Tag: genocídio de jovens negros

    Arquivo Pessoal

    Carta Aberta (afetiva) aos técnicos sociais de Medida Socioeducativa

    Técnico Social é como está na carteira de trabalho. Mas o que é ser técnico social em serviço de medida socioeducativa? Meio aberto? Que? Qual o objetivo desta função? Qual é o nosso papel? Faz mais de um ano que faço essa pergunta a mim mesma e a todos ao meu redor, e não porque não sei burocraticamente e concretamente meu papel, mas porque dentre todas as possibilidades de carreira na minha formação acadêmica fui escolher a de técnico social em serviço de medida socioeducativa em meio aberto. E sim, é uma escolha. É uma escolha trabalhar com políticas públicas quando as prioridades do governo não são as políticas públicas. É uma escolha trabalhar com a garantia de direitos dos adolescentes quando os adolescentes em conflito com a lei não são prioridade porque afinal, eles estão em uma fase da vida em que fazem escolhas entre o “bem” e o ...

    Leia mais
    A ONG Educafro tem foco na preparação de jovens negros para o vestibular Imagem- Zalika

    ONGs trabalham por mobilidade e no combate a holocausto urbano

    "Minha vontade de fazer a diferença se deu com a morte da menina Agatha", explica Irapuã Santana, membro da ONG Educafro, nascido no Rio de Janeiro e, hoje, procurador do município de Mauá. "Precisamos parar com essa política genocida que tritura vidas de jovens negros sem que ninguém faça algo", completa. por Fred di Giacomo no UOL A ONG Educafro tem foco na preparação de jovens negros para o vestibular Imagem- Zalika Irapuã, que se beneficiou das cotas raciais para entrar em direito na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, é a prova de que as tragédias e conflitos sociais que têm marcado o cotidiano brasileiro podem nos paralisar e deprimir, mas também nos fazer agir. "Foi daí que surgiu a ideia de demonstrar que essa política é falida e inapta", continua o autor da denúncia efetuada pela ONG Educafro contra o Brasil na ONU ...

    Leia mais
    Policiais no Alemão, chegando para a reconstituição Foto: Domingos Peixoto / Agência O Globo

    Caso Ágatha: inquérito da Polícia Civil aponta que PM causou morte da menina

    Resultado da investigação será entregue nesta terça-feira à Justiça. Segundo relatos de testemunhas, cabo confundiu esquadria de janela que homem levava em motocicleta com arma e atirou Por Rafael Nascimento de Souza, do  O Globo  Policiais no Alemão, chegando para a reconstituição (Foto: Domingos Peixoto / Agência O Globo) Partiu de um cabo da PM o disparo que, dois meses atrás, provocou a morte da estudante Ágatha Vitória Sales Félix, de 8 anos, no Complexo do Alemão. A informação consta do inquérito da Polícia Civil sobre o caso, que deve ser enviado nesta terça-feira à Justiça. De acordo com o documento, houve um “erro de execução”: o objetivo não era atingir a criança, mas dar um “tiro de advertência” para forçar a parada de dois homens que estavam numa motocicleta. A dupla fugiu de uma blitz dentro do complexo. Em seguida, o PM, lotado na Unidade ...

    Leia mais
    Entrada do Hospital Municipal Souza Aguiar Imagem: Reprodução/Google Maps

    Vitória Ferreira da Costa de 11 anos é baleada no Rio quatro dias após a morte de Ághata

    Uma criança e uma mulher foram baleadas na tarde de hoje, no morro da Mineira, no Catumbi, região central do Rio de Janeiro. O caso será investigado pela 6ª Delegacia de Polícia da Cidade Nova. por Pauline Almeida no UOL Entrada do Hospital Municipal Souza AguiarImagem: Reprodução/Google Maps Populares socorreram Vitória Ferreira da Costa, 11, e a levaram ao Hospital Municipal Souza Aguiar. Ela estaria voltando da escola quando acabou atingida na perna, perto do joelho. Já uma mulher identificada como Antônia Fábia Rodrigues de Souza, de 33 anos, também foi baleada no morro da Mineira e deu entrada na mesma unidade de saúde, atingida na coxa. Segundo informações da Secretaria Municipal de Saúde, o estado das duas é estável. Em nota, a Polícia Militar negou qualquer operação na comunidade no momento dos tiros. A versão é de que a menina e a mulher foram vítimas ...

