A esperança mais uma vez vem vencendo o medo, diz Dilma

Por: Maria Angélica Oliveira

 

Declaração foi dada em evento em que também participou José Serra
Governador de SP não respondeu declaração da ministra da Casa Civil

Ao lado do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, disse nesta quinta-feira (25), durante evento de entrega de 650 ambulâncias adquiridas pelo governo federal, em Tatuí (SP), que “a esperança mais uma vez vem vencendo o medo”. Dilma e Serra devem se enfrentar na disputa pela Presidência da República nas eleições de outubro deste ano.

 

 

A expressão “a esperança venceu o medo” foi criada e utilizada durante a campanha do presidente Luiz Inácio Lula da Silva em 2002, quando ele derrotou José Serra e foi eleito para o Palácio do Planalto.

Em seu discurso, Dilma fez críticas aos governos anteriores, mas não citou nomes de ex-presidentes. Por várias vezes, ela afirmou, dirigindo-se à plateia de trabalhadores que acompanhava o evento, que o governo “voltou a investir” em diversas áreas como saúde e educação.

 

“A gente acha, ao contrário do que ocorria no Brasil, que um país para ser uma grande economia, tem que ter um bom atendimento de saúde. Antes achavam que ou se distribuía renda ou se tinha crescimento econômico. Achavam que era preciso crescer para distribuir o bolo. O que provamos é que, quando se distribui o bolo, é como um fermento. Ele cresce”, disse a ministra, sendo aplaudida pelo público.

 

 

Em seu discurso, o governador José Serra se limitou a citar números de sua gestão no que se refere à contrução de hospitais, aquisição de ambulâncias e ampliação de leitos de UTIs. Após a cerimônia, Serra concedeu entrevista e disse não acreditar que a ministra tenha feito referência específica a algum governo quando disse que o governo federal voltou a investir em saúde.

 

 

O governador disse que o Sistema Único de Saúde (SUS) é o melhor sistema da Américas. “Temos que torná-lo cada vez melhor, com atendimento de primeira classe. Podem ter em um avião a primeira classe, a segunda e a classe turista. Mas não podemos ter na saúde serviços de primeira e serviços de segunda classe”.

 

 

Serra foi questionado se na condição de ex-ministro da Saúde, se sentiu atingido pela declaração, respondeu que não. “Na minha gestão do ministério, houve um dos maiores investimentos na área de saúde da história”, disse.

 

 

A resportagem do G1, perguntou sobre a declaração da ministra Dilma a respeito da “esperança vencer o medo”, mas Serra disse apenas que estava ali para falar sobre outro assunto.

 

 

Serra e Dilma mantiveram um clima cordial durante todo o evento. Sentados, lado a lado, eles conversaram e trocaram sorrisos em alguns momentos. Eles também se cumprimentaram após seus discursos, quando retornavam aos seus lugares.

 

 

Tanto Dilma, quanto Serra, procuraram interagir com o público. A ministra perguntou à plateia se além dos vários prefeitos que havia ali, prefeitas também estavam presentes? O tucano, por sua vez, perguntou aos trabalhadores se havia palmeirenses entre eles, e foi aplaudido por uma parte do público que torce para o time dele.

 

 

Fonte: G1

+ sobre o tema

Marieta Severo fala de papel na novela, racismo e dos ataques que sua família recebe nas redes

Atriz cita retrocessos na sociedade, celebra ressurgimento do feminismo...

DEM: Candidato de R$ 92 mi está preso por estelionato

Por: BRENO COSTA Selmo dos Santos (DEM-SP), dono declarado...

Às agressões humanas, a Terra responde com flores

Mais que no âmago de uma crise de proporções...

Lula chega a 47% na Vox Populi; maioria considera prisão injusta

“A prisão de Lula, da forma como ocorreu, parece...

para lembrar

Centenas de indígenas participam do primeiro dia dos ‘jogos tradicionais’

Os jogos tradicionais representam o momento de maior fascínio...

Mario Magalhães diz o óbvio sobre a chacina no Pará

"Pará: de um lado, foram mortas dez pessoas; de...

Juíza lança “O Negro no Século XXI”

Fonte: Portal Imbuí - "O Negro no Século XXI"....

África, não!

Namíbia, fica no sul da África e foi um...

Fim da saída temporária apenas favorece facções

Relatado por Flávio Bolsonaro (PL-RJ), o Senado Federal aprovou projeto de lei que põe fim à saída temporária de presos em datas comemorativas. O líder do governo na Casa, Jaques Wagner (PT-BA),...

Morre o político Luiz Alberto, sem ver o PT priorizar o combate ao racismo

Morreu na manhã desta quarta (13) o ex-deputado federal Luiz Alberto (PT-BA), 70. Ele teve um infarto. Passou mal na madrugada e chegou a ser...

Equidade só na rampa

Quando o secretário-executivo do Ministério da Justiça e Segurança Pública, Ricardo Cappelli, perguntou "quem indica o procurador-geral da República? (...) O povo, através do seu...
-+=