Após o anúncio da morte de Eduardo Campos a boçalidade da Revista Veja e a pesquisa de indução da Folha de São Paulo

Havia me espantado com a barbárie nas redes sociais. Sempre me espanto diante de pessoas que conseguem ver graça em tragédia, como nas mortes provocadas pela queda da aeronave que matou Eduardo Campos e mais seis pessoas: Carlos Augusto Percol, assessor de imprensa; Marcelo Lira, diretor de fotografia; Alexandre Severo, fotógrafo; Pedro Valadares Neto, assessor; e os pilotos, Geraldo da Cunha e Marcos Martins.

Lembrava que gente que se diverte fazendo piadas se mau gosto com a morte são do mesmo tipo dos seres que vibraram com o câncer de Lula. Essas pessoas devem achar que são imortais, que seus entes queridos são imortais. Enfim devem achar que sua estupidez os deixam imunes à dor. Tristeza diante de tanta boçalidade.

Comentei ainda que as redes sociais são capazes de nos tirar qualquer fé na raça humana: a tag #foiaDilma culpando a atual presidenta e candidata à reeleição pelo Partido dos Trabalhadores pela morte do candidato Campos não é só de mau gosto, mostra muito do quanto a barbárie impera, de como há descerebrados usando a rede na tentativa de ser um futuro descerebrado do CQC, gente sem qualquer respeito à vida humana. Mas mostra igualmente o mal que é viver em um país onde tvs monopolizadas, grupos midiáticos monopolizados que na cobertura desta tragédia agem como moleques na rede. Não fico só chocada, com o fato de órgãos de imprensa agirem rasteiramente, tenho repulsa, nojo, desânimo.

Daí vejo esta postagem do Rodrigo Ferrari sobre duas ‘matérias’ da Revista Veja. Isso nos explica  porque há tantos descerebrados nas redes, eles são crias de uma mídia monopolizada sem qualquer escrúpulo, que não poupa mortes, tragédias para fazer sua política suja partidarizada buscando de qualquer forma decidir os rumos eleitorais do país.

Pode haver uma revista mais abjeta que esta?

Pode qualquer coisa que se pareça com jornalismo ser pior que esta revista marginal?

veja louca

Daí quando você acha que a mídia partidarizada não pode piorar, vejam bem, hoje é 13/08/2004, estou escrevendo este post às 19 horas. A Folha não esperou nem o enterro de Eduardo Campos para lançar Marina à disputa eleitoral. Observem a questão 7:
Veja a imagem:

urubus

 

Fonte:  Maria Frô

+ sobre o tema

Constantino e Reinaldo emburrecem o país

Colunista do Globo, Miriam Leitão publica importante artigo sobre...

Especialistas avaliam que há racismo na produção audiovisual

Convencionou-se chamar de negros a soma dos grupos populacionais...

A sobrevivência das rádios comunitárias nas mãos do Senado

Rádio comunitária é uma emissora de baixa potência e...

Uma ativista da crítica de mídia

Por Marcos Fabrício Lopes da Silva Nos livros Cada tridente...

para lembrar

Para especialistas, mídia estimula e deve responder por ações de justiceiros

Sociólogo Lalo Leal argumenta que a excessiva repetição "dessas...

A não representação da mulher negra na mídia

No dia 16 de setembro, a Globo estreia o...

Liberdade de Expressão da mídia é seletiva e convarde

A mídia brasileira sempre esteve preparada, aparelhada e unida...

Eliane Cantanhêde, cheirosa e desatenta

Vocês já imaginaram o que aconteceria se Youssef dissesse...
spot_imgspot_img

Morre Ykenga Mattos, que denunciou o racismo em seus cartuns, aos 71 anos

Morreu na manhã desta segunda-feira aos 71 anos o professor, sociólogo e cartunista carioca Bonifácio Rodrigues de Mattos, mais conhecido como Ykenga Mattos. Vítima...

Jornalistas negras para você acompanhar 

Seja na internet ou  na televisão, é notável o aumento de jornalistas negras que estão atuando em bancadas ou como repórteres. Essa presença entre...

Folha ignora evidências favoráveis às cotas raciais

Na quinta-feira (7), pela oitava vez, esta Folha publicou um editorial ("Cotas sociais, não raciais") explicitando sua posição ideológica sobre as cotas raciais, negando os evidentes resultados...
-+=