blank blank blank
terça-feira, março 2, 2021

Tag: #BlackLivesMatter

"Justiça para Daniel Prude": protesto em Rochester em setembro de 2020 (Foto: Reuters/ L. DeDario)

EUA: agentes que asfixiaram homem negro nem serão julgados

A Justiça americana eximiu nesta terça-feira (23/02) a polícia de responsabilidade no caso de Daniel Prude, um homem negro que morreu uma semana depois de ser detido de forma violenta e perder a consciência em Rochester, no estado de Nova York. A prisão ocorreu em março passado, mas as imagens da detenção vieram a público apenas em setembro, gerando uma onda de protestos no estado de Nova York. Prude, de 41 anos, sofria de problemas de saúde mental. Ele visitava o irmão em março quando aparentemente teve um surto psicótico. Ele correu pela rua pelado e foi algemado pelos policiais. Em seguida, os policiais colocaram um capuz especial em sua cabeça, um dispositivo conhecido como spit hood e usado para evitar que os detidos cuspam ou mordam. Na época, o estado de Nova York estava no estágio inicial da epidemia de coronavírus O vídeo mostra um dos policiais segurando o capuz na cabeça ...

Leia mais
Geledés

Família diz que menino morto no Rio foi retirado da porta de casa pela PM

A família do adolescente Ray Pinto Faria, de 14 anos, encontrado morto ontem em um hospital do Rio com ao menos dois tiros, afirma que a criança foi retirada da porta de casa pela PM e morta em seguida. As armas dos policiais militares que participaram da ação foram apreendidas e passarão por perícia, segundo a Polícia Civil. Ray estava na frente da casa onde mora, no bairro do Campinho, na zona norte do Rio, jogando no aparelho celular, quando foi abordado. De acordo com uma tia do rapaz, que não terá o nome divulgado por questões de segurança, foram horas de buscas pela criança que foi encontrada morta no Hospital Municipal Salgado Filho, no Méier, também na zona norte. No hospital, a família tomou conhecimento que Ray foi levado para a unidade de saúde juntamente com outras duas vítimas. De acordo com a tia, no hospital foi informado que o ...

Leia mais
Foto: Ari Melo/ TV Gazeta

Moradores carregam corpos e relatam danos psicológicos após ações da PM na Baixada Fluminense

Joana, 75, foi à rua resolver tarefas cotidianas, mas a violência que atravessa a vida na Baixada Fluminense a paralisou. Na praça, havia uma pilha de corpos, amarrados pelos pés. “Era como se fossem animais, parecia um monte de bicho”, contaria depois à filha, aos prantos. Naquela terça-feira, 12 de janeiro, a Polícia Militar do Rio de Janeiro afirmou ter encontrado oito corpos em Belford Roxo, cidade a cerca de 30km da capital, palco de disputas entre facções do tráfico de drogas e grupos milicianos. No dia anterior, teve início uma megaoperação da PM que, segundo moradores da região, avançou por fevereiro. A ação ocorre a despeito da decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que restringiu as operações no estado durante a pandemia do novo coronavírus. Segundo a Polícia Militar, o objetivo é instalar um destacamento que contará com 125 agentes no Complexo do Roseiral, favela controlada pelo Comando Vermelho. A corporação diz que não teve responsabilidade ...

Leia mais
Manifestantes protestam em São Gonçalo, região metropolitana do Rio, contra assassinato de negros - Lucas Tavares-Folhapress

Deuses ateus: buscando reconstruir afeto numa sociedade que vê o homem negro como ameaça

“Deuses nascem todos os dias mesmo E os melhores têm a pele preta E são assassinados todos os dias pelos de pele clara Geralmente usando azul caneta Eu tenho muito amor pra dar e um filho pequeno Diz o que quer de mim Meu menino é um deus ateu Pois em algum momento vai duvidar de si” (Delacruz - Deuses Ateus) Eu aprendi a amar com um homem preto: o meu pai. E hoje perco noites de sono pensando na desumanização que nossa sociedade imprime em homens pretos. Nosso país não ama homens pretos. O Brasil não é um local seguro para homens pretos. Não é um lugar seguro para pessoas pretas. E por conta disso, hoje eu vou falar sobre contrassenso. Para uma pessoa que foi criada por um homem preto e entende isso como uma expressão de amor, não é fácil compreender uma sociedade que trata os ...

