Renascimento europeu, África passou por aqui

A presença africana no Renascimento europeu », é o título de uma mostra em exibição nos Estados Unidos e que revela a forma como África era encarada pelos autores renascentistas.

Brasília – «A presença africana no Renascimento europeu », é o título de uma mostra em exibição nos Estados Unidos e que revela a forma como África era encarada pelos autores renascentistas.

Do renascentismo, Cindy Robinson retém o que aprendeu há mais de 25 anos na universidade: «Foi um período que mudou a Europa para sempre». O que não sabia quando visitou a exposição é que no que à criação cultural diz respeito, parte do que se produziu naquele tempo foi inspirado no convívio com africanos.

O «encontro» com essa época aconteceu há pouco tempo na Universidade de Princeton, New Jersey, EUA, durante a segunda exibição de uma exposição de obras de autores europeus cujos trabalhos de uma ou de outra forma refletem o que África representava para alguns europeus.

Robinson não está «sozinha». De resto, esta foi uma das razões que inspirou Joaneath Spicer, curadora do Museu de Arte de Baltimore, em Maryland a promover a exposição. Depois de ter estado em Baltimore entre outubro de 2012 e janeiro de 2013, a exposição foi levada para o Museu de Arte da prestigiada Universidade de Princeton, onde ficará até junho. A surpresa que tomou conta de Cindy Robinson, quando franqueou os portões do museu da Universidade de Princeton, foi a mesma que tomou de «assalto» algumas das pessoas que foram ao Museu de Arte de Baltimore. Curadora de ambas as exposições, especialista rodada na docência e em vários museus, Joaneath Spice não se surpreendeu com este tipo de reações.

«Não são muito comuns exposições com este perfil. Logo, um dos objetivos é servir o público que não tem contacto com esta parte da história». Preparada com mais de três anos de antecedência, a exposição encontrou pelo caminho problemas comuns a uma sociedade onde questões que mexam com relações raciais tendem a gerar conflitos. Segundo ela alguns dos museus mais conhecidos rejeitaram a exposição.

 

Fonte: África21

+ sobre o tema

Estudantes do Rio combatem machismo e racismo com projeto transformador

Com o título Solta esse Black, alunas da Escola Municipal...

Documentário emocionante questiona qual é o significado da vida humana

O cineasta Yann Arthus-Bertrand passou três anos viajando o...

Coronavírus na África, a terceira onda

dos 54 países africanos, pelo menos 40 já testaram...

para lembrar

Os rappers mais bem pagos de 2012

Como já virou tradição, a Forbes publicou a lista...

Nova rainha de bateria da Portela, Sheron Menezes visita barracão da escola

Sheron Menezes já começou a viver seus dias de rainha...

Marcha Zumbi + 10 – Documento da manifestação

Fonte:Jornal Írohin - Memória   Por Edson Lopes Cardoso,...

Quando a Cultura Africana se fundo ao mundo POP

Suleiman Ismail Gwadah é um ilustrador nigeriano conhecido como...
spot_imgspot_img

Gilberto Gil afirma que não se aposentará totalmente dos palcos: “continuo querendo eventualmente cantar”

No fim de junho, saiu a notícia de que Gilberto Gil estava planejando sua aposentadoria dos palcos. Segundo o Estadão, como confirmado pela assessoria do...

Ex-seguranças da Chic Show, amigas se emocionam em festival: ‘Chorei muito’

A Chic Show, festa/baile black símbolo da resistência cultural negra paulistana, celebra 50 anos em grande estilo com um festival no Alianz Parque neste...

Majestosa, Lauryn Hill entrega show intenso e coroa história da Chic Show

"Não é só um baile black", gritou Criolo durante o terceiro show do festival Chic Show 50 Anos, no sábado (12). O rapper do...
-+=