    Leia mais
    Protesto contra mortes de Ágatha e de outras crianças ocorreu em frente à Alerj, no centro do Rio / Eduardo Miranda/Brasil de Fato

    “Parem de nos matar”, pedem moradores em ato no Rio contra morte de Ágatha, de 8 anos

    Movimentos populares, civis, lideranças e moradores de favelas, estudantes e professores do ensino médio e universitário participaram de um grande protesto em frente à Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), nesta segunda-feira (23), contra a morte de Agatha Vitória Sales Félix, de oito anos. A menina foi vítima de um tiro de fuzil da Polícia Militar, no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio, na última sexta-feira (20). “Exigimos justiça pela Ágatha, não vamos deixar que ela vire mais uma nas estatísticas”, afirmou Daniele Félix, tia da menina, sendo acompanhada por um coro de pessoas presentes no ato. A tia de Ágatha estava acompanhada de outros familiares e disse que os pais da menina, que não foram ao ato, “estão destruídos”. “Somos vítimas da violência do Estado do Rio de Janeiro. Repudiamos essa situação de insegurança e terrorismo do governador contra as comunidades. Ele está nos forçando a ...

    Leia mais
    Antonio Lacerda/EFE

    Ele comemorou, não a vida das vítimas, mas a morte do sequestrador. Brasil e a era do necroamor

    Em uma cena de sequestro, todo mundo torce para a vítima, ninguém para o sequestrador. por Douglas Belchior no Negro Belchior A mãe dele, talvez. Talvez! É natural então que quando o sequestro termina com a vítima ilesa, todo mundo comemore. O que é algo muito diferente de comemorar a morte do sequestrador. Uma coisa é a comemoração da vida, outra coisa a comemoração da morte. É grotesco então ver o governador do Rio de Janeiro, um estado cheio de problemas urgentes, pegar um helicóptero no meio do seu turno de trabalho, voar até o local do acontecido não para confortar as vítimas, mas para pateticamente comemorar a morte, como quem comemora um gol. É isso que se tornou o Brasil recentemente. O maior país católico do mundo se transformou em um país de adoradores da morte. Amém!!! É claro, está todo mundo cansado da violência, nossa empatia está com ...

    Leia mais
    Mídia Ninja/CC

    Em São Paulo, crianças e adolescentes na mira da polícia

    Polícia foi a principal responsável por mortes violentas de menores de 19 anos na capital paulista, revela estudo encomendado pelo Unicef. Antes desconhecido, padrão de letalidade policial contra jovens choca analistas. Por Yan Boechat, do DW Mídia Ninja/CC Um levantamento realizado a pedido do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) com base em dados da própria Secretaria de Segurança Pública de São Paulo mostra que o número de mortes de crianças e adolescentes decorrentes de intervenção policial superou os óbitos em todas as outras categorias classificadas como mortes violentas (homicídios, latrocínio, acidentes de trânsito, suicídio, feminicídio e lesão corporal seguida de morte). Os dados são restritos apenas à cidade de São Paulo, mas mostram um padrão de letalidade policial contra crianças e adolescentes que era desconhecido. Não existem estudos semelhantes em outras capitais ou estados do país. Entre 2014 e 2018, as polícias de ...

    Leia mais
    imagem: Sergio Moraes:Reuters

    A lei à margem da lei – por Oscar Vilhena

    A morte do músico Evaldo Rosa do Santos, 46, está longe de ser um incidente, um lamentável erro de um pequeno grupo de militares jovens e despreparados que, dominados pelo medo e forte emoção, dispararam nada menos que 80 tiros contra o veículo que transportava sua família. Ela é fruto de décadas de descaso com a segurança pública e, no dizer do escritor Mia Couto, também "a manifestação de uma outra lei que se quer fazer à margem de toda a lei". por Oscar Vilhena Vieira no Folha de São Paulo Oscar Vilhena Vieira - Foto FGV A morte de civis pelas forças de segurança do Estado brasileiro tem sido uma prática sistemática ao longo da nossa história. Durante o regime militar, foi uma política de Estado, que levou à execução, à tortura e ao desaparecimento de centenas de dissidentes, como demonstrado pela Comissão Nacional da ...

