quinta-feira, abril 22, 2021

Tag: Douglas Belchior

A atriz Camila Pitanga e os cantores Zeca Pagodinho e Emicida são alguns dos apoiadores de campanha do movimento negro contra a fome (Imagem: Divulgação/Mostra de Tiradentes, Roberto Filho/WikiMedia Commons e WikiMediaCommons)

Ação do movimento negro contra fome reúne artistas e levanta mais de R$ 5 mi

Projeto quer ajudar 223 mil famílias Zeca Pagodinho e Emicida apoiam PoderData revela dados sobre tema Problema atinge 36% dos brasileiros   “Tem gente com fome”. Esse é o mote de campanha do movimento negro que já arrecadou mais de R$ 5 milhões em doações para combater a insegurança alimentar no Brasil. A ação é coordenada pela Coalizão Negra por Direitos, articulação que reúne mais de 200 organizações sociais ligadas à temática racial. O grupo mapeou 222.895 famílias em situação de vulnerabilidade e, desde 17 de março, distribui alimentos em pontos físicos nas 5 regiões brasileiras. De acordo com os coordenadores da campanha, até a manhã deste domingo (4.abr.2021), 22 mil famílias já foram atendidas. Cada uma recebe alimentos que somam valor de R$ 200. O valor arrecadado na plataforma on-line já chegou a R$ 5.106.523,00, vindo de 15.901 doadores. De acordo com os organizadores, para todas as famílias mapeadas ...

Leia mais
Douglas Belchior (Foto: Marlene Bargamo/Folhapress)

Diante da tragédia, o movimento negro reage, em nome da maioria

Quando, em 18 de outubro de 2018, ocupamos o Teatro Oficina em São Paulo, com mais de mil pessoas para o debate “No país da escravidão, de que fascismo falamos?”,1 o combinado foi o seguinte: “Temos de operar um milagre nesta semana e meia. Temos de derrotar Bolsonaro nas urnas. E depois, se tudo der certo e vencermos a eleição com Haddad, voltamos a nos encontrar para pensar o que virá, porque podemos até vencer nas urnas, mas o fascismo não voltará para o armário, teremos de lidar, conviver com ele. Temos de nos preparar para enfrentá-lo”. Como sabemos, não rolou milagre. Perdemos nas urnas. Bolsonaro foi eleito. E, sim, tivemos de lidar com ele, com seu governo e com o fascismo que passou a brotar em todas as esquinas, feito erva daninha. Levamos a sério a promessa daquela noite memorável e histórica para o movimento negro de São Paulo. Ali reunidas ...

Leia mais
Foto: Reprodução/ TV Globo

Carol Conká, a Karabá do BBB

A atuação daquela eleita vilã de reality que, em contexto de pandemia e ausência de novelas frescas, ocupou o vácuo e protagonizou o equivalente ao que seria uma final de novela das nove, mobilizou mais ódio e ação pública das massas, da minha comunidade e de famosos, do que os promotores do escárnio e da barbárie em Brasília. A audiência e o debate nas redes justificam os milionários patrocínios. E o gozo com o esquartejamento público de uma pessoa, "coincidentemente" preta, "coincidentemente" mulher, e "pelos defeitos dela, por culpa tão somente dela", alimenta o fetiche racista coletivo. Incapazes de subir ao trend topics uma hashtag de conteúdo obsceno tal como #VacinaParaTodesPeloSUS ou #AuxilioEmergencial600reais, a platéia brinda o país com a maior rejeição pública de todos os tempos. Não. Não é a rejeição pública de Bolsonaro. Aliás, na arquibancada se juntam bolsonaristas e esquerdopatas, machistas e desconstruídos, intelectuais e analfabetos, todos ...

Leia mais
Douglas Belchior (Foto: Marlene Bargamo/Folhapress)

O Império Globo e o seu Coliseu, o BBB

O participante de um BBB é um gladiador moderno. O gladiador era um escravo lutador na Roma Antiga. Numa época em que a maioria dos romanos viviam na miséria, essa era uma atividade de recreação muito atrativa para o grande público. Combatentes se enfrentavam na arena e a luta só terminava quando um deles ficava desarmado, gravemente ferido ou morto. O responsável pela luta determinava se o derrotado deveria morrer ou não. O povo influenciava muito na decisão. Da plateia, manifestavam se queriam ou não a morte do derrotado - como quem vota pela internet hoje em dia. Uma arena especial para esse tipo de espetáculo foi construída: O Coliseu de Roma. O palco de massacres épicos é hoje considerado, ironicamente, uma das 7 maravilhas do mundo moderno. Os lutadores, apesar de escravos, eram tratados como atletas, tinham treinamento e cuidados. Ou seja, ser gladiador era melhor do que ser ...