Leia mais
Arquivo Pessoal

Governo do Rio sanciona Lei Ágatha, que prioriza investigação de crimes contra crianças e adolescentes

O governo do Rio de Janeiro, de Cláudio Costa, sancionou, nesta quarta-feira, 13, a “Lei Ágatha”, que prioriza investigação de crimes contra crianças e adolescentes. A Lei 9.180/21 é de autoria das deputadas Dani Monteiro e Renata Souza, ambas do PSOL, e da deputada Martha Rocha, do PDT, e garante que crimes cometidos contra a vida de crianças e adolescentes tenham prioridade na investigação. A medida recebe o nome de Ágatha Vitória Sales Félix, uma menina de 8 anos, que foi baleada e morta, em 2019, durante operação policial no Complexo do Alemão, na Zona Norte do Rio. A nova norma estabelece que "os procedimentos investigatórios e as comunicações internas e externas referentes aos procedimentos investigatórios deverão conter o seguinte aviso escrito: 'Prioridade - Vítima Criança ou Adolescente'".   Fonte: Brasil 247

Leia mais
Mãe de Emily Victoria Silva dos Santos, 4, fala durante protesto após morte da menina em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense - Nicola Pamplona/Folhapress

Por que matam os nossos pássaros negros?

É preciso que olhemos as crianças e jovens negros que tiveram as suas vidas destruídas, além das estatísticas, para nunca nos esquecermos das dignas trajetórias que tiveram. Trajetórias imensamente dignas. A dita “política de segurança pública” que enseja mortes no Brasil tem assassinado, sobretudo, os sonhadores, devastando os que sonhavam e sonham com eles. “Perder um filho é o inverso das coisas”, diz meu avô. E com ele aprendi: é o inverso porque as trajetórias se findam incompletas. E o final, na verdade, nunca é o final só para quem partiu. Porque, por trás de tantos sonhos interrompidos, havia tantos outros compartilhados. No país em que crianças e jovens são diariamente discriminados, violentados e mortos, é necessário falarmos das suas humanidades silenciadas. Eis aqui o Brasil das trajetórias que se perderam porque decidiu fazer do seu amanhã uma repetição inacabada do seu ontem e da violência travestida em “política de ...

Leia mais
Policiais atiram em Jacob Blake (Reprodução)

Promotoria não denunciará policial que atirou contra homem negro em Wisconsin

A promotoria de Kenosha, no estado americano de Wisconsin, anunciou que não denunciará o policial branco que atirou nas costas do homem negro Jacob Blake, 29, em agosto passado, um episódio que desencadeou grandes protestos de rua e inflamou as tensões raciais nos Estados Unidos. Um vídeo do caso, gravado em um celular, mostra o agente Rusten Sheskey atirar a queima-roupa nas costas de Blake sete vezes após a vítima abrir a porta de seu carro. Ele foi atingido quatro vezes e ficou paralisado da cintura para baixo. As autoridades afirmam que havia uma faca dentro do carro de Blake. O promotor distrital do condado de Kenosha, Michael Graveley, argumentou que o policial tinha direito à legítima defesa. O advogado de Blake, Ben Crump, disse que ele estava tentando interromper uma briga entre duas mulheres quando foi baleado na frente de três de seus filhos, de 3, 5 e 8 ...

Leia mais
Jhordan Natividade foi encontrado morto a 8 quilômetros de onde ele e Edson foram abordados por PMs (Foto: Reprodução)

Jovem morto após abordagem de PMs na Baixada foi executado com tiro no rosto

Uma análise preliminar feita pela Polícia Civil no local do crime constatou que um dos jovens mortos após uma abordagem policial em Belford Roxo, na Baixada Fluminense, foi encontrado com duas perfurações na cabeça, mas que aparentam ser entrada e saída do mesmo disparo de arma de fogo. Jhordan Luiz de Oliveira Natividade, de 17 anos, tinha orifícios na sobrancelha e na nuca. Segundo Informação de investigação preliminar feita pela Delegacia de Homicídios (DH) da Baixada Fluminense, à qual O GLOBO teve acesso, a suspeita dos investigadores é de que o disparo tenha entrado pela parte da frente da cabeça e saído pela de trás. O documento aponta ainda que Edson de Souza Arguinez, de 20 anos, tinha três perfurações causadas por tiros, uma nas costas e duas na barriga. Nos casos de homicídio, peritos criminais comparecem ao local do fato ou do encontro dos cadáveres e fazem análises preliminares, ...

