45% das mulheres já tiveram o corpo tocado sem consentimento, diz pesquisa

Enviado por / FonteUniversa, por Hysa Conrado

Uma pesquisa realizada pelo Ipec (Inteligência em Pesquisa e Consultoria Estratégica) em parceria com o Instituto Patrícia Galvão, divulgada nesta segunda-feira (12), mostrou que 45% das mulheres já tiveram o corpo tocado sem consentimento em local público. Em contrapartida, apenas 5% dos homens entrevistados assumiram ter cometido este tipo de assédio.

O levantamento faz parte da pesquisa “Percepções sobre controle, assédio e violência doméstica: vivências e práticas”, que ouviu 1.200 pessoas de todo o país, sendo 800 homens e 400 mulheres, com 16 anos ou mais.

Os dados revelam, ainda, que 32% das mulheres afirmaram ter passado por alguma situação de importunação ou assédio sexual no transporte público, sendo que 31% declaram já ter sofrido tentativa ou abuso sexual.

A violência também chegou para aquelas que disseram “não” a uma pessoa que mostrou interesse nelas, e 41% disseram ter sido xingadas ou agredidas nestes casos.

Percepção sobre a Lei Maria da Penha

Para 49% dos homens com mais de 60 anos, a Lei Maria da Penha “interfere em uma questão particular que só diz respeito ao casal”. Neste mesmo grupo, 38% consideram que a lei prejudica homens que não são criminosos e a classificaram como “rigorosa demais”.

Outro recorte da pesquisa mostrou que 16% dos moradores de municípios com até 50 mil habitantes consideram que agredir a parceira “pode ser errado”, mas que não deveria ser crime e acreditam que a lei deve ser anulada.

Apesar de reconhecerem a atuação da lei, 89% admitem que os agressores sabem que isso é crime, mas não acreditam que sofrerão algum tipo de punição legal. No geral, 76% dos entrevistados acreditam que a violência contra a mulher é tratada como um assunto pouco importante pela polícia e a Justiça do país.

+ sobre o tema

Lélia Gonzalez, onipresente

Para entender e desconstruir o lugar do negro na sociedade...

Sobre transexualidade, feminismo interseccional e sororidade

“Não se nasce mulher, torna-se.” Zaíra Pires para o Blogueiras Negras Creio que...

Lágrimas de homem abalam o machismo no futebol. E o racismo? Voa impávido em céu de brigadeiro

As lágrimas dos jogadores brasileiros pressionados pelo terror de...

para lembrar

Como o Reino Unido está promovendo o debate de gênero e sexualidade nas escolas

Ninguém nasce machista, homofóbico, racista ou transfóbico. Aprendemos a...

Dez curiosidades sobre a vagina podem mudar a sua vida

Se você que está lendo esta reportagem é uma...

Mulheres ganham em média 24% menos que os homens, mostra relatório

Atualmente, as mulheres fazem 52% de todo o trabalho...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=