Americana negra diz ter sido atacada com fogo pela Ku Klux Klan

Sharmeka Moffitt, de 20 anos, teria sido agredida por três homens usando capuzes e chapéus

Sharmeka Moffitt, de 20 anos, denunciou à polícia ter sido alvo de um ataque racial na Louisiana, nos Estados Unidos. Hospitalizada, a mulher permanece em estado grave.

De acordo com o depoimento, três homens a atacaram com fogo e escreveram as iniciais do grupo racista Ku Klux Klan, além de uma frase discriminatória, em seu carro.

A porta-voz da polícia da Louisiana Julie Lewis afirmou que Moffitt foi encontrada com queimaduras em mais da metade do corpo após policiais atenderem seu pedido de socorro, na noite de domingo (21/10). Segundo a vítima, os agressores usavam capuzes ou chapéus.

O FBI está investigando o ataque como um possível crime racial, mas até agora ninguém foi preso. Antes de ser levado ao hospital, Moffitt disse aos policiais que os homens jogaram um líquido inflamável em seu corpo e depois atearam fogo perto de um parque estadual.

 

 

Fonte: Tribuna Hoje 

+ sobre o tema

Audiência Cotas OSCAR VILHENA VIEIRA

O SENHOR MINISTRO RICARDO LEWANDOWSKI(PRESIDENTE E RELATOR) Chamo...

Salvador e região já somam mais de 100 homicídios em 19 dias de janeiro

Dados estão no site da Secretaria de Segurança Pública...

A montanha de jovens negros mortos é prova de nosso fracasso como país

Há mais jovens negros mortos por policiais do que...

para lembrar

Racismo aterroriza estudantes portugueses na Polónia

O medo e a tensão estão a crescer entre...

Lei aprovada determina prisão para quem cometer racismo na web

Demorou, mas sempre é tempo: a Comissão de Direitos...

Um em cada cinco mortos em São Paulo é vítima da Polícia

O aumento da repressão por parte da Polícia...

Cidade fantasma

Fonte: Folha de São Paulo - Cotidiano   Na "Time", o...
spot_imgspot_img

Da neutralidade à IA decolonial

A ciência nunca esteve isenta das influências e construções históricas e sociais do colonialismo. Enquanto a Revolução Industrial é frequentemente retratada como o catalisador...

O papel de uma líder branca na luta antirracista nas organizações 

Há algum tempo, tenho trazido o termo “antirracista” para o meu vocabulário e também para o meu dia a dia: fora e dentro do...

Mortes pela polícia têm pouca transparência, diz representante da ONU

A falta de transparência e investigação nas mortes causadas pela polícia no Brasil foi criticada pelo representante regional para o Escritório do Alto Comissariado...
-+=