à vontade, e um quilo de clareza. Mexa bem antes de levar ao leitor.

 

Fonte: Yahoo

+ sobre o tema

Nova identidade tem CPF como número principal, QR code e abriga dados de outros documentos

O governo federal quer acelerar a corrida para digitalizar...

ONU pede que Brasil legalize aborto e denuncia ‘fundamentalismo religioso’

Alertando sobre o avanço do que chamou de "fundamentalismo...

Trump se torna 1º ex-presidente condenado em ação criminal na história dos EUA

Donald Trump se tornou o primeiro ex-presidente considerado culpado pela...

Um compromisso nacional

Alfabetizar todas as crianças foi colocado desde o início...

para lembrar

A consciência Branca da Globo

por: Rebeca Oliveira Duarte Não havia data melhor....

Republicanos querem demissão de líder democrata por “comentário racista” contra Obama

O Partido republicano reclama a demissão do senador democrata...

Série de TV com Jesus negro desperta ira de conservadores nos EUA

Estreou nos Estados Unidos o seriado humorístico americano Black Jesus (Jesus...

Menos de 1% dos municípios do Brasil tem só mulheres na disputa pela prefeitura

Em 39 cidades brasileiras, os eleitores já sabem que...

Mapa aponta que quase meio milhão de cariocas passam fome

A insegurança alimentar grave é realidade em 7,9% das casas na capital fluminense. Em números absolutos, são 489 mil pessoas que passam fome. Cerca de 2 milhões de cariocas convivem...

STF intima governo de SP a se manifestar em ação sobre edital de câmeras

O presidente do STF, Luís Roberto Barroso, intimou o governo de São Paulo a se manifestar em até 72 horas sobre ação que questiona edital que...

Alfabetização de crianças retoma nível pré-pandemia, mas quase metade de alunos no 2º ano ainda não sabe ler e escrever

O governo federal afirmou nesta terça-feira que 56% das crianças alcançaram em 2023 o patamar de alfabetização registrado no período pré-pandemia, em 2019. Com...
-+=