Leia mais
"O que se viu no mercado dos playboys da Pamplona foi legítima defesa", explica Douglas Belchior (Foto: Pedro Stropassolas)

Douglas Belchior sobre Carrefour: “Foi um protesto desproporcional. Eles nos matam”

Uma das lideranças do movimento negro no Brasil, Douglas Belchior está incomodado. Quando chegou à manifestação da última sexta-feira (20), na avenida Paulista, em São Paulo, que deveria ser um ato pelo Dia da Consciência Negra e se tornou mais um protesto em repúdio à morte de um homem negro, o militante disparou. “Até quando? Está insuportável.” Na noite anterior, João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, foi espancado até a morte por dois seguranças privados e terceirizados do Carrefour, em uma unidade da multinacional francesa em Porto Alegre (RS). Os dois agentes são funcionários do Grupo Vector e trabalhavam irregularmente, de acordo com a Polícia Federal (PF). Ambos foram presos. No dia seguinte, por volta de 18h, o movimento negro marchou da avenida Paulista até a unidade do Carrefour na rua Pamplona, nos Jardins, zona nobre de São Paulo (SP). Lá, um grupo se destacou e entrou no supermercado, ...

Leia mais
Douglas Belchior (Foto: Marlene Bargamo/Folhapress)

Violência? Vandalismo? Os negros perderam a paciência, diz Douglas Belchior

O que é vandalismo num país que mata um jovem negro a cada 23 minutos? Por que há mais comoção com vidraças e prateleiras quebradas do que com os negros assassinados todos os dias? Albert Camus, filósofo franco-argelino, dizia que "a violência não é patrimônio dos exploradores. Os explorados também podem empregá-la" E eu concordo com ele. Passou da hora de a população negra perder a paciência! (Professor Douglas Belchior, militante da Uneafro Brasil) A manifestação na avenida Paulista já estava marcada por várias entidades para celebrar o Dia Nacional da Consciência Negra, como acontece todos os anos. O brutal assassinato, na véspera, do negro João Alberto Freitas, por seguranças do Carrefour, em Porto Alegre, transformou a caminhada num protesto pacífico, com faixas e cartazes, e o policiamento acompanhando à distância, apenas para interditar ruas no trajeto. Estava acompanhando tudo pela televisão na tarde se sexta-feira, quando o âncora Márcio ...

Leia mais
Douglas Belchior (Foto: Marlene Bargamo/Folhapress)

Comoção antirracista da branquitude ou vira prática ou hipocrisia, diz articulador de manifesto

"É incoerente manifestar repúdio ao racismo e apoiar políticas econômicas, de saúde e de segurança pública que matam pessoas negras todos os dias", afirma Douglas Belchior, 41, cofundador da Uneafro Brasil, uma das 150 entidades que conformam a Coalizão Negra por Direitos, autora do manifesto "Enquanto houver racismo não haverá democracia", lançado na semana passada. O texto, subscrito por artistas, empresários e intelectuais negros e brancos, afirma que "qualquer projeto ou articulação por democracia no país exige o firme e real compromisso de enfrentamento ao racismo" e pede coerência àqueles que agora se autodeclaram antirracistas. Para Belchior, a questão racial, quando deixou de ser tabu, foi tratada como "mais um assunto" na agenda democrática brasileira quando é fator determinante, como reivindica o manifesto. "O movimento negro denuncia o racismo e suas injustiças desde sempre", afirma ele, cuja organização foi gestada no vitorioso movimento de cotas raciais nas universidades. "Hoje está ...

Leia mais
Douglas Belchior (Foto: @zalikaproducoes/Reprodução/FACEBOOK)

‘Advocacia da União quer esvaziar significado do feriado da consciência negra’

Para Douglas Belchior, data é reflexão sobre exploração, opressão e ódio mesmo após a abolição. "Povo negro ainda não alcançou a condição de cidadão" Por Cida de Oliveira, da RBA Douglas Belchior Foto: @zalikaproducoes/Reprodução/FACEBOOK São Paulo – O parecer da Advocacia-Geral da União (AGU) contrário à lei municipal que criou o feriado da consciência negra na cidade de São Paulo é racista, na opinião do professor Douglas Belchior. Integrante do movimento negro Uneafro Brasil e da Coalizão Negra por Direitos, Belchior considera o posicionamento do órgão como parcial, político, alinhado e orientado pelo governo de Jair Bolsonaro. O juízo emitido no final de dezembro refere-se a uma ação protocolada no Supremo Tribunal Federal (STF) pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (CNTM) em 19 de novembro passado. Trata-se da Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) nº 634, que pede que a Corte decida sobre a constitucionalidade ...

