Guest Post »

Apresentador de ‘O Aprendiz’ é acusado de racismo com o time de futebol senegales

Alan Sugar fez comparação relacionada à seleção do Senegal e gerou revolta

Do Catraca Livre 

Créditos: Imagem retirada do Catraca Livre 

Alan Sugar, apresentador de ‘O Aprendiz’, é acusado de racismo

Alan Sugar, apresentador da edição britânica do reality show “O Aprendiz“, foi acusado de racismo nas redes sociais, na última terça-feira, 19, ao comparar a seleção do Senegal a camelôs.

“Eu reconheço esses caras da praia de Marbella. São uns garotos esforçados e multi-tarefas”, escreveu ele, anexando uma montagem da equipe do Senegal com itens geralmente comercializados por vendedores ambulantes, como bolsas e óculos de sol.

Após receber uma enxurrada de críticas, o ativista político apagou o post e se defendeu dos ataques alegando que achou a mensagem engraçada.

Créditos: Reprodução/Twitter
Post racista de Alan Sugar antes de o apresentador deletá-lo

“Acabei de ler a reação ao meu tuíte bem-humorado sobre o cara na praia de Marbella. Parece que foi interpretado de forma errônea, como ofensivo, por algumas pessoas. Francamente, eu não consigo ver desta forma, pois acho que foi engraçado. Mas vou deletá-lo se vocês insistem”, disse.

Apesar de não ter dado o braço a torcer a princípio, Sugar pediu desculpas pelo post em uma carta enviada ao “Mirror Online”.

“Eu quis fazer uma piada. Alguém me mandou aquela foto [da equipe do Senegal] e eu tuitei. As pessoas sabem que eu luto contra o racismo há anos. Eu sinceramente não sabia que poderia ser interpretado de outra forma que não fosse de forma engraçada”.

De acordo com a publicação, a rede de TV BBC, que transmite “O Aprendiz”, deverá divulgar comunicado sobre o caso.

RACISMO É CRIME. DENUNCIE:

Segundo o artigo 140 do parágrafo 3 do Código Penal Brasileiro, ofender a honra de qualquer pessoa com a utilização de elementos referentes à raça, cor, etnia, religião ou origem pode resultar em ação penal por injúria racial.

Racismo é crime previsto pela Lei 7.716/89 e deve sempre ser denunciado. A denúncia pode ser feita por e-mail ([email protected]), por telefone (0xx61 2025-7001 / 7002 / 7003 / 7004 / 7005) ou de forma presencial (endereço: Esplanada dos Ministérios, bloco A, 9º andar, CEP 70.054-906 – Brasília).

Artigos relacionados