Agressões contra mulheres cresceram 44% no ano passado

Dados da Secretaria Nacional de Políticas para Mulheres mostram que em 2015 foram registradas no país 76,6 mil denúncias de agressões e ameaças contra mulheres. Este dado representa 44% a mais do que em 2014.

Por Leandro Siqueira, da EBC 

Ainda segunda a secretaria, em 72% dos registros os autores eram maridos, companheiros, namorados, pais, padrastos ou irmãos.

+ sobre o tema

Manifesto da Articulação Brasileira de Gays pela eliminaçao da discriminaçao racial

  Art. 3º Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do...

É urgente incluir mais mulheres (negras) no universo da tecnologia

Quando falamos de desigualdade social no Brasil, temos assunto...

ONU debate igualdade de gênero e autonomia das mulheres na era digital

A Comissão Econômica da ONU para América Latina e...

Capitolina entrevista: Criola

Hoje na coluna de arte entrevistamos a Criola, mulher...

para lembrar

Travesti é torturada e morta por 5 homens em Fortaleza

Imagens mostram Dandara, de 42 anos, sendo espancada. Do Huff...

‘Uma mulher negra feliz é um ato revolucionário’

Esta coluna é da feminista negra Juliana Borges como...

Escola de Planaltina ganha prêmios com projeto contra machismo e homofobia

Correio publica, a partir de hoje, série de três...

Ponciá vicêncio e o alegre canto da perdiz: trajetórias em convergência solidárias

PONCIÁ VICÊNCIO AND O ALEGRE CANTO DA PERDIZ: TRAJECTORIES...
spot_imgspot_img

IBGE: mulheres assalariadas recebem 17% menos que os homens

Dados divulgados nesta quinta-feira (20/06) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que a disparidade salarial entre os gêneros no Brasil se mantém em...

Casa Sueli Carneiro abre as portas ao público e apresenta o III Festival Casa Sueli Carneiro, pela primeira vez em formato presencial

RETIRE SEU INGRESSO A Casa Sueli Carneiro, fundada em dezembro de 2020 e atuando em formato on-line desde abril de 2021, é uma entidade criada...

Aborto legal: falhas na rede de apoio penalizam meninas e mulheres

As desigualdades sociais no Brasil podem explicar a razão para que meninas e mulheres busquem apoio para o aborto legal também após 22 semanas...
-+=