Leia mais
Arquivo Pessoal

Choremos pelas crianças que vão morrer a tiros de fuzil como Emily e Rebeca

É como se tudo estivesse previsto em um roteiro que todos temos que seguir. Primeiro a tragédia: as primas Emily, de 4 anos, e Rebeca, de 7 anos, são assassinadas em uma comunidade de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, a tiros de fuzil. A partir desse flagelo, já sabemos tudo o que vai acontecer - e tudo o que não vai acontecer. O crime ocorreu na noite de sexta-feira. Lídia Santos, avó de Rebeca, conta que voltava do trabalho e iria ao encontro das meninas, que a esperavam na calçada para cumprir a promessa de comprar um lanche. Assim que desceu do ônibus, Lídia viu um carro da Polícia Militar. Em seguida, foram feitos os disparos. A avó e outras testemunhas acusam os PMs de terem atirado. Em nota, a corporação nega que os policiais tenham apertado o gatilho. Um projétil atingiu Rebeca na cabeça. Outro tiro acertou o ...

Leia mais
Manifestantes carregam cartazes com os nomes de jovens mortos por ações policiais, durante o Ato Vidas Negras Importam, em Cidade Tiradentes, Zona Leste de São Paulo (Foto: Bruno Santos/ Folhapress)

Violência racial: de cada 10 pessoas mortas pela polícia, oito são negras. Entidades cobram resposta do Estado

Ações para conter a violência racial e por parte da polícia e barrar a escalada de assassinatos de negros em todo o país foram cobradas com veemência em audiência pública realizada pela Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC/MPF) nesta quinta-feira (3). Representantes de organizações de defesa dos direitos humanos, do movimento negro e especialistas em segurança pública reivindicaram também medidas urgentes e efetivas do Ministério Público Federal no enfrentamento à violência de abordagens desnecessárias, violentas – especialmente de jovens – que geralmente terminam em assassinato e impunidade. De acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública, as mortes decorrentes de intervenções policiais têm aumentado. Em 2018, das 6.175 ocorrências, 75,4% eram pessoas negras. Em 2019, o número de ocorrências subiu para 6.357 e o percentual saltou para 79,1%. O número é mais de dez vezes maior que o de policiais mortos, evidenciando o uso excessivo de força policial. Além ...

Leia mais
(Foto: Geledés)

Duas meninas, de 4 e 7 anos, morrem em tiroteio em Duque de Caxias

Duas crianças, de 4 e 7 anos, morreram após serem baleadas em um tiroteio em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, na noite desta sexta-feira (4). O crime aconteceu na comunidade Santo Antônio. De acordo com moradores, as duas meninas, que são primas, estavam brincando na porta de casa. Emilly Victoria, de 4 anos, foi baleada na cabeça. Segundo familiares, ela completaria 5 anos ainda este mês. Rebeca Beatriz Rodrigues dos Santos, de 7 anos, levou um tiro no abdômen. A avó das meninas contou que estava chegando do trabalho. As meninas a esperavam na calçada para comprar um lanche, quando passou um carro da polícia, por volta das 20h. Os familiares disseram que não sabiam se havia algum tipo de perseguição, mas só viram a polícia atirando. A Polícia Militar afirma que uma equipe do 15º Batalhão (Duque de Caxias) estava fazendo um patrulhamento na Rua Lauro Sodré, na ...

Leia mais
(Foto: Geledés)

Supermercados que golpeiam e matam: sobre Januários, Elisângelas e Joões

Esta narrativa  foi gerada no início deste ano de 2020, e de lá pra cá, trazendo ainda às nossas lembranças a brutalidade extrema, racista, contra Januário, homem negro acusado de “roubar o próprio carro” no supermercado Carrefour, na cidade de São Paulo, muitas situações de racismo em supermercados vêm ocorrendo com pessoas negras nos quatro cantos deste país.  O mesmo Brasil que, pela boca de uma mídia “global” diz que “Nós não somos racistas”, cujo quiproquó escorre na língua venenosa de algumas lideranças políticas. Há Joões negros que morrem tanto asfixiado brutalmente numa confusão resolvível numa rede de supermercados (Carrefour), quanto num mercado menor.  Há também Marias que são perseguidas e golpeadas pelas insensibilidades de funcionários, que também não deixa de ser racista, advindas de situações preconceituosas no estacionamento ou nos corredores de pequenos supermercados. Cada um desses episódios são mortais, seja para o corpo, a alma, o psicológico da ...

