Aluno de medicina exerce profissão ilegalmente no NE

Por: MATHEUS MAGENTA



Falta de profissionais já formados faz com que estudantes sejam chamados, o que é vedado pela lei

Na Bahia, universitários compram casa, carros e artigos de luxo com rendimentos mensais que chegam a R$ 15 mil


Estudantes de cursos de medicina de universidades públicas e privadas da região Nordeste têm exercido ilegalmente a profissão, principalmente no interior.
Na Bahia, os alunos compram apartamentos, carros e artigos de luxo com rendimentos que chegam a quase R$ 15 mil por mês.

Alunos são proibidos por lei de exercerem a profissão, exceto com a supervisão de médicos autorizados, como professores e pesquisadores.

A prática ilegal da profissão é crime previsto no Código Penal e tem pena prevista de seis meses a dois anos de detenção e multa, caso praticado com o objetivo de lucro.

A reportagem entrevistou três estudantes que já praticaram ilegalmente a profissão. As vagas são “agenciadas” por secretários municipais de Saúde, alunos, recém-formados, diretores de hospitais e médicos.

A atividade, no entanto, não está restrita as cidades do interior. Ocorre também na periferia de regiões metropolitanas de capitais.

Um estudante chega a ganhar R$ 1.200 por 24 horas de trabalho, mas pode dividir parte do valor com o responsável pelo plantão.

 

CÓDIGO DE ÉTICA
O Código de Ética Médica veda ao médico delegar a outros profissionais atos ou atribuições exclusivas da profissão ou ser cúmplice do exercício ilegal da profissão de terceiros. Ele pode sofrer desde advertência até suspensão da licença médica.

Em Pernambuco, o chefe de fiscalização do Conselho Regional de Medicina, José Carlos Alencar, estima que a prática envolva 200 alunos.

Em março de 2009, o conselho encontrou um estudante da Universidade de Pernambuco atuando como médico em um hospital de Tracunhaém (PE). Ele fugiu após a chegada da equipe.

A prefeita do município, Graça Lapa (PSB), disse que aceita a prática devido à falta de médicos na região, mas decidiu suspendê-la para “evitar problemas”.
“Só sei que o povo ficou triste. Médicos novinhos têm a maior atenção com a população.”, disse a prefeita.

O Tribunal de Contas do Estado abriu um processo por má gestão de recursos públicos e a secretária de Saúde do município foi denunciada para o Conselho Regional de Medicina.

 

ROUPA NOVA

Estudantes dizem que os atrativos para a prática são altos salários e justificam a atividade em “conhecimento prático extra” e falta de estágios remunerados.
“É nítida a mudança de perfil do estudante. Aparece na faculdade com roupas novas, carro zero quilômetro, notebooks. Há colegas que já compraram um apartamento e estão em busca do segundo”, relatou um aluno, que pediu anonimato.

Membros de conselhos de medicina dizem que a situação é de “terra sem lei”.
“O conselho não pode puni-los porque eles ainda não são médicos, e as faculdades também ficam de mãos atadas porque os plantões ilegais não são atividades ligadas à instituição”, afirmou

Eurípedes Mendonça, do conselho médico paraibano.
“Resta o Código Penal, que não evita que eles se tornem médicos”, disse Mendonça.

 

 

 

Fonte: Folha de S.Paulo

+ sobre o tema

Serena Williams é campeã do Torneio de Stanford e iguala marca da irmã Venus

Serena Williams garantiu o bicampeonato do Torneio de StanfordVivendo...

STF deve julgar ação contra quilombolas nesta quarta-feira

Matéria é o primeiro item da pauta da sessão...

Pastor faz congregação comer grama para “estar mais perto de Deus”

Um pregador neopentecostal africano fez sua congregação...

Cantora peruana negra será Ministra da Cultura

"estas escolhas são fruto do dia da Mulher Negra...

para lembrar

Romance coloca em pauta temas como racismo e violência policial

“... Quero dizer também que o professor Henrique Nunes...

“Ser mulher negra é a minha essência, não a minha sentença”

“Ser mulher negra é a minha essência, não a...

Exposição mostra trajetória dos negros no Brasil em Araraquara, SP

A exposição "Consciência Negra", aberta ao público na...

Karol Conka fala sobre feminismo e racismo: ‘Preconceito machuca’

Rapper chegou a passar água sanitária nas mãos para...
spot_imgspot_img

Obrigada Shirley

É com muita tristeza que compartilhamos a notícia do falecimento da Shirley Villela, nossa companheira e amiga, tecedora da Redes da Maré, de 2013...

Diaspóricas 2: filme revela mundo futurista a partir do olhar de mulheres negras

Recém-lançado no Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (FICA), em Goiás, no último dia 13 de junho, o filme “Diaspóricas 2” traz o protagonismo negro feminino e brasileiro...

 Interprete da trilha sonora da novela Renascer, Xenia França participa do disco de José James

Vencedora do Grammy Latino de 2023 com seu disco "Em nome da Estrela" e intérprete da canção “Lua Soberana”, trilha sonora da novela Renascer...
-+=