Aprovado fim da revista íntima de mulheres nos presídios do RJ

VITÓRIA! APROVADO FIM DA REVISTA ÍNTIMA

Marcelo Freixo (original facebook), no Mamapress

“Eu vi muita coisa ruim. Uma senhora bem velhinha, magrinha, foi obrigada a ficar nua também. Tímida, ela tentou cobrir a genitália com as duas mãozinhas. Nossa, teve que ouvir coisas absurdas. A agente disse: ‘Você não teve vergonha de usar isso pra fabricar bandido pra encher o saco da gente, agora tem vergonha de mostrar?’. Ela tremia de medo. E eu não podia falar nada, porque, se eu reagisse, sabia que meu filho seria espancado”. Essa história foi contada por dona Cremilda, que fez visitas regulares ao filho, ex-detento, durante os 12 meses em que ele esteve na prisão.”

O projeto de minha autoria  e outros deputados, que substitui a revista íntima – conhecida como vexatória – pela mecânica nos presídios do Rio de Janeiro, foi aprovado na Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 10 de março.

Agradecemos imensamente a sociedade e instituições civis que se mobilizaram para esta vitória da dignidade humana. A participação de vocês foi essencial! Esta é uma luta de anos e é em nome dos “ninguéns” – de Eduardo Galeano – dos invisíveis, daqueles que passam uma parte enorme das suas vidas encostados nos muros da amnésia que representa o Sistema Penitenciário.

O Estado não pode violar a dignidade das pessoas e nem estender a pena aos familiares dos detentos. Vale lembrar que a revista vexatória já é proibida nos presídios federais e em São Paulo, estado que tem a maior população carcerária do Brasil. Temos de lembrar que a família dos presos também é afetada com o encarceramento, e as principais vítimas são as mulheres: mães, filhas, companheiras etc. São mulheres de todas as idades, que são obrigadas a passar por uma revista humilhante, ilegal e vexatória. A família é fundamental para a ressocialização do preso e muitas vezes esse elo é quebrado porque as pessoas não querem se submeter a esse processo degradante.

A revista mecânica, com raio-x, detectores de metais e outros instrumentos tecnológicos, já é aplicada em aeroportos, agências bancárias e consulados. Por que a violação da dignidade ainda é mantida no Sistema Prisional? Nosso projeto pretende dar um fim a esta realidade e esperamos que o Governo de Estado do Rio de Janeiro tenha a sensibilidade e sancione a lei.

Uma vitória necessária na semana em que se comemora o dia internacional de luta das mulheres!

Aqui uma demonstração da  campanha convocando para este dia inesquecível para toas as mulheres de nosso estado.

revista-c3adntima-2

NÓS NÃO CONCORDAMOS COM A REVISTA VEXATÓRIA

“Eu vi muita coisa ruim. Uma senhora bem velhinha, magrinha, foi obrigada a ficar nua também. Tímida, ela tentou cobrir a genitália com as duas mãozinhas. Nossa, teve que ouvir coisas absurdas. A agente disse: ‘Você não teve vergonha de usar isso pra fabricar bandido pra encher o saco da gente, agora tem vergonha de mostrar?’. Ela tremia de medo. E eu não podia falar nada, porque, se eu reagisse, sabia que meu filho seria espancado”. Essa história foi contada por dona Cremilda, que fez visitas regulares ao filho, ex-detento, durante os 12 meses em que ele esteve na prisão. Leia a matéria na íntegra: http://goo.gl/jzcQgY

Nesta terça-feira (10/3), a Alerj irá votar nosso projeto de lei que substitui a revista íntima pela revista mecânica nos presídios do Rio de Janeiro. Venha! Sua pressão é fundamental!

Nossa proposta é mudar esta realidade para uma revista mecânica e não manual, com detectores de metais, aparelhos de raio-x, entre outras tecnologias que são mais eficazes e preservam a integridade física, psicológica e moral do revistado. A revista mecânica já é utilizada em outros estados do Brasil e mostrou sua eficácia.

A Alerj fica Rua 1º de Março, s/n – Centro. Obs.: Homens não podem entrar de bermuda.

+ sobre o tema

“Violência contra as mulheres é uma das grandes vergonhas da Austrália”

Governo australiano anuncia 70 milhões de dólares para combater...

Goiás é o segundo Estado com mais homicídios de mulheres

Mulheres pretas e pardas são as que mais sofrem...

O impacto da guerra às drogas na vida das mulheres negras

A chamada guerra às drogas, que, na verdade, é...

para lembrar

A urgência do pensamento feminista negro para a democracia

O feminismo é um movimento político e de transformação...

Raquel Trindade: Cultura popular e resistência

Raquel Trindade comemora 40 anos de criação do Teatro...

Obama pede o fim da “cura gay”

Presidente fez declaração através de assessora da Casa Branca Por ...

5 coisas simples que mulheres hesitam em fazer por medo de assédio

De pequena em pequena liberdade, as mulheres perdem muito...
spot_imgspot_img

O mapa da LGBTfobia em São Paulo

970%: este foi o aumento da violência contra pessoas LGBTQIA+ na cidade de São Paulo entre 2015 e 2023, segundo os registros dos serviços de saúde. Trata-se de...

Grupos LGBT do Peru criticam decreto que classifica transexualidade como doença

A comunidade LGBTQIA+ no Peru criticou um decreto do Ministério da Saúde do país sul-americano que qualifica a transexualidade e outras categorias de identidade de gênero...

TSE realiza primeira sessão na história com duas ministras negras

O TSE realizou nesta quinta (9) a primeira sessão de sua história com participação de duas ministras negras e a quarta com mais ministras...
-+=