Apresentador de ‘O Aprendiz’ é acusado de racismo com o time de futebol senegales

Alan Sugar fez comparação relacionada à seleção do Senegal e gerou revolta

Do Catraca Livre 

Créditos: Imagem retirada do Catraca Livre 

Alan Sugar, apresentador de ‘O Aprendiz’, é acusado de racismo

Alan Sugar, apresentador da edição britânica do reality show “O Aprendiz“, foi acusado de racismo nas redes sociais, na última terça-feira, 19, ao comparar a seleção do Senegal a camelôs.

“Eu reconheço esses caras da praia de Marbella. São uns garotos esforçados e multi-tarefas”, escreveu ele, anexando uma montagem da equipe do Senegal com itens geralmente comercializados por vendedores ambulantes, como bolsas e óculos de sol.

Após receber uma enxurrada de críticas, o ativista político apagou o post e se defendeu dos ataques alegando que achou a mensagem engraçada.

Créditos: Reprodução/Twitter
Post racista de Alan Sugar antes de o apresentador deletá-lo

“Acabei de ler a reação ao meu tuíte bem-humorado sobre o cara na praia de Marbella. Parece que foi interpretado de forma errônea, como ofensivo, por algumas pessoas. Francamente, eu não consigo ver desta forma, pois acho que foi engraçado. Mas vou deletá-lo se vocês insistem”, disse.

Apesar de não ter dado o braço a torcer a princípio, Sugar pediu desculpas pelo post em uma carta enviada ao “Mirror Online”.

“Eu quis fazer uma piada. Alguém me mandou aquela foto [da equipe do Senegal] e eu tuitei. As pessoas sabem que eu luto contra o racismo há anos. Eu sinceramente não sabia que poderia ser interpretado de outra forma que não fosse de forma engraçada”.

De acordo com a publicação, a rede de TV BBC, que transmite “O Aprendiz”, deverá divulgar comunicado sobre o caso.

RACISMO É CRIME. DENUNCIE:

Segundo o artigo 140 do parágrafo 3 do Código Penal Brasileiro, ofender a honra de qualquer pessoa com a utilização de elementos referentes à raça, cor, etnia, religião ou origem pode resultar em ação penal por injúria racial.

Racismo é crime previsto pela Lei 7.716/89 e deve sempre ser denunciado. A denúncia pode ser feita por e-mail ([email protected]), por telefone (0xx61 2025-7001 / 7002 / 7003 / 7004 / 7005) ou de forma presencial (endereço: Esplanada dos Ministérios, bloco A, 9º andar, CEP 70.054-906 – Brasília).

+ sobre o tema

Eu dentro de mim

Já que o mundo está em medida de contenção...

Novo Código da Fifa permite que árbitros terminem o jogo em caso de racismo

Juízes poderão até mesmo atribuir a derrota ao time...

Rainha de bateria é vítima de racismo em Cariacica: “Não vou me calar”

Ela contou nas redes sociais que foi chamada de...

para lembrar

Criolo: ‘Desde que me entendo por gente vão pra favela assassinar jovens’

Para o rapper, atualmente em turnê pela Europa, redução...

Kelly Rowland abre motivo de discussão com segurança em Cannes: ‘Tenho limites’

Kelly Rowland falou à imprensa sobre a discussão que teve com...

O teu discurso não nega, racista

Deixar de cantar marchinhas ofensivas a grupos historicamente discriminados...

Debate sobre racismo religioso aumenta dentro de igrejas e opõe evangélicos

Excluídos de evento sobre tema, cristãos progressistas veem preconceito...
spot_imgspot_img

Mobilizações apontam caminho para enfrentar extremismo

As grandes mobilizações que tomaram as ruas das principais capitais do país e obrigaram ao recuo dos parlamentares que pretendiam permitir a condenação de...

Uma pessoa negra foi morta a cada 12 minutos ao longo de 11 anos no Brasil

Uma pessoa negra foi vítima de homicídio a cada 12 minutos no Brasil, do início de janeiro de 2012 até o fim de 2022....

Como as mexicanas descriminalizaram o aborto

Em junho de 2004, María, uma jovem surda-muda de 19 anos, foi estuprada pelo tio em Oaxaca, no México, e engravidou. Ela decidiu interromper...
-+=