A palavra lésbica deixa de ser pornográfica no Google

A partir de agora, na pesquisa por lésbicas no Google, você encontrará a página da Wikipédia e outros conteúdos informativos

Do Revista Fórum 

Foto de varias pessoas abrindo um bandeira enorme LBGTI
(Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

O Google mudou seu algoritmo para que a palavra lésbica pare de direcionar para sites de conteúdo sexual e pornográficos. A página francesa de ativismo #SEOlesbienne foi uma das mais mobilizadas ao apontar essa situação e seu grupo é reconhecido por vários meios de comunicação LGTB + por influir na decisão de mudança da grande empresa de tecnologia.

As inúmeras reclamações foram atendidas pela plataforma de busca: “Acho que esses resultados são terríveis, não há dúvida sobre isso”, disse à mídia francesa Numerama a vice-presidente de qualidade de motores de busca do Google, Pandu Nayak.

“Estamos cientes de que existem problemas como este em muitas línguas e desenvolvemos algoritmos para melhorar essa pesquisa, um após outro”, acrescentou. A empresa confirmou que a mudança no algoritmo ocorreu em 19 de julho.

A partir de agora, na pesquisa por lésbicas no Google, você encontrará a página da Wikipédia e outros conteúdos informativos.

+ sobre o tema

Gisele, eu tenho um cérebro!

Algum tempo atrás eu escrevi um artigo intitulado "E...

Relatório aponta desigualdades de gênero no acesso à educação

No marco da Campanha Educação Não Sexista e Anti...

Nós precisamos do feminismo

O machismo é assustador. Causa medo, pânico, oprime, violenta,...

Secretarias se unem para atuar em atenção à saúde da mulher

A Secretaria Estadual da Mulher (SecMulher) e a Secretaria...

para lembrar

O vencedor de competição de programação do Google sem acesso à internet

O primeiro vencedor africano do disputado concurso anual de...

O erótico como poder

Nunca é fácil demandar o máximo de nós mesmas Por...

Ela se tornou a primeira diretora negra em uma grande agência publicitária

Joana Mendes, publicitária e uma das idealizadoras do YGB.BLACK,...
spot_imgspot_img

Mulheres recebem 19,4% a menos que homens no setor privado, diz relatório divulgado pelo governo

As mulheres recebem 19,4% a menos do que os homens nas maiores empresas do país, segundo o 1º Relatório de Transparência Salarial divulgado nesta...

Google celebra James Baldwin, escritor e ativista dos direitos civis

O Google está prestando uma homenagem a James Baldwin, renomado escritor e ativista dos direitos civis americanos, conhecido por suas obras literárias que abordam temas...

Pode acontecer com qualquer pessoa negra – a pergunta é: até quando?

O número de casos de discriminação racial irá aumentar, e isso é um fato. A medida em que as pessoas negras passam a frequentar, estar presente e...
-+=