48% dos homens consideram “desagradável” ou “humilhante” cuidar da casa, afirma pesquisa

Levantamento do Instituto Avon, em parceria com o Instituto Locomotiva, mostrou ainda que 27% dos entrevistados acreditam que a mulher pode ter culpa por ter sido estuprada

Fonte: Revista Fórum

De acordo com uma pesquisa do Instituto Avon, em parceria com o Instituto Locomotiva, 48% dos homens consideram “desagradável” ou “humilhante” cuidar da casa enquanto a companheira trabalha fora. O dado foi divulgado pelo levantamento O papel do homem na desconstrução do machismo, lançado neste mês após consultar 1.800 pessoas com mais de 16 anos, em 70 municípios do país.

O estudo traz ainda outras estatísticas sobre o comportamento dos brasileiros quando o assunto é a opressão às mulheres. Quase 80%, por exemplo, não interferem em briga de casal ou interferem apenas se houver algum tipo de violência extrema, e 61% consideram que a mulher que se deixou fotografar também tem culpa quando um homem compartilha suas imagens íntimas sem autorização. Além disso, 27% acreditam que, em alguns casos, a mulher também pode ter responsabilidade por ter sido estuprada.

O curioso é que, apesar de 87% concordarem que ao menos parte da população é machista, apenas 24% das pessoas se consideram machistas. A pesquisa revela ainda que 24% dos homens não têm coragem de defender as mulheres no meio de outros homens, e que boa parte diz que gostaria de não ser machista, mas não sabe bem como agir.

+ sobre o tema

Teoria que não se diz teoria

A separação entre teoria e prática é um histórico...

‘Perdemos cada vez mais meninas e jovens’, diz pesquisadora

Jackeline Romio participou da Nairóbi Summit e aponta os...

Sou mulher. Suburbana. Mas ainda tô na vantagem: sou branca

Ontem ouvi algo que me cativou a escrever sobre...

Por um feminismo de baderna, ira e alarde

Neste 8M, ocuparemos politicamente as ruas e as nossas...

para lembrar

27 ideias de tatuagens feministas

Que tal eternizar na pele seus ideais de luta...

‘Diferente do que dizem, aborto não foi descriminalizado’, diz autora de ações no Supremo

Às vésperas da discussão sobre a descriminalização ou não...

Ato na USP cobra ação de diretor sobre ‘ranking sexual’ em Piracicaba

Grupo se reuniu em frente à diretoria da universidade...
spot_imgspot_img

Sonia Guimarães, a primeira mulher negra doutora em Física no Brasil: ‘é tudo ainda muito branco e masculino’

Sonia Guimarães subverte alguns estereótipos de cientistas que vêm à mente. Perfis sisudos e discretos à la Albert Einstein e Nicola Tesla dão espaço...

A Justiça tem nome de mulher?

Dez anos. Uma década. Esse foi o tempo que Ana Paula Oliveira esperou para testemunhar o julgamento sobre o assassinato de seu filho, o jovem Johnatha...

O atraso do atraso

A semana apenas começava, quando a boa-nova vinda do outro lado do Atlântico se espalhou. A França, em votação maiúscula no Parlamento (780 votos em...
-+=