África vai ser o motor do crescimento mundia

Previsão é do primeiro-ministro japonês, para as próximas décadas

África vai ser o motor do crescimento económico nas próximas décadas, de acordo com a previsão feita pelo primeiro-ministro do Japão, no encerramento da Conferência Internacional para o Desenvolvimento em África (TICAD), que juntou em Yokohama os líderes dos países africanos.

«África vai ser o centro do crescimento durante as próximas décadas, até meados deste século… Agora é o tempo de investirmos em África», defendeu o primeiro-ministro, Shinzo Abe, na conferência de imprensa que encerrou um encontro de três dias com os líderes africanos.

Nesse encontro o Japão anunciou a intenção de doar mais de 10 mil milhões de euros em ajuda pública e aproveitou para enfatizar as diferenças relativamente à China no que diz respeito à abordagem ao continente africano.

«O Japão não vai simplesmente a África para ir buscar recursos e trazê-los para o Japão. Queremos realizar uma industrialização em África que crie emprego e crescimento», sublinhou o primeiro-ministro, citado pela Lusa, vincando assim a diferença com a abordagem chinesa, muitas vezes acusada de simplesmente explorar as riquezas naturais sem ligar o investimento à questão dos direitos humanos ou à melhoria das condições de governação desses países.

«O tipo de crescimento que a TICAD preconiza não é apenas números… o objetivo é atingir um crescimento económico de qualidade, distribuindo os benefícios de forma generalizada pelas populações», disse Shinzo Abe.

Apesar das ligações antigas ao continente africano, o comércio japonês em África é cinco vezes menor que o chinês e o investimento direto do Japão em África é superado pelo chinês em oito vezes.

Os participantes no encontro no Japão terminaram as reuniões aprovando a Declaração de Yokohama, que retomou o tema do desenvolvimento do potencial empresarial africano, que implique menos ajuda internacional.

«Vamos fomentar o comércio abrangente, o turismo e a transferência de tecnologia, e ajudar o desenvolvimento» de pequenas e médias empresas, afirma o documento, que acrescenta que os países tencionam «ajudar a integração regional a expandir o comércio intrarregional, criando novas oportunidades para o desenvolvimento e emprego no setor privado».

Para além das declarações de intenções, foi também aprovado um «plano de ação» que prevê um crescimento de 6% no setor agrícola e a duplicação da produção de arroz até 2018, quando comparado com os níveis de 2008, ano em que foi realizada a última reunião quinquenal da TICAD.

 

Fonte: TVi24

+ sobre o tema

Conflitos africanos são alimentados pelo Ocidente

O presidente do Zimbabwe, Robert Mugabe, acusou os...

África ganha 11 bilionários em 1 ano. Veja os mais ricos

  Segundo ranking divulgado pela revista Forbes, 10...

para lembrar

Vencedora de Prêmio Casa a favor de políticas contra o racismo

A cubana Zuleica Romay, Prêmio Extraordinário de Estudos sobre...

Hollande leva a Merkel plano de novo pacto para tirar UE da crise

  O novo presidente francês, François Hollande, tomou...

O país onde os negros tem cabelos naturalmente loiros

Ilhas de Salomão, país localizado no Oceano Pacífico, cerca...

Pesquisadores visitam país da Oceania onde negros têm cabelos naturalmente loiros

Pesquisadores das universidades de Stanford, de Bristol, da...
spot_imgspot_img

Um Silva do Brasil e das Áfricas: Alberto da Costa e Silva

Durante muito tempo o continente africano foi visto como um vasto território sem história, aquela com H maiúsculo. Ninguém menos do que Hegel afirmou, ainda no...

Artista afro-cubana recria arte Renascentista com negros como figuras principais

Consideremos as famosas pinturas “A Criação de Adão” de Michelangelo, “O Nascimento de Vênus” de Sandro Botticelli ou “A Última Ceia” de Leonardo da Vinci. Quando...

Com verba cortada, universidades federais não pagarão neste mês bolsas e auxílio que sustenta alunos pobres

Diferentes universidades federais têm anunciado nos últimos dias que, após os cortes realizados pelo governo federal na última sexta-feira, não terão dinheiro para pagar...
-+=