As Lições de Sheherazade: Preto, pobre e com problemas mentais é amarrado a um poste por duas horas

Francisco do Nascimento sofre de distúrbios mentais e, para contê-lo, em vez de chamar o serviço público de saúde, ‘justiceiros’ de plantão optaram por prendê-lo

 

A onda de prender pretos pobres a postes não é exclusividade do Rio de Janeiro. Francisco do Nascimento, 32, sofre de distúrbios mentais e, para contê-lo, em vez de chamar o serviço público de saúde, ‘justiceiros’ de plantão optaram por amarrá-lo a um poste, onde permaneceu por mais de duas horas, para exposição pública. O fato ocorreu num sábado, às 15h, na Rua Bárbara de Alencar, centro comercial do Crato, como mostrou a jornalista Raquel Paris, em seu blog. O motivo do ataque ao cidadão foi um surto, durante o qual teria quebrado alguns vidros de uma loja.

 

“Francisco do Nascimento, morador do bairro São Miguel possui histórico de outros atentados, como pôr fogo no carro de um vizinho. Ele também possui diversas entradas no Hospital Psiquiátrico Santa Tereza. Segundo a sobrinha, a família não sabe mais o que fazer com Francisco do Nascimento: no hospital não há vagas e ele se torna cada vez mais violento”, relata Paris.

E continua: “Durante as duas horas em que ficou amarrado, algumas pessoas tentaram libertá-lo, ato que foi violentamente rechassado pelos dois homens que o prenderam. No mais, a multidão, estonteada, admirava estupidamente o espetáculo do homem que gritava, rugia e pedia por socorro. Diversas autoridades estiveram no local, a exemplo de soldados do Ronda”.

“Mas há um outro histórico que pesa sobre Francisco do Nascimento: nasceu negro epobre. E pior: necessita de acompanhamento psiquiátrico. Dessa forma, por ser negro,pobre e louco, Francisco Nascimento pôde ser amarrado, exposto a ridicularização pública e violentado em sua dignidade humana , tal qual seus ancestrais. De minha parte, só não podia acreditar que, após tantos séculos, ainda iria presenciar um negro sendo imolado em praça pública“, acrescentou.

Raquel Paris é jornalista “devido a um gosto desusado de ouvir e contar histórias. Mestra em Literatura e Interculturalidade, possui graduação em Comunicação Social. O Cariri a encanta e enlouquece na mesma proporção”.

bandido morto 

 A Carta de Willy Lynch

 

Não somos defensores de bandidos! – Diálogo com a sociedade para esclarecer os equívocos sobre o trabalho dos defensores de Direitos Humanos

 

Os justiceiros do Flamengo e a jovem negra que protegeu um neonazi de ser espancado pela turba

 O pelorinho improvisado: O racismo e seus tentáculos no seculo XXI

 

 

Fonte: Correio do Brasil

 

+ sobre o tema

A Cidade de Deus e a desumanização do pobre

Estamos diante de uma epidemia silenciosa, devastadora e vorazmente...

O racismo e o extermínio dos jovens negros

Esse texto de análise debate a prática racista, a...

EUA caminham para modelo brasileiro de identificação racial, diz sociólogo americano

Os critérios com que brasileiros e americanos se identificam...

“Quero deixar de ser exceção”, diz juíza negra; veja histórias

Eles tiveram de vencer condições socioeconômicas desfavoráveis, além de...

para lembrar

Racismo a Balotelli gera revolta; fãs pedem saída da seleção

O novo episódio de racismo no futebol europeu,desta vez...

Macaé sanciona lei com penalidades para a intolerância religiosa

Foi aprovada e sancionada a Lei nº 5.154/ 2023...

Quando a exceção quer ser regra

Menos de 1% dos adolescentes são infratores e poucos...
spot_imgspot_img

Futuro da gestão escolar

A educação pública precisa de muitos parceiros para funcionar. É dever do Estado e da família, com colaboração da sociedade, promover a educação de todas as...

Educação para além dos muros da escola

Você pode fornecer escolas de qualidade para os mais pobres e, mesmo assim, talvez não veja a mudança na realidade do país que se...

Criança não é mãe

Não há como escrever isto de forma branda: nesta quarta-feira (12), a Câmara dos Deputados considerou urgente discutir se a lei deve obrigar crianças vítimas de estupro à...
-+=