    Leia mais
    Pilar Oliveria / Reuters

    Comissão Arns exige investigação de mortes no morro do Fallet, no Rio

    Grupo foi criado para denunciar violações de direitos humanos sob governo Bolsonaro por Thaiza Pauluze no Folha de São Paulo O pontapé inicial da Comissão Arns, formada por 20 lideranças intelectuais para denunciar violações aos direitos humanos sob o governo do presidente Jair Bolsonaro, vai ser cobrar respostas sobre a ação policial que deixou 15 mortos no morro do Fallet-Fogueteiro, no centro do Rio, e criticar o pacote anticrime do ministro da Justiça Sergio Moro, chamado de licença para matar. "Foi uma chacina, um massacre. Sete homens sofreram tortura física e morreram dentro de uma casa”, afirmou o advogado Antonio Cláudio Mariz de Oliveira, sobre a operação, no início de fevereiro. “É a repetição do que já ocorreu e prenúncio do que pode vir a ocorrer com mais intensidade.” Batizada em homenagem a dom Paulo Evaristo Arns, arcebispo morto em 2016, a comissão foi criada por por um grupo de ex-ministros, intelectuais, advogados, acadêmicos e jornalistas ...

    Leia mais
    Evaldo era músico e segurança. Ele estava no carro com a mulher, o filho de 7 anos, o sogro e uma amiga da família e morreu na hora — Foto- Reprodução:Facebook

    80 Tiros: Delegado diz que ‘tudo indica’ que Exército fuzilou carro de família por engano no Rio

    Militares que dispararam mais de 80 vezes contra carro e mataram músico de 51 anos prestaram depoimento ao Exército, que informa que o caso está sendo investigado. no G1 O delegado Leonardo Salgado, da Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro, disse neste domingo (7) que "tudo indica" que os militares do Exército que mataram Evaldo dos Santos Rosa em uma ação durante a tarde em Guadalupe, Zona Norte do Rio, atiraram ao confundirem o carro com o de assaltantes. O automóvel de uma família foi atingido por mais de 80 disparos, segundo perícia realizada pela Polícia Civil. As cinco pessoas que estavam no carro iam para um chá de bebê: Evaldo, a esposa, o filho de 7 anos, o sogro de Evaldo (padastro da esposa) e outra mulher. Evaldo dos Santos Rosa, de 51 anos, morreu na hora. O sogro dele, Sérgio, foi baleado nos glúteos. Seu quadro era ...

    Leia mais
    (foto- Reprodução:Redes sociais )

    Polícia indicia segurança acusado de sufocamento de Pedro Henrique Gonzaga em supermercado do Rio

    O jovem Pedro Henrique Gonzaga foi morto dentro do supermercado Extra, na Barra da Tijuca, depois que Davi Amâncio o imobilizou com um mata-leão no Correio Braziliense (foto- Reprodução:Redes sociais ) A Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro indiciou, por homicídio com dolo eventual, o segurança Davi Amâncio, acusado de matar um jovem por sufocamento, no dia 15 de fevereiro, em um supermercado da Barra da Tijuca, na zona oeste da cidade. Agora, o inquérito será encaminhado à Justiça. O jovem Pedro Henrique Gonzaga foi morto dentro do supermercado Extra , na Barra da Tijuca, depois que Davi Amâncio o imobilizou com um mata-leão (golpe em que a pessoa sufoca a outra com uma chave de braço) e ficou sobre a vítima durante algum tempo. O segurança alegou que Pedro tentou roubar sua arma e que aplicou o golpe para se defender. Mas, para a ...

    Leia mais
    Douglas Belchior

    Ideias Negras #33 | Douglas Belchior: é hora do nosso povo se autorrepresentar na política

    Douglas Belchior, formado em História pela PUC-SP, é fundador e professor do Movimento Negro Uneafro Brasil de cursinhos de educação popular. Escreve para a revista Carta Capital, faz palestras e participa de debates e conferências nacionais e internacionais sobre a questão racial no Brasil e genocídio da juventude negra. Nesta entrevista, em uma tarde chuvosa, ele faz uma leitura racial da política brasileira afirmando que o tempo do povo negro se autorepresentar na política é o agora! Referências: Livro "Caminho da liberdade", autor Howard Fast, Editora Record, 1972 Filme "Mississipi em Chamas", direção Alan Parker, EUA, 1988 Filme "Pantera Negra", direção Ryan Coogler, EUA, 2018

    Leia mais
    Thiago de Souza Amparo encostado em uma mesa

    Não é vitimismo! Thiago de Souza Amparo comenta as discussões sobre racismo que tomaram as redes sociais nas últimas semanas