Leia mais
Darnella Frazier (Arquivo Pessoal)

Adolescente que filmou últimos momentos de George Floyd será premiada por coragem

A americana Darnella Frazier, de 17 anos, que filmou George Floyd sendo sufocado pela polícia, vai receber um prêmio pela coragem de ter registrado a cena. "Com nada além de um celular e muita coragem, Darnella mudou o curso da história deste país", afirma Suzanne Nossel, presidente da Pen America, associação de defesa da liberdade de expressão e dos direitos humanos que vai homenagear a jovem. " acendeu as chamas de um corajoso movimento que pede pelo fim do racismo sistêmico e da violência praticada pela polícia." A homenagem a Darnella será feita no início de dezembro em uma cerimônia virtual que vai substituir o tradicional baile de gala que a instituição oferece para entregar o prêmio "PEN/Benenson Courage Award" (prêmio de coragem da Pen/Benenson). O assassinato de George Floyd pela polícia gerou enorme revolta nos EUA e impulsionou o movimento Black Lives Matter (Vidas negras importam, em inglês), ...

Leia mais
O produtor musical Michel Zecler depois de ser agredido por policiais em seu estúdio, em Paris O produtor musical Michel Zecler depois de ser agredido por policiais em seu estúdio, em Paris - Reprodução/Loopsider

Quatro policiais são indiciados por agressão a homem negro na França

Quatro policiais foram indiciados e dois deles detidos no âmbito das investigações sobre o espancamento de um produtor musical negro em Paris, no caso mais recente de violência policial que ocorre em meio ao debate sobre a Lei de Segurança Global. O juiz de instrução acusou três dos quatro policiais de "violência voluntária por parte de pessoa detentora de autoridade pública" (similar ao crime de lesão corporal dolosa) e de "mentir em documento público" (falso testemunho), como havia requisitado o Ministério Público de Paris. Os acusados são os três policiais que aparecem em um vídeo divulgado na quinta-feira (26) e que foi gravado pelas câmeras de segurança do estúdio musical da vítima. As imagens mostram os agentes espancando o produtor Michel Zecler, um ato que foi chamado de vergonhoso pelo presidente Emmanuel Macron. O policial suspeito de lançar gás lacrimogêneo no estúdio foi indiciado por lesão corporal dolosa contra o ...

Leia mais
Agatha Félix, de 8 anos, morava no Complexo do Alemão (Foto: Reprodução das redes sociais)

PM réu por morte da menina Ágatha Felix está com Covid e audiência é adiada para 2021

O policial militar Rodrigo José de Matos Soares, acusado de matar a menina Ágatha Vitória Sales Felix, de 8 anos, foi diagnosticado com Covid-19 e, por isso, a pedido da defesa dele, a primeira audiência sobre o caso – que ocorreria nesta quinta-feira (26) – foi adiada para abril de 2021. É a segunda vez que a sessão na 1ª Vara Criminal é prorrogada. Em junho, foi determinada a remarcação da audiência por conta da pandemia. Ágatha Felix foi morta no Complexo de favelas do Alemão, Zona Norte, na noite de 20 de setembro de 2019. A menina estava dentro de uma kombi com a mãe quando foi baleada nas costas. Dois meses após o crime, a investigação da Secretaria de Polícia Civil concluiu que não havia tiroteio no momento em que a criança foi baleada. Também foi confirmado ao fim do inquérito que a bala que atingiu a menina ...

Leia mais
O artista NegoVila, 40 (Foto: Arquivo Pessoal)

Artista negro morre baleado em distribuidora de bebidas em SP, e policial suspeito é detido

O artista NegoVila Madalena, 40, morreu atingido por um tiro que, segundo testemunhas, foi disparado por um policial na frente de uma distribuidora de bebidas de Vila Madalena, na zona oeste da capital paulista, na madrugada deste sábado (28). A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou, no fim da tarde deste sábado, que um policial militar foi detido após um homicídio ocorrido em um bar na Vila Madalena. "O caso está sendo registrado pelo 14º DP (Pinheiros), que apura os fatos. A Polícia Militar também instaurou um IPM para investigar todas as circunstâncias relacionadas à ocorrência", diz a nota. O assassinato do artista negro acontece nove dias depois de Beto Freitas, também negro, ser espancado até a morte por seguranças de uma unidade do Carrefour, em Porto Alegre. O crime, ainda sob investigação, chocou o país. NegoVila era o nome artístico de Wellington Copido Benfati. ...