Leia mais
Paraisópolis (Lalo de Almeida/UOL)

Abusos provam que estamos por nossa conta

Projeto brasileiro de extermínio da racialidade indesejada se escancara em situações como a vivida em Paraisópolis Por Bianca Santana e  Douglas Belchior, na Folha de S.Paulo    Paraisópolis (Lalo de Almeida/UOL) “Em nenhum outro momento do pós-abolição o projeto de extermínio da racialidade indesejada se tornou tão evidente no Brasil e com tamanho apoio ou indiferença social, expondo negras e negros a iniquidades sociais como chacinas, extermínios, genocídio, feminicídios e mortes preveníveis e evitáveis. Estamos por nossa conta”, afirmou Sueli Carneiro na mesa de abertura do 1º Encontro Internacional da Coalizão Negra por Direitos, realizado nos dias 29 e 30 de novembro. A afirmação contundente ganhou materialidade na ausência de três militantes, que precisaram ficar nos territórios para enterrar nossos mortos. Na segunda (25), seu Vermelho, 89, líder do quilombo Rio dos Macacos, na Bahia, foi assassinado a machadadas. Rose e Franciele, que participariam do encontro, ...

Leia mais

Coalizão Negra Por Direitos consolida apoio em Berlim

A Coalizão Negra Por Direitos, representada por Douglas Belchior, participou do debate “Brasil: atores sociais em resistência”, no último dia 15, em Berlim, na Alemanha. Organizado pelas fundações Rosa Luxemburgo, Friedrich Ebert, Heinrich Böll, Coletivo Brasil Iniciativa Berlim (BIB) e pelo Centro de Pesquisa e Documentação Chile e América Latina (FDCL). Do Coalizão Negra por Direitos Debate “Brasil: Atores Sociais em Resistência” na sede do Centro Cultural Refúgio em Berlim (Foto: Imagem retirada do site Coalizão Negra por Direitos) O evento aconteceu na sede do Centro Cultural Refúgio. Participaram também, a Deputada Estadual Mônica Francisco (PSOL-RJ) e Débora Nunes, membro da direção nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais sem Terra (MST). O debate sobre temas da conjuntura política nacional foi mediado por Bárbara Santos, diretora artística do grupo de teatro Kuringa. Foram ressaltados temas como o genocídio da população negra, a violência policial, a ampliação da ...

Leia mais

Lista atualizada Domingo 06/10 – Eleições do Conselho Tutelar – Dia 06/10 – Indicações

Segue lista de candidatos à Conselheiros e Conselheiras Tutelares que são publicamente defensores de direitos humanos. Há nomes de candidatos/as da cidade de São Paulo e outras diversas do estado. Vamos juntos complementar essa lista. Peça indicações à pessoas de confiança. E divulgue muito! Precisamos eleger defensores e defensores de direitos humanos e impedir que bolsonaristas, ultraconservadores e fundamentalistas ocupem todos os espaços. ATENÇÃO: EM SP vota-se em 5 candidatos por região; Em SP e em todas as demais cidades, leve título de eleitor e RG; Consulte os sites de Conselhos Tutelares e prefeituras para saber seu local da votação. Essa lista será sempre atualizada neste post do Facebook enviado por Douglas Belchior para o Portal Geledés LOCAIS DE VOTAÇÃO NA CIDADE DE SP: https://bit.ly/2kNTlO1 MAIS DETALHES SOBRE A VOTAÇÃO: https://bit.ly/2JTv6bR Atualização: DOMINGO 06/10/2019 SÃO PAULO CENTRO BELA VISTA Lorys Ferreira 1208 Danilo Martinelle 1214 Raphaelle Medeiros 1210 Ismael Junior ...