    O especialista Thiago de Souza Amparo comenta as discussões sobre racismo que tomaram as redes sociais nas últimas semanas no Outline.com Thiago de Souza Amparo - Imagem- Veja.com Filho de uma ex-empregada doméstica, Thiago de Souza Amparo, de 33 anos, formou-se em direito e fugiu das estatísticas. Graduado pela PUC-SP, ele compõe o grupo de 12,8% dos negros que têm diploma universitário. Com uma bolsa financiada pelo megaempresário George Soros, Amparo cursou mestrado e doutorado em direitos humanos pela Central European University, em Budapeste, para depois ser pesquisador visitante na Universidade Columbia, em Nova York. O racismo e suas consequências foram o tema central de seus estudos, com o objetivo de traçar alternativas e pesquisas para combater a exclusão social. Há dois anos ele leciona a disciplina de discriminação e diversidade na Fundação Getulio Vargas, em São Paulo. O especialista comenta as discussões sobre racismo que tomaram ...

    Leia mais
    Faixa com os dizeres: "Não Consigo respirar" pendurada no viaduto do chá em São Paulo

    Extra, Estado, Sociedade e a orientação para matar negros

    O assassinato do jovem negro Pedro Gonzaga, 19 anos, pelo agente de segurança privada Davi Ricardo Moreira Amancio, a serviço do supermercado Extra, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, é amostra da orientação e autorização para se matar negros, característica fundante da sociedade brasileira. Por Douglas Belchior no NegroBelchior Não consigo respirar - Imagem: JYimgens A orientação/autorização para matar negros continua em vigor e mais efetiva que nunca no Brasil. Esta orientação/autorização está presente nas telas de TV, nos programas policiais e na indústria do entretenimento. Está presente na oração do religioso conservador, nas decisões dos juízes, na promessa de campanha, nos projetos de leis de parlamentares e ministros, nas palavras do presidente e na prática dos governos. Esta orientação/autorização se realiza de maneira implícita no desemprego, nas desigualdades sociais, na falta de moradia digna, no sistema de saúde e educação falidos, na precária aposentaria e, ...

    Leia mais

    Ato de protesto em frente rede de supermercado que jovem foi assassinado por segurança

    Cartazes com dizeres como “Vidas negras importam” e “Minha cor não é um crime” foram colados na grade de proteção no Revista Fórum Ato contra o assassinato de Pedro Henrique Gonzaga em Belo Horizonte - Foto Roger Damaceno Uma grande manifestação ocorreu na tarde deste domingo (17), em frente ao supermercado Extra na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro, local onde o rapaz Pedro Henrique Gonzaga foi brutalmente assassinado pelo segurança do estabelecimento. Inúmeros movimentos sociais marcaram presença no protesto, realizado no estacionamento do supermercado. Cartazes com dizeres como “Vidas negras importam” e “Minha cor não é um crime” foram colados na grade de proteção, de acordo com informações de Matheus Rodrigues, do G1. O ator Aílton Graça também esteve no protesto. Ele falou sobre a importância de protestar e pediu um “basta” e respeito ao cidadão. A Polícia Militar enviou equipes para ...

    Leia mais
    jovem negro com texto parem de nos matar e a mão ensanguentada

    MANIFESTO: Assassinado! Mais um corpo negro assasinado!

    Pedro Gonzaga foi brutalmente assassinado no último dia 14, sendo acusado de tentativa de furto no supermercado Extra na Barra da Tijuca. imagem: Geledés Os fundamentos da acusação são absurdamente falhos e inconsistente, Pedro estava acompanhado de sua mãe e era portador de transtornos mentais. E, mesmo, depois de imobilizado Pedro foi estrangulado pelo segurança que a despeito dos gritos e pedidos para que cessasse a agressão continuou o estrangulamento até por fim mata-lo. Fica o questionamento sobre a criminalização dos nossos corpos e a violência que nos atinge, bastando sermos negros para automaticamente nos considerarem suspeitos em quaisquer espaço que circulamos. A criminalização da juventude negra é uma cultura que tem executado dezenas dos nossos e legitimado ações arbitrárias sobre nossos corpos. Em tempos em que o aparelho punitivo do Estado se fortalece e encontra apoio ainda nas camadas populares, percebemos como essa cultura genocida ...

