Aos 50, Naomi Campbell é velha demais para ser mãe, mas não para ser pai

Enviado por / FonteUniversa, por Nina Lemos

Naomi Campbell, 50 anos, se tornou mãe nesta semana. Ela anunciou a novidade no seu Instagram e surpreendeu todo mundo que a acompanha. Um dos motivos da surpresa é a sua idade. Afinal, a maioria das mulheres de 50 anos se prepara para entrar na menopausa, mas as coisas mudaram. Hoje em dia a ciência permite que mulheres congelem seus óvulos, façam fertilização in vitro (com óvulos próprios ou doados) e até mesmo recorram a uma barriga solidária.

Naomi, que não revelou detalhes sobre o nascimento da filha, já havia manifestado desejo de ser mãe e dito que contava com a tecnologia. Então, a modelo ser mãe aos 50 anos não deveria ser motivo de tanta surpresa. Afinal, homens serem pais depois dos 50 é algo considerado completamente normal.

O que a ciência possibilita é o fim dessa “injustiça biológica”. Naturalmente, a fertilidade masculina não tem uma “data marcada” para acabar, assim como acontece com as mulheres. No caso feminino, a chance de engravidar naturalmente cai drasticamente depois dos 40. Imagina aos 50? Segundo especialistas, a chance de uma mulher engravidar naturalmente depois dos 45 anos é de menos de 1%.

Essa “data limite” faz com que a corrida para ter filhos vire um desespero e também com que muitas mulheres não tenham filhos porque “não deu tempo”. Naomi tem a ciência e o dinheiro a seu favor. Depois de mais de 30 anos de uma carreira gloriosa e de curtir a vida adoidado, ela decidiu ser mãe. E daí? Homens fazem isso há anos. E isso é simplesmente aceito e considerado normal.

Alguns exemplos: George Clooney foi pai pela primeira vez aos 56. Seus filhos gêmeos têm 3 anos e a idade do pai não foi o principal assunto quando os bebês nasceram. Mick Jagger teve seu oitavo filho aos 73. E daí?

É normal que pessoas independentes e que se dedicam muito à carreira adiem a maternidade ou a paternidade. Na década passada, passou a ser comum que mulheres tivessem filhos aos 40 anos ou mais. Agora, algumas decidirem ter aos 50 anos não faz tanta diferença assim.

O principal problema de ter filho tarde e que faz muita gente desistir da ideia, é o medo de não estar muito tempo presente na vida do filho. Sim, todos vamos morrer, lembra? A gente não é eterno e a tendência é que quem tem filhos aos 50 conviva menos com o filho do que quem tem filho aos 30? Outro temor é que o pique diminua com a idade. Não é todo mundo que está disposto a correr atrás de criança (que não sejam os netos) aos 60 anos.

Mas, isso é uma decisão pessoal. E, repito, os homens não sofrem as mesmas cobranças. E, quanto ao medo de morrer e não acompanhar o crescimento dos filhos? A longevidade das mulheres é maior que a dos homens.

Será que o fato de mulheres se tornarem mães aos 50 choca tanto porque ainda se espera que as mulheres cumpram todas as obrigações da maternidade? É possível. As exigências e cobranças sempre são maiores no caso das mães, e isso não muda com a idade. As mães sempre são cobradas e culpabilizadas, tenham elas 20, 30, 40 ou 50 anos.

+ sobre o tema

Futura ministra diz que aborto é questão para o Legislativo

BRASÍLIA - A futura ministra da Secretaria de Políticas...

‘Sexo frágil’ – será?

Para início de conversa esse rótulo está ultrapassado. Em...

BA empossa 1ª transexual no serviço público do Estado

O transexual Paulo César dos Santos, de 25 anos,...

Índias levam bandeiras feministas às aldeias e assumem dianteira do movimento

Nascidas em aldeias indígenas no Acre, Letícia Yawanawá, 49...

para lembrar

O feio conflito interno do feminismo: porque o seu futuro não depende das mulheres brancas

De Beyoncé a Internet, passando por diferentes prioridades políticas,...

5 profissões proibidas para mulheres em diferentes países

Um recente relatório do Banco Mundial analisou as condições...

Mulheres ameaçam greve de sexo contra quem votar em candidato sexista do Japão

Masuzoe, que concorre ao governo de Tóquio, declarou que...

Mobilizações de mulheres ganham força em Belarus e desconcertam Lukashenko

As mulheres estão na primeira linha dos protestos em...
spot_imgspot_img

Abrir mão da maternidade pode ser ponto de partida para sonhos e ambições

Ao passar dos 35 anos, a babá Anailda Santos, 41, começou a questionar se ainda poderia ter filhos, e, aos 39, percebeu que não era...

Documento final da CONAE segue para o Congresso; entenda seus principais pontos

Para quem não é da Educação ou não acompanha de perto esta aérea, é preciso entender alguns pontos importantes do documento final aprovado durante...

Quando universidades destroem estudantes

Ir para a universidade pode significar correr maiores riscos de ter crises de ansiedade e profundos quadros depressivos. A preocupação com dinheiro e desempenho acadêmico é somente...
-+=