Leia mais
O deputado Hank Johnson usou a tribuna do Congresso dos Estados Unidos para criticar o acordo entre Brasil e EUA que prevê o uso da Base da Alcântara, no Maranhão

Deputado Hank Johnson critica acordo e discursa contra base americana em Alcântara

O deputado Hank Johnson usou a tribuna do Congresso dos Estados Unidos para criticar o acordo entre Brasil e EUA que prevê o uso da Base da Alcântara, no Maranhão, pelos estadunidenses para lançamento de foguetes e satélites. O discurso ocorreu na última sexta-feira (27). por Igor Carvalho no Brasil de Fato O deputado Hank Johnson usou a tribuna do Congresso dos Estados Unidos para criticar o acordo entre Brasil e EUA que prevê o uso da Base da Alcântara, no Maranhão - enviado por Douglas Belchior “Esse acordo entre as administrações de Trump e de Bolsonaro ameaça remover centenas de famílias quilombolas afro-brasileiras de suas terras, deslocando ainda mais comunidades marginalizadas. A Constituição brasileira providencia proteção explícita às terras quilombolas, e Trump e Bolsonaro quebram, descaradamente, desconsiderando essa proteção e tomando posse da terra”, afirmou o parlamentar, que integra os quadros do partido Democrata. Johnson insistiu que o acordo prejudica ...

Leia mais
Plenária de abertura. Foto: Mônica Nobrega/Fundo Brasil

Encontro nacional debate estratégias para fortalecer organizações da sociedade civil

A Constituição brasileira de 1988 só tem a abrangência que a tornou conhecida como “Constituição cidadã” porque a sociedade civil organizada teve, naquele momento histórico, uma capacidade de incidência política como nunca tinha tido antes no Brasil. Organizações sociais fizeram o trabalho de mobilização e pressão que conquistou, para a população brasileira, direitos básicos da cidadania, como a liberdade de pensamento. Esta foi uma das reflexões apresentadas por Oscar Vilhena, diretor da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas, durante a plenária de abertura da 1ª Conferência Nacional de Advocacy. A conferência reuniu, em São Paulo, 45 palestrantes e mediadores de 40 organizações, nos dias 9 e 10 de setembro, para discutir o papel do advocacy para o fortalecimento da atuação da sociedade civil em tempos de ataques sistemáticos aos direitos das pessoas. A organização da conferência foi apoiada pelo Fundo Brasil, e as mesas contaram com palestrantes de organizações ...

Leia mais
img_DEST_consu_Douglas

Douglas Belchior discursa na CCJ: audiência pública sobre pacote anticrime

No último dia 6 de agosto, Douglas Belchior, da Uneafro Brasil e Coalizão Negra por Direitos, esteve na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania do Senado Federal para denunciar, ponto a ponto, o Pacote Anticrime de Sérgio Moro - Bolsonaro. Esta proposta é um aval do governo para encarcerar e matar negras e negros brasileiros. enviado por Douglas Belchior para o Portal Geledés Vamos derrotá-los! Intervenção de Douglas na íntegra Audiência na íntegra 

Leia mais
Douglas Belchior

OEA receberá movimento negro brasileiro para debater pacote anticrime de Moro

“É muito importante levar para fóruns internacionais a denúncia da barbárie genocida no Brasil", afirma militante Igor Carvalho no Brasil de Fato Douglas Belchior - (REPRODUÇÃO/Facebook) Na próxima quinta-feira (9), 14 integrantes do movimento negro brasileiro serão escutados em audiência extraordinária da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA). O motivo da reunião é a denúncia feita pelos ativistas contra o pacote anticrime elaborado pelo ministro de Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. “O conjunto de propostas, que visa alterar leis federais na área penal, processual penal e de combate à violência, tem gerado, desde sua apresentação pública em 4 de fevereiro de 2019, amplo debate e muitas críticas por parte de juristas, acadêmicos, especialistas e, sobretudo, das organizações da sociedade civil. A gravidade que tais modificações podem representar à segurança pública e à vida de milhares de cidadãos e cidadãs brasileiras, sobretudo da população ...

Leia mais
Douglas Belchior

Vidas negras em tardes de domingo

Eu me lembro com saudade O tempo que passou O tempo passa tão depressa Mas em mim deixou Jovens tardes de domingo Tantas alegrias Velhos tempos Belos dias – Roberto Carlos   Tô cansado dessa porra de toda essa bobagem Alcolismo, vingança treta malandragem Mãe angustiada filho problemático Famílias destruídas fins de semana trágicos – Racionais Mc’s Por DOUGLAS BELCHIOR, do Brasil 247 Confira fotos dos atos no blog Negro Belchior, na Carta Capital   Douglas Belchior - (REPRODUÇÃO/Facebook) Quando criança ouvi muito Roberto Carlos. Meus pais gostavam. Memórias de criança que, vez ou outra, voltam. Depois cresci, estudei. Percebi e entendi por que as tardes de domingo felizes das canções da jovem guarda, as tardes em que “Canções usavam formas simples / Pra falar de amor / Carrões e gente numa festa / De sorriso e cor…” não eram em nada parecidas com as tardes de domingo lá de ...