    Leia mais
    Oscar Vilhena Vieira - Foto FGV

    A política do abate por Oscar Vilhena Vieira

    Testemunhamos nova onda despudorada e tosca do populismo penal por Oscar Vilhena Vieira no Folha de São Paulo   Oscar Vilhena Vieira - Foto FGV O populismo, mais do que uma ideologia, é uma síndrome política que nasce e se nutre da desconfiança e do ataque às instituições democráticas. No campo penal, o populismo dá vazão aos instintos mais primitivos de vingança, em detrimento de políticas de combate à criminalidade racionais, pautadas em evidências e condicionadas pelos princípios do Estado de Direito. Aos populistas o que importa é demonstrar que o exercício da violência pelo Estado não se encontra constrangido pela lei, especialmente pelos direitos daqueles definidos como inimigos, que devem e podem ser abatidos. Nestes últimos 30 anos o sistema democrático brasileiro não foi capaz de reformar suas instituições de segurança e aplicação da lei de forma a atender as necessidades ...

    Leia mais
    Reprodução/Twitter

    Vídeo prova que Pedro Henrique Araujo, jovem assassinado no Extra não tentou roubar arma de segurança

    Vídeo da câmera de segurança do supermercado Extra mostra que não houve tentativa do jovem Pedro Henrique Araujo, 19 anos, de tentar pegar a arma do segurança do estabelecimento, Davi Ricardo Moreira Amancio, que o matou nesta sexta-feira, no Extra da Barra da Tijuca, Rio de Janeiro Do Brasil 247 Reprodução/Twitter Renê Silva, editor-chefe do Voz das Comunidades, compartilhou nas redes sociais a reportagem com o vídeo. "Imagens exclusivas do #RJTV @RedeGlobo mostram que o rapaz caiu no chão duas vezes e que não estava tentando pegar arma do segurança. E aí?", questionou o comunicador e ativista. Imagens exclusivas do #RJTV @RedeGlobo mostram que o rapaz caiu no chão duas vezes e que não estava tentando pegar arma do segurança. E aí? #VidasNegrasImportam pic.twitter.com/tJUMeA94e4 — Rene Silva ✊🏾 (@eurenesilva) 15 de fevereiro de 2019 Leia Também: Paola Corosella: Morte de Pedro Gonzaga gera menos revolta que a de um cachorro Precisamos ...

    Leia mais
    Crédito: Nino Andrés

    Paola Corosella: Morte de Pedro Gonzaga gera menos revolta que a de um cachorro

    A chef Paola Carosella condenou a indignação seletiva da sociedade perante o extermínio da juventude negra e periférica; nesta madrugada, o jovem Pedro Gonzaga, de 19 anos, foi assassinado no supermercado Extra, após receber um golpe de mata-leão de um segurança; "A morte de um jovem negro em mãos de um segurança gera infinitamente menos indignação que a morte de um cachorro em mãos de um segurança"; a deputada Erika Kokay, a atriz Leandra Leal e o líder do MTST, Guilherme Boulos, também condenaram o assassinato. Do Brasil 247 Paola Carosella (Foto: Nino Andrés/Revista Trip) A chefe de cozinha e apresentadora de TV Paola Carosella usou sua conta no Twitter para questionar a indignação seletiva da sociedade quando se trata da morte de jovens negros e periféricos. Pedro Gonzaga, de 19 anos, foi assassinado na madrugada desta sexta-feira (15), no supermercado Extra, após ser atingido por um ...

    Leia mais
    Pedro, caído no chão do supermercadoo Foto- Reprodução

    Vigilante de supermercado Extra mata jovem por sufocamento no RJ

    Um jovem de 19 anos foi morto durante a abordagem de um segurança, em uma unidade do supermercado Extra, na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro. no O Tempo Pedro, caído no chão do supermercadoo Foto- Reprodução O caso ocorreu na tarde desta quinta-feira (14) e, segundo a assessoria de imprensa da rede de supermercados, o incidente teria começado após o rapaz, identificado como Pedro Gonzaga, ter tentado roubar a arma de um dos seguranças da loja. As informações são da Agência Brasil. O vigilante reagiu e imobilizou o jovem com um mata-leão, golpe de artes marciais em que uma pessoa sufoca a outra usando os braços para pressionar o pescoço. Em vídeos divulgados na internet, é possível ver o segurança com o golpe encaixado e deitado por cima do rapaz, que está imóvel no chão, aparentando estar inconsciente. Ontem, Pedro Gonçalves ...

    Leia mais
    Página 1 de 63 1 2 63

    Últimas Postagens

    Artigos mais vistos (7dias)

    Twitter

    Welcome Back!

    Login to your account below

    Create New Account!

    Fill the forms bellow to register

    Retrieve your password

    Please enter your username or email address to reset your password.

    Add New Playlist