Aos 50, Naomi Campbell é velha demais para ser mãe, mas não para ser pai

Enviado por / FonteUniversa, por Nina Lemos

Naomi Campbell, 50 anos, se tornou mãe nesta semana. Ela anunciou a novidade no seu Instagram e surpreendeu todo mundo que a acompanha. Um dos motivos da surpresa é a sua idade. Afinal, a maioria das mulheres de 50 anos se prepara para entrar na menopausa, mas as coisas mudaram. Hoje em dia a ciência permite que mulheres congelem seus óvulos, façam fertilização in vitro (com óvulos próprios ou doados) e até mesmo recorram a uma barriga solidária.

Naomi, que não revelou detalhes sobre o nascimento da filha, já havia manifestado desejo de ser mãe e dito que contava com a tecnologia. Então, a modelo ser mãe aos 50 anos não deveria ser motivo de tanta surpresa. Afinal, homens serem pais depois dos 50 é algo considerado completamente normal.

O que a ciência possibilita é o fim dessa “injustiça biológica”. Naturalmente, a fertilidade masculina não tem uma “data marcada” para acabar, assim como acontece com as mulheres. No caso feminino, a chance de engravidar naturalmente cai drasticamente depois dos 40. Imagina aos 50? Segundo especialistas, a chance de uma mulher engravidar naturalmente depois dos 45 anos é de menos de 1%.

Essa “data limite” faz com que a corrida para ter filhos vire um desespero e também com que muitas mulheres não tenham filhos porque “não deu tempo”. Naomi tem a ciência e o dinheiro a seu favor. Depois de mais de 30 anos de uma carreira gloriosa e de curtir a vida adoidado, ela decidiu ser mãe. E daí? Homens fazem isso há anos. E isso é simplesmente aceito e considerado normal.

Alguns exemplos: George Clooney foi pai pela primeira vez aos 56. Seus filhos gêmeos têm 3 anos e a idade do pai não foi o principal assunto quando os bebês nasceram. Mick Jagger teve seu oitavo filho aos 73. E daí?

É normal que pessoas independentes e que se dedicam muito à carreira adiem a maternidade ou a paternidade. Na década passada, passou a ser comum que mulheres tivessem filhos aos 40 anos ou mais. Agora, algumas decidirem ter aos 50 anos não faz tanta diferença assim.

O principal problema de ter filho tarde e que faz muita gente desistir da ideia, é o medo de não estar muito tempo presente na vida do filho. Sim, todos vamos morrer, lembra? A gente não é eterno e a tendência é que quem tem filhos aos 50 conviva menos com o filho do que quem tem filho aos 30? Outro temor é que o pique diminua com a idade. Não é todo mundo que está disposto a correr atrás de criança (que não sejam os netos) aos 60 anos.

Mas, isso é uma decisão pessoal. E, repito, os homens não sofrem as mesmas cobranças. E, quanto ao medo de morrer e não acompanhar o crescimento dos filhos? A longevidade das mulheres é maior que a dos homens.

Será que o fato de mulheres se tornarem mães aos 50 choca tanto porque ainda se espera que as mulheres cumpram todas as obrigações da maternidade? É possível. As exigências e cobranças sempre são maiores no caso das mães, e isso não muda com a idade. As mães sempre são cobradas e culpabilizadas, tenham elas 20, 30, 40 ou 50 anos.

+ sobre o tema

Morre Nalu Faria, símbolo da luta feminista no Brasil

Faleceu nesta sexta-feira (6) a militante feminista Nalu Faria, uma...

stephanie ribeiro, feminista, negra, silenciada

no facebook, é permitido: ser masculinista, racista, misógino. não...

Quem foi Ella Baker, a “mãe” do movimento por direitos civis

Dizem que “por trás de um grande homem, existe...

para lembrar

Policiais civis humilham grávida em vídeo divulgado no Facebook

Caso aconteceu no início de setembro em São José...

Kapulana publica a obra ‘Minha irmã, a serial killer’, da nigeriana Oyinkan Braithwaite

Chega ao Brasil o aclamado livro Minha irmã, a serial...

25 de julho: Mulheres Negras arrastam mais de 2 mil pelas ruas de São Paulo

Entre as palavras de ordem estava “Fora Temer” e...

Supremo retoma hoje julgamento sobre aborto de anencéfalos

Brasília – O julgamento que decidirá se mulheres poderão...
spot_imgspot_img

Aborto legal: ‘80% dos estupros são contra meninas que muitas vezes nem sabem o que é gravidez’, diz obstetra

Em 2020, o ginecologista Olímpio Moraes, diretor médico da Universidade de Pernambuco, chegou ao hospital sob gritos de “assassino” porque ia interromper a gestação...

Lançamento do livro “A importância de uma lei integral de proteção às mulheres em situação de violência de gênero”

O caminho para a criação de uma lei geral que reconheça e responda a todas as formas de violência de gênero contra as mulheres...

O que está em jogo com projeto que torna homicídio aborto após 22 semanas de gestação

Um projeto de lei assinado por 32 deputados pretende equiparar qualquer aborto realizado no Brasil após 22 semanas de gestação ao crime de homicídio. A regra valeria inclusive para os...
-+=