Leia mais
(Foto: Isabella Pinheiro/Gshow)

Falas Negras recebe milhares de elogios e Lázaro Ramos agradece

A Globo exibiu na noite de ontem (20), no Dia da Consciência Negra, o especial Falas Negras, dirigido por Lázaro Ramos. A atração reuniu 22 depoimentos de atores interpretando nomes conhecidos pelo grande público na luta contra o racismo, como Nelson Mandela (Bukassa Kabengele) e Martin Luther King (Guilherme Silva). No programa, Taís Araújo interpretou Marielle Franco, vereadora assassinada no Rio de Janeiro, Tatiana Tibúrcio viveu a mãe do menino Miguel Otávio, que caiu de um dos andares de um prédio de luxo no Recife, enquanto estava sob os cuidados da patroa da mãe, e Silvio Guindane interpreto o pai de João Pedro, menino morto a tiros durante uma operação da polícia. O especial Fala Negras também contou com Muhammad Ali (Babu Santana), Milton Santos (Aílton Graça), Luiz Gama (Flavio Bauraqui), Lélia Gonzalez (Mariana Nunes), Angela Davis (Naruna Costa), Luiza Bairros (Valdineia Soriano), Malcolm X (Samuel Melo), entre outros. Para ...

Leia mais
Mirtes Renata Santana, mãe de Miguel Otávio Santana da Silva Imagem: JÚLIO GOMES/LEIAJÁIMAGENS/ESTADÃO CONTEÚDO

Racismo que matou João e vitimou Miguel encontra reação nas urnas

O racismo desvaloriza as vidas negras. João Alberto Silveira Freitas, 40, um homem negro, foi espancado por um policial militar e um segurança na noite desta quinta (19) no estacionamento do Carrefour em Porto Alegre (RS). Mais um caso de violência racial em supermercados. Em 2019, vimos a tortura de um jovem negro de 17 anos no Ricoy, em São Paulo, e o sufocamento até a morte de outro jovem negro no Extra, no Rio. Em Recife, Miguel, o menino de Mirtes, completaria seis anos esta semana. Ele nasceu em 17 de novembro de 2014, às 7h42, rechonchudo. Pesou 4,5 quilos e mediu 42 centímetros. Teve a vida interrompida pelo desprezo, a negligência, a crueldade que muitas vezes determinam as relações raciais no Brasil. Miguel era muito pequeno. Não teve tempo de aprender o lugar do negro no país onde a sociedade se estruturou sobre o mais numeroso e longo ...

Leia mais
Manifestantes em frente ao Carrefour em Porto Alegre protestam pelo assassinato de João Alberto. (Foto: Guilherme Gonçalves/FotosPublicas)

Justiça para João Alberto Silveira Freitas – Não seremos a carne mais barata do Carrefour

Nenhum de nós ativistas do movimento negro e de mulheres negras poderíamos supor que esse 20 de novembro de 2020 acontecesse do jeito que aconteceu. Temos sido insistentes em denunciar a violência e a brutalidade policial contra a juventude negra, contra as favelas e periferias, esses lugares de residência, sim, re-si-dên-cia, de uma maioria negra – mulheres, homens, crianças e jovens negros. Temos sido enfáticos em denunciar que as chacinas e os homicídios de jovens negros são, sim, expressão do racismo e da discriminação racial no país. Temos sido contundentes em sinalizar que o sistema de justiça brasileiro encarcera desproporcionalmente homens e adolescentes negros. Temos vindo a público com inúmeros e inquestionáveis indicadores: a pobreza é negra, o desemprego é negro, a informalidade é negra, a mortalidade materna é negra, a ausência de saneamento básico é uma realidade cotidiana das famílias negras. A escola pública brasileira tem duvidosa qualidade de ...

Leia mais
(Foto: Alberto Henschel. Negra de Pernambuco, c. 1869. Recife, Pernambuco / Convênio Instituto Moreira Salles –Leibniz-Institut für Länderkunde)

Vidas negras importam, vidas negras importadas e vidas negras expropriadas

“Pela primeira vez na história humana, o nome Negro deixa de remeter unicamente para a condição atribuída aos genes de origem africana durante o primeiro capitalismo (predações de toda a espécie, desapossamento da autodeterminação e, sobretudo, das duas matrizes do possível, que são o futuro e o tempo). A este novo carácter descartável e solúvel, à sua institucionalização enquanto padrão de vida e à sua generalização ao mundo inteiro, chamamos o devir-negro do mundo.” (MBEMBE, 2014. p. 18) (grifo do autor) Assim o filósofo e cientista político Achille Mbembe (1957) introduz uma de suas principais obras, Crítica da Razão Negra (2013), em que tanto traça um panorama do Negro enquanto categoria ontológica² , trazida historicamente, primeiro em sentido negativo, do Negro como “aquele (ou ainda aquele) que vemos quando nada se vê, quando nada compreendemos e, sobretudo, quando nada queremos compreender” (p. 11), segundo em sentido positivo, em um dado ...

Leia mais
Página 1 de 76 1 2 76

Welcome Back!

Login to your account below

Create New Account!

Fill the forms bellow to register

Retrieve your password

Please enter your username or email address to reset your password.

Add New Playlist