Assista: Hilton Cobra em “Traga-me a cabeça de Lima Barreto!”

Enviado por / FonteSesc São Paulo

Escrita pelo diretor e dramaturgo Luiz Marfuz para comemorar os 40 anos de carreira do ator Hilton Cobra, a peça tem início após a morte do escritor Lima Barreto (1881-1922) e parte de uma imaginária sessão de autópsia na cabeça do autor de “O Triste Fim de Policarpo Quaresma”, conduzida por médicos eugenistas, defensores da higienização racial no Brasil, na década de 1930.

O propósito da autópsia seria responder à seguinte pergunta dos eugenistas: “Como um cérebro considerado inferior poderia ter produzido uma obra literária de porte se o privilégio da arte nobre e da boa escrita das raças tidas como superiores?” A partir desse embate, a peça mostra as várias facetas da personalidade e da genialidade de Lima Barreto e reflete sobre a loucura, o racismo, a eugenia, a obra não reconhecida de Lima e os enfrentamentos políticos e literários de sua época no Rio de Janeiro, capital da Primeira República (1889-1930).

Ator, produtor e fundador da Cia dos Comuns, Hilton Cobra atuou em espetáculos dirigidos por Luiz Marfuz, Márcio Meirelles, Nehle Franke, Ulisses Cruz e Werner Herzog. Recebeu prêmios e indicações no teatro e no cinema, como o Prêmio de melhor ator no Festival Nacional de Cinema de Brasília/2008, por sua atuação em “Cães” e 10 melhores atores do ano pelo Blog do Arcanjo-2018/São Paulo, por sua atuação em “Traga-me a cabeça de Lima Barreto!”. Participou do clipe “Bluesman” do rapper Baco Exu do Blues, vencedor do grande prêmio da categoria Entertainment for Music do Festival Cannes Lions. Na Comuns produziu espetáculos ”A roda do mundo”, “Bakulo – Os bem-lembrados”, “Candaces – A reconstrução do fogo” e produziu e dirigiu ”Silêncio”.

FICHA TÉCNICA:
Ator: Hilton Cobra
Dramaturgia: Luiz Marfuz
Direção: Onissajé (Fernanda Júlia)
Cenário: Vila de Taipa / Erick Saboya, Igor Liberato e Márcio Meireles
Desenho de Luz: Jorginho de Carvalho e Valmyr Ferreira
Figurino: Biza Vianna
Direção de Movimentos: Zebrinha
Direção Musical: Jarbas Bittencourt
Direção de vídeo: David Aynan
Design gráfico: Bob Siqueira e Gá
Produção executiva: Elaine Bortolanza e Júlio Coelho
Direção fotografia/câmera: Lílis Soares
Operação áudio e vídeo: Duda Fonseca
Operação de luz: Lucas Barbalho.
Participações especiais (voz em off): Lázaro Ramos, Caco Monteiro, Frank Menezes, Harildo Deda, Hebe Alves, Rui Manthur e Stephane Bourgade.
Classificação: 14 anos

+ sobre o tema

Lançamento do livro/CD/DVD ‘O Jongo do Tamandaré’

    Saiba Mais:  Jongo Cacuriá AS DANÇAS...

Gal Martins: O movimento que faz a diferença

Como Gal Martins levou a linguagem da dança contemporânea...

Sessão solene pelo centenário do “Sambista Pé Rachado”

O sambista Pé Rachado se vivo completaria 100...

para lembrar

Ubirajara e Alzira Fidalgo e a experiência política do Teatro Profissional do Negro

O Teatro Profissional do Negro (TEPRON) concebido por Ubirajara...

Especial: O Oscar e os afrodescendentes

Por: Rafael Amaral   A Academia de Hollywood, depois dos...

Seleção de Atrizes Negras – A Cia Os Crespos

A Cia Os Crespos, coletivo de Teatro e...
spot_imgspot_img

Espetáculo bilíngue português/Libras homenageia grandes atrizes do teatro brasileiro 

Um mergulho na história, no tempo e no agora é o que traz "CADUCA", espetáculo teatral baseado na trajetória das atrizes Lizette Negreiros e...

Salgueiro apresenta espetáculo em homenagem a Mercedes Baptista no Theatro Municipal

Completando 70 anos em 2023, os Acadêmicos do Salgueiro, mais uma vez, fazem jus às palavras de Nelson Andrade e mostram que, muito mais...

ITAN E TAL: Afrofuturismo e pertencimento afro-indígena no sul do Brasil

Guiada por Ananse, a aranha que trouxe as histórias pra terra, pela onça Jaguaretê, os seres da mata e por sua orixalidade, uma menina...
-+=