Janot pede arquivamento de inquérito contra candidato à prefeitura do Rio acusado de agredir a ex-esposa

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pediu nesta segunda-feira (15) ao Supremo Tribunal Federal o arquivamento do inquérito contra Pedro Paulo, candidato do PMDB à Prefeitura do Rio. Ele é acusado de agredir a ex-esposa, a turismóloga Alexandra Mendes Marcondes entre 2008 e 2010.

no HuffPost Brasil

Cabe ao relator do caso no Supremo, ministro Luiz Fux, decidir se a investigação prosseguirá ou será arquivada.

Em 3 de junho, o delegado da Polícia Federal de Brasília Luciano Soares Leiro encaminhou um relatório à PGR pela “não continuidade” da investigação. Ele cita o laudo do médico perito Roger Ancilloti, contratado por Pedro Paulo para confrontar o laudo feito pela polícia.

“Os laudos apresentados das perícias realizadas à época dos fatos como foram analisadas por diferentes peritos da época, sem o acesso do outro agressor/vítima não possibilitam, com a certeza devida, constatar como os fatos ocorreram”, diz um trecho do relatório do delegado.

O PMDB oficializou a candidatura de Pedro Paulo em 20 de julho, durante a convenção do partido. Ela é apoiada pelo atual prefeito do Rio, Eduardo Paes (PMDB) e pelo presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Os registros de agressão apontam que Pedro Paulo deu socos no rosto e corpo da ex-esposa. Há também relatos de ofensas verbais a Marcondes, com xingamentos de “vagabunda” e “piranha”, entre outros.

A acusação, acompanhada de laudo pericial do Instituto Médico Legal, foi registrada na Delegacia da Mulher em Jacarepaguá e, segundo informações do jornal Extra, ficou cinco anos parado: a polícia nem chegou a ouvir o secretário.

As agressões de 2010 teriam sido motivadas por uma traição de Pedro Paulo. Após a divulgação da história, a ex-esposa minimizou o caso em entrevista à imprensa.

Na defesa entregue à PGR, Pedro Paulo diz ter sido vítima da ex-esposa. Ele encaminhou um vídeo em que Alexandra diz que as agressões partiram dela. Há também um lado em que a defesa que contradiz as conclusões da Polícia Civil do Rio.

+ sobre o tema

Mortes de mulheres no Brasil têm raça e classe definidas, dizem pesquisadores

"Violência no Brasil é um fenômeno social articulado a...

Atleticanos e sociedade não podem banalizar o estupro

Um time como o Galo, cujo slogan é "paixão...

Pelo menos sete casos de violência contra mulher são registrados este domingo

Quantidade de ocorrências espantou a PMDF, que lembrou sobre...

Patrícia Mitie, a mais nova vítima de feminicídio no Brasil

Patrícia Mitie Koike, de 20 anos, foi espancada até...

para lembrar

“Um dia vou te matar”: como Roraima se tornou o Estado onde as mulheres mais morrem no Brasil

HRW aponta falha na investigação e arquivamento de denúncias...

Dossiê mulher: maior parte da violência contra a mulher ocorre dentro de casa

Companheiros e ex-companheiros, familiares, amigos, conhecidos ou vizinhos foram...

Erros não, machismo: o caso Laís Andrade

A história é das mais tristes. Uma mulher, Laís Andrade,...
spot_imgspot_img

Coisa de mulherzinha

Uma sensação crescente de indignação sobre o significado de ser mulher num país como o nosso tomou conta de mim ao longo de março. No chamado "mês...

A Justiça tem nome de mulher?

Dez anos. Uma década. Esse foi o tempo que Ana Paula Oliveira esperou para testemunhar o julgamento sobre o assassinato de seu filho, o jovem Johnatha...

Dois terços das mulheres assassinadas com armas de fogo são negras

São negras 68,3% das mulheres assassinadas com armas de fogo no Brasil, segundo a pesquisa O Papel da Arma de Fogo na Violência Contra...
-+=