Após morte de policial, oito são mortos em Belém do Pará

O terror tomou conta de diversos bairros da região metropolitana de Belém do Pará nesta última madrugada. Após o assassinato de um policial, o cabo Figueiredo, membro da Ronda Ostensiva Tática Metropolitana (Rotam – PM), áudios e postagens em redes sociais anunciaram que haveria acerto de contas.

Foto: Gabriel Brito/Correio da Cidadania

Por: Douglas Belchior Do: Negro Belchior

10419578_367504886749621_6047301985546092887_n

De acordo com o local Diário Online, em um dos áudios um suposto policial anunciava: “Senhores, sério, por favor, façam o que for preciso, mas não vão para o Guamá nem para Canudos nem para o Terra Firme hoje à noite. É uma questão de segurança dos senhores, tá? Mataram um policial nosso, e vai ter uma limpeza na área. Ninguém segura ninguém, nem o coronel das galáxias”.

Durante toda a madrugada, denúncias ocuparam as redes sociais, relatando ações, supostamente de milicianos, em diversos  bairros, gravações de áudios e vídeos com flagrantes das ações se espelharam.

O governo do estado confirmou as oito mortes na noite desta terça-feira 4. De acordo com a nota, o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves (CPCRC) registrou quatro homicídios no bairro da Terra Firme e outros quatro homicídios nos bairros do Marco, Guamá, Jurunas e Sideral.

O comunicado diz ainda que o cabo Figueiredo “foi morto em circunstâncias ainda em investigação e não estava em serviço”, mas que “os comandos de policiamento da capital foram acionados para identificação e captura dos criminosos.”

Os oito corpos que deram entrada no CPCRC aguardam identificação e as mortes serão investigadas pela Divisão de Homicídios da Polícia Civil.

Trata-se de uma das maiores chacinas dos últimos tempos. E, ao que parece, devidamente anunciada.

+ sobre o tema

Lilian Thuram carrega a bandeira contra o racismo

Ex-jogador francês está no Brasil, como parte de sua...

Racismo é um impedimento ao desenvolvimento econômico brasileiro

Durante muito tempo a “branquitude” – o privilégio que...

O que fazer pela equidade racial hoje? – artigo I

Seria pretensão de minha parte ter a resposta inteira...

para lembrar

Vítima de racismo em restaurante do DF será indenizada por danos morais

Um homem que sofreu racismo no restaurante comunitário de...

Democracia não combina com racismo

A frase que dá título a este texto é...

PF apura novo caso de pichação com conteúdo racista na UFSM

Perícia inicial foi feita na quinta-feira e imagens de...

Alma Preta / “A nossa existência já é um crime” – Dina Alves

O Alma Preta entrevistou a advogada e pesquisadora Dina...
spot_imgspot_img

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...

Como o diabo gosta

Um retrocesso civilizatório, uma violência contra as mulheres e uma demonstração explícita do perigo que é misturar política com fundamentalismo religioso. O projeto de lei...

Homens, o tema do aborto também é nossa responsabilidade: precisamos agir

Nesta semana, a escritora Juliana Monteiro postou em suas redes sociais um trecho de uma conversa com um homem sobre o aborto. Reproduzo aqui: - Se liberar o...
-+=