Leia mais
Douglas Belchior

Ideias Negras #33 | Douglas Belchior: é hora do nosso povo se autorrepresentar na política

Douglas Belchior, formado em História pela PUC-SP, é fundador e professor do Movimento Negro Uneafro Brasil de cursinhos de educação popular. Escreve para a revista Carta Capital, faz palestras e participa de debates e conferências nacionais e internacionais sobre a questão racial no Brasil e genocídio da juventude negra. Nesta entrevista, em uma tarde chuvosa, ele faz uma leitura racial da política brasileira afirmando que o tempo do povo negro se autorepresentar na política é o agora! Referências: Livro "Caminho da liberdade", autor Howard Fast, Editora Record, 1972 Filme "Mississipi em Chamas", direção Alan Parker, EUA, 1988 Filme "Pantera Negra", direção Ryan Coogler, EUA, 2018

Leia mais
Foto- Felipe Cezar

Mas afinal, o que 2018 trouxe de bom para os negros?

O ano de 2018 foi muito intenso. Seja nos aspectos culturais, sociais ou, principalmente, políticos, foi possível observar acontecimentos de grandes impactos para o Brasil e o mundo. A Intervenção Federal no Rio de Janeiro, os documentos da CIA sobre a ditadura brasileira, o assassinato de Marielle Franco, o incêndio no Museu Nacional, o atentado no Irã, a eleição de Jair Bolsonaro (PSL) à presidência e tantos outros episódios marcantes tornaram-se lembranças dolorosas. Por Marina Lourenço no Negro Belchior Foto- Felipe Cezar Contudo, as lutas pedem espaço. É preciso encarar tais acontecimentos, construir resiliências e novas narrativas. É necessário relembrar também os incontáveis momentos bons que 2018 trouxe e observá-los sob uma perspectiva esperançosa. Por isso, relembre agora algumas dessas conquistas. Jean-Michel Basquiat no Centro Cultural Banco do Brasil Aberta no dia 25 de janeiro, a exposição “Jean-Michel Basquiat — Obras da Coleção Mugrabi”, no Centro Cultural Banco ...

Leia mais
Steve Biko. (Foto: Mark Peters/Liaison Agency)

Sobre o conceito de “Consciência Negra”. Leia e saia da ignorância!

Steve Biko, ativista negro sul-africano antiapartheid,  foi assassinado aos 30 anos de idade, em setembro de 1977, pelas forças da repressão do estado racista deste país. Fundou, em 1968, a Organização dos Estudantes Sul-africanos (Saso, na sigla em inglês), e propagou pelo mundo o slogan “black is beautiful” (o negro é lindo). Biko forjou o conceito de Consciência Negra a partir da ideia de que era preciso que a população negra libertasse sua consciência e encontrasse sua própria identidade. Por Douglas Belchior, da Uneafro Brasil No Negro Belchior Steve Biko. (Foto: Mark Peters/Liaison Agency)   Consciência Negra seria, em essência, a percepção por parte da pessoa negra, de sua necessidade em reunir forças junto aos seus irmãos em torno da causa de sua atuação – a negritude de sua pele – e de agir como um grupo, a fim de se libertarem das correntes da servidão. A aspiração de negras ...

Leia mais
Foto: Gabriel Brito/Correio da Cidadania

A branquitude não tem limites, inclusive no campo das esquerdas

A teoria antirracista, em geral, tem se dedicado a pesquisar e elaborar sobre o seguimento oprimido, negras e negros, e pouco sobre o grupo opressor, brancas e brancos. Isso reforça a ideia de que a opressão é um problema só do oprimido, o que, sabemos, não é verdade. Mas há elaborações teóricas, estudos e pesquisas poderosas que se dedicam a estudar e compreender o opressor, não os indivíduos especificamente, mas o sistema que naturaliza o privilégio branco, que chamamos branquitude. Sugiro aqui este texto bem inicial de Hernani Francisco da Silva, publicado pelo Geledes, e este PodCast com o professor Marcio André de Oliveira, Doutor em Ciências Políticas e professor da UNILAB. O naturalizado privilégio branco, assim como o privilégio do gênero masculino, deveria ser tema de estudo obrigatório desde o ensino fundamental. Taí uma boa proposta para levar ao parlamento: branquitude e masculinidades como temas multidisciplinares no currículo obrigatório, desde o ensino fundamental. Por Douglas ...

Leia mais
Página 1 de 6 1 2 6

Welcome Back!

Login to your account below

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist