Guest Post »

Advogado selecionado para mestrado em Portugal lança campanha na internet para conseguir recursos

Há quase um mês, o advogado Felipe Rigueira, de 28 anos, vive uma montanha-russa de emoções. Aprovado para o curso de mestrado no Instituto Superior de Economia e Gestão, em Lisboa, Portugal,  Felipe tem menos de cinco meses para conseguir arrecadar recursos para se manter em solos portugueses, até que consiga um emprego ou estágio.

Por  Cintia Cruz, Do Notícia Preta 

Felipe Rigueira- homem negro de terno e usando óculos- sorrindo na sede da OAB do Rio de Janeiro, com a sua carteira de advogado na mão.
Advogado Felipe Rigueira, de 28 anos (Foto: Imagem retirada do site Notícia Preta)

Além do salário como consultor sênior numa empresa de auditoria e consultoria, e dos brownies que faz e vende, o advogado recorreu a uma vaquinha online.

“Quando recebi a notícia da aprovação vi que era isso que eu precisava, que esse era meu caminho. Peguei todas as minhas economias e fiz o pagamento do curso. Estou fazendo esta Vakinha para conseguir me manter em Lisboa. Ainda que seja uma das capitais mais baratas da Europa Ocidental, os custos são em euro. Fiz as contas e vi o quanto precisaria para poder me sustentar no início”, conta.

Ao todo, Felipe pretende arrecadar R$ 35 mil até 31 de julho. Ele sabe que o tempo é escasso, mas, para quem sempre lidou com desafios, este será o primeiro internacional.

Criado em Bangu, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, Felipe lembra que sempre gostou de estudar. Na faculdade, quando conseguiu o primeiro estágio em um escritório de advocacia, se mudou para uma república. Foi nessa época que começou a fazer e vender brownies.

Mesmo antes de concluir a graduação e sem curso preparatório, Felipe foi aprovado na prova da OAB e no processo seletivo para trainees na Ernst & Young – EY, uma firma de auditoria e consultoria.

“O processo seletivo para trainee foi bastante disputado e ser aprovado foi uma grande realização para mim: um garoto do subúrbio, sem sobrenome importante, negro, LGBT, sem histórias de intercâmbios e viagens internacionais para contar”, orgulha-se.

Enquanto homem negro e periférico, sei da importância da representatividade e também por isso luto para realizar este sonho e me tornar alguém com alto impacto de transformação social. Quero poder me tornar referência para outros jovens negros, LGBT e periféricos que sequer sonham com a possibilidade de realizar algo deste tipo”

Na empresa, Felipe foi selecionado para a área de impostos internacionais e se destacou na análise de lucros do exterior. Foi ali que despertou nele a vontade de se especializar na área: “Esses trabalhos de análise de lucros do exterior reacenderam minha vontade de estudar algo no campo das finanças. Cursar um mestrado para mim sempre pareceu o próximo passo lógico. Foi então que comecei a pesquisar e encontrei o ISEG, com o curso de Economia Internacional, que vai trazer tudo que eu preciso sobre economia e de certa forma linkar com meu trabalho atual no tocante a multinacionais”.

Felipe foi um dos 30 estudantes selecionados do mundo todo para o curso. Agora se prepara para deixar trabalho, família, amigos por dois anos em Lisboa. “Enquanto homem negro e periférico, sei da importância da representatividade e também por isso luto para realizar este sonho e me tornar alguém com alto impacto de transformação social. Quero poder me tornar referência para outros jovens negros, LGBT e periféricos que sequer sonham com a possibilidade de realizar algo deste tipo. A sensação que tenho, além do medo por estar arriscando absolutamente tudo, é de que estou fazendo a coisa certa. Quero representar meu povo, meus ancestrais, meu país lá fora, conquistar este diploma por todos nós”.

O site para ajudar Felipe é o https://www.vakinha.com.br/vaquinha/felipe-vai-ser-mestre

 

Related posts